Especial: As cedências dos três grandes (Sporting: Geraldes, Matheus e Gauld)
(Foto: desporto.sapo.pt)

Especial: As cedências dos três grandes (Sporting: Geraldes, Matheus e Gauld)

Ano após ano, os denominados "Três Grandes" emprestam alguns dos seus jogadores a clubes do nosso campeonato, tendo em vista o desenvolvimento dos mesmos. No caso do Sporting, olhamos mais atentamente para os percursos de Francisco Geraldes, Matheus Pereira e Ryan Gauld, três talentosos jogadores que procuram dar seguimento ao seu crescimento competitivo.

Francisco_Ferreira
Francisco Ferreira Gomes

Francisco Geraldes: Um poeta à solta no Vale do Ave

Depois de na época passada ter alternado entre o Moreirense e o plantel principal do Sporting, Francisco Geraldes rumou esta temporada ao Rio Ave por empréstimo dos leões. Sob o comando do técnico Miguel Cardoso, o jovem médio ofensivo tem vindo a assumir um papel de destaque na equipa vila-condense, assumindo a função de coordenador do jogo ofensivo da equipa.

Com efeito, Geraldes soma já 27 jogos pelo Rio Ave, tendo sido titular em 23 deles. Das partidas realizadas, o médio soma três golos e ainda nove assistências, revelando-se assim como peça fundamental na dinâmica ofensiva dos rioavistas. Francisco Geraldes parece ter encaixado que nem uma luva no estilo de jogo de Miguel Cardoso. O pendor ofensivo e velocidade imposta no estilo de jogo do Rio Ave parece em tudo beneficiar as características de Geraldes que deste modo pode pôr toda a sua técnica e velocidade de raciocínio ao serviço da equipa.

Matheus Pereira: Samba em Trás-os-Montes

O caso de Matheus Pereira já é diferente. O extremo brasileiro esteve duas temporadas no plantel principal do Sporting; enquanto que no primeiro ano o jovem canarinho ainda foi tendo oportunidades, no segundo as coisas mudaram de figura e a elevada concorrência levou a menos minutos na equipa de Jorge Jesus.

Perante esta situação, os leões optaram por emprestar Matheus ao Desportivo de Chaves por forma a recuperar a sua competitividade. Tal como seria de esperar, o extremo chegou e ganhou papel de destaque no plantel de Luís Castro. Com efeito, Matheus foi titular em 14 dos 18 jogos pelos transmontanos, tendo contabilizado três golos e outras tantas assistências. 

Após um começo de época um pouco irregular, o Desportivo de Chaves conseguiu recuperar e regressar aos bons resultados que compuseram a época anterior. Apesar da mudança de comando técnico, os flavienses não deixaram de jogar bom futebol de índole ofensiva e dinâmica, um estilo que tal como o caso de Geraldes no Rio Ave encaixa perfeitamente na verticalidade e técnica de Matheus Pereira. Poderá ainda faltar alguma consistência e regulariadade ao extremo brasileiro, algo que Matheus terá de trabalhar se quiser ter lugar no plantel principal do Sporting na próxima época.

Ryan Gauld: Há ouro na Vila das Aves

Há três épocas atrás, Ryan Gauld chegou ao Sporting com selo de craque, isto apesar dos seus verdes 19 anos. Desde então, o jovem escocês tem feito o seu trajecto de crescimento de forma consistente, muito devido aos empréstimos. Depois de no ano passado ter estado meia época em Setúbal, este ano foi a vez do recém-promovido Desportivo das Aves, equipa que começou a época cheia de caras novas. Talvez por isso a equipa tenha sentido dificuldades no início da temporada em criar e solidificar uma ideia de jogo, já que faltavam criar os famigerados automatismos e dinâmicas entre os jogadores.

Tal conjuntura, juntamente com as duas mudanças de treinador, não beneficiou em muito Ryan Gauld; todavia, o médio ofensivo tem-se mostrado aplicado, demonstrando muita entrega ao jogo quando é chamado. O "Mini-Messi" conta com vinte partidas pelos avenses, quatro das quais a titular, e de onde resultaram um golo e uma assistência.

A constante instabilidade e mudanças da equipa técnica não têm dado a estabilidade tática necessária para o desenvolvimento de Ryan Gauld, um jogador de velocidade e capacidade técnica inegáveis, mas que ainda não conseguiu assimilar por completo o estilo de jogo da equipa. Com o desenrolar do resto da época, e se o comando técnico se mantiver, é com certeza de esperar mais do escocês.

 

VAVEL Logo