Belenenses 1-2 FC Porto: começar bem não evitou sofrimento

Belenenses 1-2 FC Porto: começar bem não evitou sofrimento

Os «dragões» já venciam por dois golos à passagem do minuto 18, mas tiveram de sofrer para seguir com os três pontos para a Invicta e manter bem acesa a chama da luta pelo título.

pedrocorreia
Pedro Correia

Belenenses e FC Porto entraram, este domingo, no Estádio do Restelo para disputar mais três pontos na 24ª jornada da Liga NOS 2015/16, numa partida em que os «dragões» tiveram de sofrer para levar de vencida a equipa de Julio Velázquez. O golo de Brahimi e o auto-golo de Tonel garantiram a vantagem aos azuis e brancos, mas o Belenenses ainda ameaçou o empate depois de um golo de Juanto. Os pupilos de Peseiro acabaram mesmo por impôr o seu jogo e levaram os 3 pontos de volta para a Invicta. 

1ª parte: Marcar cedo e adormecer à sombra da vantagem

Sob o olhar atento do juiz João Capela, foi o emblema do Norte que inaugurou a contenda, em Lisboa. Aos 9', Brahimi, que já havia ameaçado à passagem do quinto minuto - com uma boa jogada, que terminou num remate (efectuado já dentro da área), por cima da baliza, de pé esquerdo - aproveitou uma bola perdida na área, após um duelo entre Suk e Gonçalo Silva, para rematar forte para o fundo das redes, perante a saída inglória de Ventura. 

Se um golo madrugador, por si, já constituía um bom prenúncio para a equipa de Peseiro, Tonel complicou, ainda mais, as contas para os Azuiscom um auto-golo, aos dezoito minutos da primeira parte.  O lance caricato aconteceu depois de um cruzamento de Maxi Pereira, do lado direito do ataque portista, ao qual o central respondeu com um cabeceamento mal calculado, que só terminou nas suas próprias redes depois de passar por cima de Ventura, apanhado de surpresa com a acção do colega de equipa.

Numa situação difícil de prever até para os adeptos mais pessimistas, o Belenenses tentou reagir e conseguiu colocar o FC Porto em sentido, ainda na primeira parte, por intermédio do experiente Carlos Martins, num livre cobrado aos 29 minutos. O portugu^es marcou de forma direta e - depois de contornar a barreira, em efeito e em grande velocidade - levou o esférico ao poste direito da baliza de Casillas, numa situação apenas resolvida por Chidozie, que chutou a bola para longe e afastou o perigo.

Foto: fcporto.pt
Foto: fcporto.pt

Obrigado a responder, o FC Porto fez soar o alarme da defensiva do Restelo, novamente através de Brahimi. Num lance semelhante ao do primeiro golo, com Suk a servir o argelino para um remate potente já dentro da área, a jogada poderia ter levado mais perigo para a equipa de casa, caso Fábio Nunes não tivesse interceptado o esférico, concedendo canto para os visitantes.

Ainda na primeira parte, porém, o Belenenses voltaria a ameaçar, através de um remate perigosíssimo de Juanto aos 44', ligeiramente ao lado da baliza de Casillas, após um cruzamento atrasado ao qual os defesas portistas assistiram de forma demasiado passiva.

2ª parte: Sofrer e sofrer para lutar pelo título

As equipas foram para o descanso com o marcador que havia sido estabelecido aos 18 minutos de jogo e, na segunda parte, Suk voltou decidido a ameaçar Ventura, obrigando o guarda-redes de 28 anos a duas grandes defesas: primeiro, num remate forte após um passe a rasgar de Herrera e, depois, através de um cabeceamento perigosíssimo, sendo que este último lance acabaria por ser invalidado por fora de jogo.

O lance tão esperado pela maioria dos adeptos presentes no estádio em Belém acabaria por chegar aos 60 minutos, novamente por Juanto. O avançado espanhol de 24 anos correspondeu a um cruzamento de Geraldes do lado direito, aparecendo no coração da área para finalizar sem dó nem piedade e fazer o 1-2, que acabaria por permanecer inalterado até ao final da partida.

Contudo, antes do apito final, ambas as equipas poderiam ter voltado a fazer balançar as redes adversárias e o FC Porto estava longe de ter a vitória garantida.  Aos 61', isolado, Herrera foi incapaz de desviar um cruzamento da melhor forma, acabando por atirar para fora. Ao mesmo tempo o Belenenses ia crescendo no jogo, com destaque para um lance individual de Geraldes, que progrediu no flanco direito, deixando quatro elementos da formação portista para trás e rematando para defesa apertada de Casillas, que cedeu canto.

Vendo a sua equipa sob pressão, aos 77', Brahimi ainda tentou, mais uma vez, intimidar Ventura, mas o remate saiu fraco e à figura do português.  O jogo caminhava incerto para o final e Bakic esteve perto do golo, já aos 88 minutos: o remate efetuado de longe pelo médio do Belenenses esteve a centímetros de dar o empate à equipa da casa.

Foto: Facebook do FC Porto
Foto: Facebook do FC Porto

Findos os três minutos de compensação, o resultado acabaria por dar também três sofridos pontos ao FC Porto, que iguala, temporariamente, os 55 pontos do Benfica (os encarnados jogam esta segunda-feira, frente ao União da Madeira).

Continue a acompanhar o campeonato português aqui, em Vavel Portugal.

VAVEL Logo
CHAT