Balanço das equipas portuguesas na Europa (tal como se previa...)

Balanço das equipas portuguesas na Europa (tal como se previa...)

Dos resultados obtidos por Benfica, FC Porto, Sporting, Sporting de Braga e Belenenses na semana europeia, o denominador comum é a expressão 'tal como se previa'.

rafaelreis
Rafael Reis

Da semana de jornada europeia para os clubes representantes de Portugal, o denominador é comum: a expressão ’tal como se previa’, dado que todos os emblemas, para o bem e para o mal, corresponderam ao que esperava da sua parte pelas condições desportivas que ofereciam e pela capacidade competitiva dos oponentes que tiveram pela frente. Uma vitória, três derrotas e um empate, sem lugar a grandes surpresas.

Derrota frente ao Atletico não mancha a boa carreira europeia protagonizada pelo Benfica

Tal como se previa, o Benfica não foi capaz de ultrapassar o Atlético de Madrid, oponente que neste momento se encontra uns furos acima em termos de maturidade futebolística e experiência europeia. Ainda assim, em seu favor terá o facto de ter desperdiçado boas ocasiões de golo nos últimos minutos como de resto já o tinha feito no último compromisso europeu como visitado perante o Galatasaray. No entanto, a realidade entre turcos e espanhóis é incomparável…

Sem que a arbitragem tenha sido penalizadora, defensivamente ainda são cometidos erros que a este nível são imediatamente punidos. Mesmo na anterior recepção ao Gala, apenas alguma fortuna, um Júlio César a bom nível e muita solidariedade defensiva evitaram mais alguns dissabores para além do tento sofrido nesse encontro concluído com uma vitória benfiquista.

Apesar das várias tentativas por parte do Benfica em chegar ao empate, o guarda-redes Jan Oblak, que regressava duas épocas depois a uma casa na qual foi feliz, se sagrou campeão nacional e da qual forçou a saída, não foi obrigado a grandes intervenções e para cúmulo das águias também não complicou a sua própria tarefa, o que inviabilizou quaisquer possibilidades da equipa encarnada em chegar ao empate que garantiria uma surpreendente vitória no seu grupo na Liga dos Campeões.

Recorde-se ainda que o Atletico se encontrava privado de uma das suas principais unidades como o português e curiosamente também um confesso benfiquista Tiago, um dos últimos a regressar ao convívio da Selecção Nacional e agora um indisponível de longa duração, o que nem assim retirou capacidade à intermediária dos madrilenos que disputam a par o título espanhol com os rivais Barcelona e Real Madrid, eterno ‘inimigo‘ e vizinho.

Agora dotado de um estilo cerebral, este Atletico de Madrid apenas necessitou de fazer uso da sua postura de dar tudo até final nos minutos finais perante a pressão benfiquista que em condições normais seria mais do que suficiente para levar de vencida praticamente todos os adversários com que se deparam na Liga, na sua maioria leais e férreos a defender mas com argumentos bastante inferiores aos do clube da Luz.

Mesmo na impossibilidade de conquistar o seu agrupamento, o Benfica demonstrou ter plantel, contrariando as teses de que o seu grupo é escasso em termos de opções de boa qualidade. Caso contrário, como explicar que um jovem com a capacidade de Bryan Cristante vem tendo uma utilização residual e parece estar apontado à saída para competir com maior regularidade, para citar um exemplo?

Desaire em Inglaterra acentua problemas de um dragão com falta de resultados

Tal como se previa, o FC Porto foi incapaz de contrariar a superioridade do Chelsea em Stamford Bridge, muito devido ao facto de ter permitido ao campeão inglês aquilo que mais gosta e que o embala para noites vitoriosas, o domínio das operações desde a primeira parte e a possibilidade de começar a planear bem cedo o controlo territorial e sobre o resultado como é apanágio das equipas comandadas por José Mourinho.

É certo que este dragão possui a capacidade de jogar em posse como poucos nestas últimas duas épocas, o que não sucedia no Dragão desde 2011, mas tal não chega. Uma vez mais faltou objectividade, e com isso pagam os resultados - a falta destes, até porque em Londres o dragão não foi sequer capaz de apresentar a arma que mais lhe tem valido na Liga, a maior qualidade do seu jogo na 2ª parte em detrimento da 1ª…

Em abono da verdade pode afirmar-se que a eliminação portista não teve lugar frente ao Chelsea. Teve, isso sim, origem na derrota caseira frente ao Dínamo de Kiev, que saiu a festejar do Dragão… e com motivos para tal.

Braga vem apresentando a garra que na época passada quase valeu uma Taça de Portugal

Tal como se previa, o Sp. Braga conquistou o seu grupo na Liga Europa com uma igualdade no terreno do Groningen quando deveria inclusivamente ter vencido face a uma 2ª parte que reflecte a atitude dos Guerreiros do Minho desde o início desta participação europeia.

Uma vez mais a imagem deixada pelo Braga foi a de muita garra, a mesma que na época transacta quase lhes garantia a conquista da Taça de Portugal muitos anos depois da última (e única) ocasião em que ergueram esse troféu que ainda hoje deve servir de inspiração no clube.

Como promessa de um conjunto bracarense mais completo fica o cada vez melhor comportamento como visitante a juntar ao poderio que sempre apresenta quando recebe os seus oponentes na Pedreira, onde tem por hábito derrotar adversários de superior estatuto.

Apuramento do Sporting evitou divisão de opiniões na sua massa associativa

Tal como se previa, o Sporting assegurou a qualificação para a fase seguinte na Liga Europa, derrotando para isso o Besiktas em Alvalade, um resultado para o qual, sejamos francos e sinceros, se encontrava à distância de… um onze titular, leia-se uma aposta semelhante àquela que é feita na Liga NOS.

Isto tendo em conta que desde os primeiros momentos desta pré-temporada a melhor equipa dos leões se mostra capaz de discutir e assegurar vitórias perante adversários de monta e categoria internacional e deste confronto europeu frente ao líder do campeonato turco as ilações são semelhantes.

Fez a diferença o meio-campo muito pressionante nos momentos decisivos do jogo com destaque para João Mário principalmente quando deixou a direita para se tornar um elemento desequilibrador no centro do terreno como aliás apontam as características do internacional português que se encontra ligado ao clube até 2020 e que desfruta do estatuto de indiscutível na equipa para Jorge Jesus, que o tem levado a outro nível com a preparação que destinou para o jovem médio.

A vitória e resultante qualificação foi ainda determinante para o leão sobre outro aspecto fulcral que passa pela acalmia das hostes pelo facto de os comportamentos e expectativas da massa associativa não serem iguais e muitos deles exigirem também uma carreira europeia ao nível da doméstica.

O triunfo sobre o Besiktas comprova a qualidade das opções sportinguistas mesmo com alguma escassez nas alas do ataque onde faltam elementos como Carlos Mané, uma unidade útil por surgir com frequência em zonas de finalização, e André Carrillo, a quem o sucesso europeu do leão atinge mesmo outra dimensão que não lhe convém - a de superioridade moral e negocial.

Sobre Carrillo, afastado da equipa por decisão da SAD numa opção que ao ser acompanhada de sucesso desportivo, cai agora a garantia de que a equipa não fica refém dos seus préstimos e que esta fica confortável para convencer o jogador de que é mesmo o único prejudicado ao prosseguir sem competição muito embora em condições normais fosse um crónico titular.

Por todos estes motivos, a recepção ao Besiktas foi, embora não se admita, um dos jogos mais importantes da época leonina - e o que seria se na próxima eliminatória o rival fosse o Olympiacos orientado pelo ex-treinador Marco Silva?

Belenenses não conseguiu operar o ‘milagre’ que seria vencer em Itália

Por fim, tal como se previa, o Belenenses não conseguiu operar a surpresa frente à Fiorentina perante Paulo Sousa numa primeira época que para já corre ’de vento em popa’ ao antigo internacional português em Itália.

Apesar do desaire, fica para os azuis a boa imagem deixada e os valores nacionais que fazem parte do seu plantel, cada vez mais com um passado ligado ao clube e à sua formação, o que deixa excelentes indicativos para o futuro. Falta agora conseguir chamar o público ao Restelo, um estádio que raramente é palco de uma enchente…  

VAVEL Logo
CHAT