A caminho do Euro: Turquia
A caminho do Euro: Turquia (Foto: SuiteSport)

A caminho do Euro: Turquia

Os turcos estão no grupo D com a Croácia, República Checa e Espanha.

paulopereira79
Paulo Pereira

O ponto alto do futebol da Turquia foi o Campeonato do Mundo de 2002, onde a equipa de Şenol Güneş terminou, contra todas as expectativas, no terceiro lugar, desta vez vem aí o Euro e os turcos vão fazer de tudo para surpreender. 

Uma equipa que não desiste

Foi a segunda presença num mundial, prova que não mais voltou a disputar. Apenas à décima tentativa a Turquia chegou ao primeiro Campeonato da Europa, e, depois de três derrotas no EURO 96, atingiu os quartos-de-final do EURO 2000 sob o comando de Mustafa Denizli. Oito anos depois, na Áustria e na Suíça, o conjunto de Fatih Terim caiu na ronda seguinte, fase em que, depois chegar às meias-finais ao afastar a Croácia num emotivo desempate por grandes penalidades, perdeu com a Alemanha por 3-2.

Os turcos chegaram às meias-finais em 2008 (Foto: Desportugal)
Os turcos chegaram às meias-finais em 2008 (Foto: Desportugal)

Depois de ter estado ausente do certame decorrido na Polónia/Ucrânia, regressou às fases finais no EURO 2016, ao apurar-se como melhor terceira classificada dos nove grupos de qualificação. Sem vitórias nas duas anteriores fases de apuramento, a Turquia atingiu a primeira presença numa fase final no EURO 96, mas os comandados de Terim foram eliminados com três derrotas em Inglaterra. O desempenho foi bem melhor em 2000 ao caírem nos quartos-de-final, batida por Portugal, por 2-0, nos quartos-de-final. Uma derrota no “play-off” frente à Letónia fez com que a Turquia de Güneş fosse afastada do EURO 2004, mas, de novo com Terim no comando, destacou-se no EURO 2008. Triunfos à beira do fim sobre Suíça, República Checa e Croácia valeram um lugar nas meias-finais, onde enfrentou a Alemanha.


O homem por trás da equipa 

O selecionador Fatih Terim era um defesa-central que jogou pelo Galatasaray mais de uma década e representou a Turquia em 51 ocasiões, 31 delas como capitão. Começou a carreira de treinador no MKE Ankaragücü e prosseguiu depois no Göztepe, tendo sido escolhido para adjunto do seleccionador principal Sepp Piontek e empossado técnico dos Sub-21 em 1990.

Chegou ao comando da seleção em 1993 e conduziu-a ao EURO 96. Os turcos perderam todos os jogos disputados em Inglaterra, mas a obtenção da qualificação constituiu, por si só, um feito notável, uma vez que foi a primeira presença numa grande competição desde o Mundial de 1954. Regressou ao Galatasaray após o EURO 96 e venceu quatro campeonatos e a Taça UEFA de 2000. A fama rendeu-lhe a transferência para a Serie A, onde orientou Fiorentina e Milan, antes de voltar ao Galatasaray, onde problemas de bastidores ditaram novo período de afastamento, em 2004.

Fatih Terim é o chefe das tropas turcas
Fatih Terim é o chefe das tropas turcas

Nomeado selecionador da Turquia em 2005, Terim, conhecido no seu país como “Ímparator” (Imperador) devido à capacidade de liderança, não conseguiu levar a melhor no “play-off” de apuramento para o Campeonato do Mundo de 2006 e sucumbiu diante da Suíça. Apurou a Turquia para o EURO 2008, prova na qual acabou eliminada nas meias-finais. Demitiu-se após falhar a qualificação para o Mundial de 2010. Regressou pela terceira vez ao comando do Galatasaray em Julho de 2011 e, na primeira temporada, levou o emblema de Istambul à conquista do primeiro campeonato em quatro anos. Repetiu o feito em 2013, altura em que também conduziu o Galatasaray até aos quartos-de-final da Champions League.

Assumiu o comando da seleção pela terceira vez em Agosto de 2013, tendo deixado o Galatasaray em Setembro. Não apurou a Turquia para o Mundial 2014, apesar de ter vencido três dos quatro jogos no comando da equipa, mas conseguiu levá-la ao EURO 2016.

VAVEL Logo
CHAT