Porto & Benfica: Gloriosa jornada de 'Champions' para Portugal
Gloriosa jornada de Champions para Portugal!

Porto & Benfica: Gloriosa jornada de 'Champions' para Portugal

As vitórias sobre Chelsea e Atlético de Madrid que conferem a liderança de FC Porto e Benfica nos seus agrupamentos constituem o grande destaque da 2ª jornada da Liga dos Campeões.

rafaelreis
Rafael Reis

Gloriosa jornada de Champions para Portugal! Dificilmente se poderia pedir uma jornada de Liga dos Campeões melhor para Portugal – não só para as equipas portuguesas, FC Porto e Benfica, que alcançaram as proezas de derrotar Chelsea, campeão inglês em título, e Atlético de Madrid, finalista vencido da prova há duas épocas, como também para os vários jogadores nacionais espalhados pela Europa fora. Analisemos grupo a grupo:

Grupo A – Enquanto o seu Museu se encontra em Lisboa, Cristiano Ronaldo optou por levar a sua Bola de Ouro até Malmo, voltando a mostrar que será seu objectivo renová-la nos próximos anos com mais uma prestação de brilho na qual apontou os dois golos com o que o Real Madrid bateu o representante da Suécia na Champions.

Grupo B – Poucos apostariam que à 2ª jornada todos os clubes se encontrassem empatados em pontos, o que apenas sucede na medida em que o PSV Eindhoven não deu continuidade à surpreendente vitória sobre o Manchester United face a uma noite muito complicada para os seus laterais, Joshua Brenet e Santiago Arías, com o segundo a terminar mesmo expulso, perante os velozes atacantes do CSKA Moscovo.

Onde recentemente o Sporting foi derrotado por 3-1 e foi repescado para a Liga Europa apesar de toda a preparação dos leões para essa eliminatória, na pouco acolhedora (futebolisticamente falando) Rússia, também o PSV caiu.

No restante encontro, o Manchester United operou a reviravolta perante o Wolfsburgo, que viajou desde a Alemanha para encontrar como um dos principais opositores o seu compatriota Bastian Schweinsteiger, que parece de volta à sua melhor condição e promete um contributo cada vez melhor no seu novo clube.

Grupo C – Um caso em que um português triste será claramente um mal menor: apesar de muito esforço, Tiago foi incapaz de evitar a derrota do seu clube do coração, o Benfica, e assim dar continuidade ao bom momento que está a viver no regresso à Selecção Nacional, na qual vem azo ao que chama de “um bichinho que esteve sempre cá dentro”.

Baluarte no meio-campo do Atlético de Madrid, o experiente médio não conseguiu fazer com que o seu ‘bichinho’ dobrasse o firme meio-campo das águias que tornou possível no espaço de apenas um ano fazer com que a Matemática deixasse de ser inimiga dos bicampeões nacionais para agora ser a aliada que mostra uma confortável vantagem na liderança deste grupo.

Em 2014/2015, a derrota na Rússia aliada a uma conjugação matemática atirou o Benfica para fora das competições europeias ainda com um jogo por disputar. Hoje, face a uma noite de gala no Vicente Calderón, em apenas dois jogos os encarnados alimentam já uma vantagem de cinco pontos para os terceiros classificados.

Grupo D – Como vice-campeã europeia, a Juventus vai dominando este agrupamento ao ter somado nova vitória desta feita sobre o detentor da Liga Europa, o Sevilla, com o ex-FC Porto Alex Sandro como suplente utilizado e liderada a meio-campo pela estrela bianconera e da selecção de França, Paul Pogba, que uma vez mais se mostrou em evidência.

Logo atrás surge o Manchester City e o seu vastíssimo plantel que obriga a que jovens com grande margem de progressão e vários jogadores de nomeada não tenham o seu espaço, o que tornava natural a vitória no terreno do Borussia Monchengladbach que veio a confirmar-se com alguma dificuldade.

Grupo E – Apesar de ter perdido em Barcelona, o Bayer Leverkusen continuará a ser visto como o ponto em destaque neste grupo ao continuar a demonstrar facilidade em chegar ao último reduto contrário, o que deixa antever um rápido regresso do conjunto alemão às noites europeias de sucesso.

Grupo F – Marco Silva – mais um português – foi rei na noite deste agrupamento ao surpreender Londres derrotando ao leme do Olympiacos o favorito Arsenal, dando razão a quem o considera um dos grandes técnicos lusos da actualidade e defende o trabalho que realizou ao serviço do Sporting, onde a sua saída chegou a precipitar uma onda negativa junto dos adeptos até à confirmação da chegada de Jorge Jesus.

Grupo G – Foi com a sua grande arma que o FC Porto deu início à assombrosa semana europeia para Portugal, o poderio que consegue imprimir jogando no Dragão, a casa na qual há muito vem derrotando sucessivamente os seus maiores rivais, tendo uma vez mais juntado o Chelsea à sua já extensa lista com uma justa vitória.

Grupo H – O grande destaque remete-se ao Valencia e à importante vitória conseguida no terreno do Lyon com João Cancelo como titular, sem contar com André Gomes e Rúben Vezo que se encontravam fora dos convocados, no terreno cuja baliza é defendida por Anthony Lopes que procura com as suas prestações em França continuar a merecer a confiança de Fernando Santos.

VAVEL Logo