"Limpinho, limpinho..." ou "começa a ser de mais"? - Todas as declarações
Jorge Jesus levou de novo a melhor sobre Rui Vitória

"Limpinho, limpinho..." ou "começa a ser de mais"? - Todas as declarações

Este sábado o Sporting venceu mais um confronto frente ao Benfica, desta vez em Alvalade. Os leões levam a melhor pela terceira vez seguida e, após as declarações, muito pouco ficou por ser dito.

fabia-cortinhas
Fábia Cortinhas

Depois de mais uma vitória, desta vez a contar para a Taça de Portugal, o Sporting eliminou o Benfica da competição rainha e os jogadores leoninos não esconderam o contentamento. Do lado verde e branco, tanto João Mário, como Slimani e Adrien deixaram as suas palavras. Já do lado encarnado, foi Gonçalo Guedes que se chegou à frente.

João Mário foi direto e conciso, ainda que o jogo tenha sido complicado, foi dominado pelo Sporting e, justamente, vencido, «Jogo muito complicado. Foi a primeira vez que começámos a perder, mas reagimos bem e conseguimos dar a volta. Preparámos bem o jogo, fomos superiores durante todo o jogo e por isso fomos justos vencedores. Parabéns ao Benfica, porque foi um digno vencido", disse o médio do Sporting que não dá demasiada importância a este jogo, encanrando-o como "só mais um" entre os muitos que restam, "Estamos confiantes, mas só com muito trabalho é que poderemos vencer. Vamos manter a nossa identidade, o nosso estilo de jogo e atitude, mas foi só mais um jogo. Agora é focar e manter.» - foi assim que João Mário concluiu o seu discurso optimista e incentivador para a equipa leonina.

Gonçalo Guedes, por sua vez, proferiu poucas palavras, transmitindo, ainda assim, a injustiça sentida pelo afastamento do Benfica desta competição, «Foi muito injusto, a melhor equipa ficou pelo caminho. Eramos justos vencedores mas ficámos pelo caminho. É só o que tenho a dizer.» - foram, apenas, estas as palavras do jogador do Benfica.

Do lado verde e branco, Adrien Silva, o autor do primeiro golo do Sporting, não deixou de fazer o seu comentário e de frisar a justiça do resultado e o orgulho pela vitória obtida, ainda que sofrida, «Foi uma vitória justa, com grande intensidade nos duelos, como é normal nestes jogos. Em relação aos outros jogos com o Benfica, foi mais difícil, porque tivemos de jogar mais do que o normal para ultrapassar o adversário (...) Temos de estar orgulhosos. Quando o Benfica marcou foi um rude golpe, mas a equipa reergueu-se e tivemos capacidade mental para dar a volta ao resultado.», salientou o capitão leonino. O internacional não terminou sem deixar alguns elogios ao treinador, Jorge Jesus, «Tem sido uma grande ajuda para todos nós. Tem sido essencial na nossa campanha e nós temos correspondido dentro de campo» - concluiu Adrien Silva.

Também do lado da equipa vencedora, Slimani desvalorizou o individualismo ainda que assuma o gosto em ser acarinhado pelo adeptos, de qualquer das maneiras o internacional argelino valoriza o colectivo e já está a pensar no jogo com o Lokomotiv, «Jogámos muito bem, dominámos o jogo e, por isso, foi uma vitória justa. Apoio dos adeptos? O Sporting é um grande clube, com uma grande história. Ninguém joga sozinho, mas é bom ser acarinhado (...) Espero jogar em Moscovo e ajudar a equipa a vencer.» - foram estas as palavras de Islam Slimani.

No que toca ao comando técnico de cada uma das equipas, Jorge Jesus foi mais poupado nas palavras que Rui Vitória. 

O treinador do Benfica não se mostrou nada contente com o resultado e, especialmente, com a arbitragem, não tendo poupado críticas ao trabalho de Jorge Sousa neste derby. «Vamos começar pelo fim. Houve um penalty limpinho, limpinho e tem de ser marcado. Começo a ter de reagir porque começa a ser de mais. Foram três jogos, houve três penalties a nosso favor que não foram assinalados. Tenho dois jogadores a caminho do hospital… há um penalty a nosso favor e isto tem de parar. Dois jogadores meus foram para a rua, na semana passada foi um diretor. Isto já chega (...) Tenho respeito por todos os árbitros mas isto começa a ser de mais. É uma questão de respeito para com uma instituição que é bicampeã nacional. Foi o árbitro auxiliar o principal, são quatro olhos e têm de marcar aquele penalty (sobre Luisão). Temos o capitão a caminho do hospital com o braço partido (...) Respeito ao máximo o árbitro, é internacional, mas os jogadores e treinadores são criticados e os árbitros também o são. Não podemos ficar impávidos. Há um penalty, ponto final. Tenho-me mantido calado mas ser bom não é ser bonzinho. É preciso respeitar o Benfica», foram estas as palavras de Rui Vitória relativamente à arbitragem. Olhando para o jogo, o treinador do Benfica mostra-se injustiçado perante o resultado obtido «Foi intenso, entrámos bem e surpreendemos completamente o adversário. Os pormenores fizeram a diferença mas penso que a melhor equipa ficou pelo caminho. (…) Causámos problemas ao Sporting, que depois equilibrou, mas nenhuma equipa foi claramente superior. No meu entender, o resultado devia ter sido diferente. Não ganhámos mas merecíamos outro resultado» - estas foram as palavras de Rui Vitória na flash interview à Sport Tv.

As declarações do técnico encarnado só cessaram depois de mais algumas críticas, desta vez na sala de imprensa: «Há um penalty claro na parte final do jogo. São três jogos (com o Sporting) em que fomos prejudicado e que não foram assinalados penalties claros. E já chega. (…) Há uns tempos falava-se do 4x4x2 e do 4x3x3, agora é a tática do barulho. Parece que quem faz mais barulho… e eu não quero ser comido de cebolada (...) Queremos igualdade de tratamento. Tenho máximo respeito pelo Jorge Sousa e pela arbitragem mas que isto não seja sinal de que podem prejudicar e que fico calda. Já chega. Pedimos respeito pelo Benfica. Temo-nos mantido calados mas se é para fazer barulho também sabemos fazer, até tenho a voz grossa». Apesar das pesadas críticas, Rui Vitória não se quis alongar mais sobre a questão da estratégia do «barulho» e concluiu o seu discurso, «Não entro nessas questões, isso é para outro âmbito. Refiro-me apenas aos lances factuais. Não vão ouvir da minha boca coisas relacionadas com outros intervenientes. O que digo é que o Benfica quer ser tratado de forma igual. A tática do barulho é no sentido que ouço muita gente a falar da arbitragem.» Por fim, o técnico das águias desvaloriza um pouco o afastamento da equipa na competição e foca-se no jogo a contar para a Liga dos Campeões na semana que se segue, «Todos os jogos são importantes para o Benfica. Trabalhamos de forma afincada, juntos e unidos, e assim vamos continuar. Não ganhámos agora, viemos com esse propósito, mas as grandes equipas também se veem nestes momentos. Fomos eliminados mas, agora, vamos jogar para a Champions e vamos estar à altura».  - foram estas as últimas palavras do treinador encarnado na sala de imprensa.

Em relação ao técnico leonino, Jorge Jesus fez um discurso mais breve e, ao contrário de Rui Vitória, elogiou a equipa de arbitragem, e não deixou de esclarecer que as surpresas tácticas de Rui Vitória em nada o surpreenderam, «Foi uma grande arbitragem. Não há fora de jogo, por isso foi limpinho, limpinho. Ganhámos com toda a justiça (...) Já tinha usado o Nico Gaitán naquela posição, o Talisca igual e o Pizzi em alguns jogos também. Nada foi novo para mim. Ficámos desequilibrados em alguns momentos, mas as paragens foram determinantes para ajudar a corrigir posições». Para concluir, o treinador do Sporting falou da sua saída do Benfica, revelando que houve falta de interesse pelo seu trabalho, «Tive de procurar outros caminhos, ainda por cima quando as pessoas não estavam interessadas no que eu estava a fazer. Sou livre de treinar quem quero, por isso estou a fazer o meu trabalho (...) Vim para outro clube com dedicação, honra e um grande sentido de responsabilidade». - foi com estas palavras que Jorge Jesus concluiu as suas declarações depois de sair vitorioso no jogo a contar pela Taça de Portugal, frente ao eterno rival, Benfica.

VAVEL Logo
    CHAT