Noite de sonho de Willian manchada por erro defensivo

Noite de sonho de Willian manchada por erro defensivo

O encontro mais esperado desta noite milionária teve lugar em Stamford Bridge, num jogo grande entre Chelsea e Barcelona. Willian brilhou, mas os londrinos partem em desvantagem para a segunda mão

RuiLopes97
Rui Lopes

Esta noite, os olhos do mundo do futebol estavam postos em Londres num encontro já histórico entre Chelsea e Barcelona.

A equipa da casa entrou em campo no habitual 3-4-3 mas desta vez sem um ponta de lança de referência, sendo que Conte optou por deixar Morata e Giroud no banco de suplentes. Lançou na frente de ataque 3 homens capazes de desequilibrar e com velocidade – Hazard, Pedro e Willian. Do outro lado, o Barça entrou num 4-4-2 clássico com Paulinho a ser a aposta para o meio campo, ficando assim o português André Gomes no banco. No ataque, os inevitáveis Lionel Messi e Luís Suarez foram os escolhidos por Valverde para levarem perigo junto da baliza dos londrinos.

O Chelsea entrou forte no jogo e logo aos cinco minutos de jogo o belga Hazard rematou com perigo e ameaçou pela primeira vez a baliza do líder do campeonato espanhol. Os ingleses acabaram por perder o fulgor inicial e recuarem no terreno, concedendo assim a bola ao Barcelona que jogou praticamente a primeira parte toda no meio campo defensivo dos londrinos. No entanto, Victor Moses e Marcos Alonso juntaram-se aos três centrais do Chelsea e a equipa formou assim uma linha de cinco defesas. Mais ainda, para condicionar o jogo pelo centro da equipa espanhola, o Chelsea deixou apenas Hazard como o homem mais na frente e preencheu o meio campo com os restantes médios, o que levou a uma fraca produção ofensiva do Barcelona.

Sempre com os olhos postos no contra-ataque, foi então que surgiu para a equipa da casa um inspiradíssimo Willian. O extremo brasileiro fez uma exibição de gala e foi o principal responsável pelos momentos de ataque do Chelsea. Com arrancadas estonteantes, foi graças a ele que surgiu o primeiro amarelo do jogo. Depois de tirar três adversários da frente numa jogada fantástica, só com recurso à falta é que Rakitic conseguiu travar o brasileiro. Willian voltou a mostrar que estava numa noite “sim”, e depois de mais uma grande jogada, rematou em jeito fora de área com a bola a embater com estrondo no poste da baliza do Barça aos 33 minutos da primeira metade. Sete minutos depois, quem mais poderia ser? Willian, pois claro, com outro remate de fora de área acerta novamente no poste, com o guarda redes ter-Stegen apenas a seguir a bola com os olhos.

A primeira parte chegou ao fim e a posse de bola marcava 30-70 (%), favorável à equipa espanhola que podia dar-se por contente por ao intervalo o nulo ainda se manter.

No recomeço do encontro, o jogo em pouco ou nada mudou. O Chelsea muito bem organizado defensivamente a anular o poderio do Barça e a procurar saídas rápidas para o ataque. O que mudou da primeira para a segunda metade, foi mesmo a pontaria do endiabrado Willian que aos 63 minutos recebe a bola de Hazard à entrada da área, tira Busquets do caminho como se nada fosse e remata em arco para o fundo da baliza. Imparável para ter-Stegen. O Chelsea estava na frente da eliminatória.

Imediatamente a seguir ao golo, Valverde retira o apagado Paulinho e faz entrar Aleix Vidal em campo. O Barcelona voltou a ter bola e voltou a instalar-se no meio campo do Chelsea, procurando sucessivamente passes de rutura que esbarravam sempre no senhor do meio campo dos londrinos: N´Golo Kante. Com o jogo a aproximar-se do quarto de hora final e com a equipa de Antonio Conte com o jogo controlado e sempre muito concentrada para parar os ataques do líder do campeonato espanhol, eis que aos 75 minutos surge o erro da noite: Christensen faz um passe completamente disparatado da lateral para o meio e para onde não estava nenhum companheiro de equipa. Se os erros na Champions se pagam caro, contra o Barça são fatais. Iniesta chega primeiro que Azpilicueta e fica isolado na área do Chelsea. A partir daí, tudo simples. Passe atrasado para Messi que com um verdadeiro penalty em andamento não desperdiçou. Estava feita a igualdade e a equipa do astro argentino passava para a frente da eliminatória.

Nos últimos 15 minutos, o Chelsea perdeu o controlo do jogo e o Barcelona carregou sobre a equipa da casa, acabando este domínio por não se materializar em mais nenhum golo. Em cima do minuto 90, Hazard encaminhava-se para uma arrancada perigosa de contra-ataque, mas Busquets com muita inteligência faz uma falta importante evitando que o belga pudesse criar mais algum calafrio à sua defesa.

O jogo da segunda mão está marcado para dia 14 de março e os homens liderados por Conte vão agora ao terreno do Barça, em Camp Nou, tentar dar a volta à eliminatória e tentar garantir assim presença nos quartos de final da liga milionária

VAVEL Logo