Gil Vicente x FC Porto: Dragões com um pé e meio no Jamor
Dragões golearam e estão quase com os dois pés no Jamor.

Gil Vicente x FC Porto: Dragões com um pé e meio no Jamor

Três golos sem resposta em Barcelos permitem gerir confortavelmente a segunda-mão e sonhar com a final no Jamor.

pedrocorreia
Pedro Correia

O FC Porto deslocou-se a Barcelos esta quarta-feira, para disputar a primeira-mão das meias-finais da Taça de Portugal, e acabou por dar um passo gigantesco para conseguir o carimbo para a final da prova rainha. 

Os dragões golearam o Gil Vicente por 0-3, deixando aos gilistas uma possibilidade remota de recuperar de uma desvantagem tão grande: trata-se de uma tarefa que, obviamente, se afigura complicadíssima para o conjunto de José Mota, acrescida pelo facto da segunda-mão ser disputada no Estádio do Dragão.

Gil com vontade para um Rúben Neves com pontaria 

Após um bom início de jogo por parte do Gil Vicente e de oportunidades de parte a parte durante a primeira parte - Vítor Gonçalves atingiu a barra da baliza de Helton aos 25' e aos 29', Marega, em excelente posição, falhou um cabeceamento que poderia ter aberto o marcador -, a vantagem azul-e-branca acabou por surgir ainda antes do intervalo, por intermédio de Rúben Neves.

O jovem médio portista inaugurou a contenda após surgir à entrada da área, na sequência de um canto favorável aos dragões, rematando forte e rasteiro para fazer balançar as redes do guarda-redes Serginho, após o esférico sofrer desvios em Wagner e Renan.

Suk e Sérgio Oliveira para fechar as contas 

No segundo tempo, o Gil parecia regressar com vontade de inverter a tendência da partida - entre outras oportunidades, Renan levou mais um ataque gilista à trave de Helton, após um cabeceamento - , mas revelou-se ineficiente na hora de finalizar, acabando por sofrer o segundo golo, à passagem do minuto 60, através de Suk - o sul-coreano cabeceou de forma indefensável para Serginho, após um cruzamento de Layún, vindo da esquerda. 

A partir desse momento, o jogo complicou-se ainda mais para a turma de José Mota: seis minutos depois, aos 68', o lateral-esquerdo Bruno foi expulso e, aos 71', o FC Porto sentenciou a partida, com um golo de livre, muito bem colocado, por parte de Sérgio Oliveira

No final do jogo, após tempo regulamentar de três minutos, a formação de José Peseiro conseguiu, praticamente, resolver a eliminatória e está a um pequeno passo de carimbar oficialmente a qualificação para a final no Jamor

VAVEL Logo
CHAT