Sérgio Conceição:«Será talvez um dos jogos mais difíceis que iremos disputar fora até ao final da época.»
Sérgio Conceição:«É um campo tradicionalmente difícil e será talvez um dos jogos mais difíceis que iremos disputar fora, até ao final da época.»

Sérgio Conceição:«Será talvez um dos jogos mais difíceis que iremos disputar fora até ao final da época.»

O técnico portista fez este sábado, a antevisão do encontro frente ao Portimonense, a contar para a 24ª jornada da Liga NOS.

leandra-caldas
Leandra Caldas

Na conferência de imprensa que antecede  a deslocação ao Algarve, Sérgio Conceição mostra-se consciente face à qualidade da equipa que irá defrontar.

«Esperamos encontrar uma equipa competente, que tem feito um excelente campeonato, que está talvez no melhor período da época, salvo erro, com três vitórias consecutivas.

É um campo tradicionalmente difícil e será talvez um dos jogos mais difíceis que iremos disputar fora, até ao final da época. Isto faz-nos estar alerta e preparados para estas mesmas dificuldades, para tentar ganhar o jogo.»

 

Quando questionado acerca dos dois jogos já disputados com o Portimonense e do elevado número de golos marcados, o treinador dos azuis e brancos responde mais uma vez convicto da qualidade dos Algarvios.

«Eu penso que depois dos quatro primeiros classificados, a equipa do Portimonense é a equipa com mais golos na liga e isso é bem demonstrativo do poder ofensivo que têm.

 Estamos precavidos em relação a isso e temos consciência que todos os momentos do jogo são importantes. O equilíbrio e organização defensiva têm de ser a base para nós ganharmos o jogo.»

 

Durante a conferência de imprensa, foram colocadas em questão as baixas do Futebol Clube do Porto e a forma como estas iam ser geridas, Sérgio Conceição demonstrou alguma preocupação, mas tentou desvalorizar reforçando a ideia de que é necessário trabalhar de forma a estarem aptos para ir a jogo o mais rápido possível.

«Temos muitos problemas naquilo que são as lesões, eu tenho de arranjar soluções, aliás os treinadores têm que pensar naquilo que são as alternativas e naquilo que nós temos á disposição. Fazendo a gestão daquilo que é a época neste momento, ou por castigo, ou por lesão, temos que encontrar essas mesmas soluções para ganhar os jogos.

Obviamente que eu gosto de ter toda a gente á disposição, mas não me refugio nem tento encontrar desculpas nas limitações que possa ter a esse nível, caso contrário contrario-me ao dizer que tenho um plantel competitivo e que todos os jogadores me dão garantias e confiança.

O Corona recuperou da lesão, mas independentemente disso não pode ir a jogo porque vai cumprir castigo, se não fosse isso, obviamente que seria uma solução. Temos de viver com isso, faz parte e vamos tentar recuperar o mais rápido possível.»

 

Houve ainda tempo de questionar o técnico Portista acerca da titularidade de Iker Casillas, se o mesmo possuía um espírito de «dragão» e da possibilidade de este assumir a titularidade da baliza portista até ao final da época, pergunta à qual Sérgio Conceição respondeu de forma muito subtil.

«Eu não analiso um jogador em função de declarações, a avaliação que faço é baseada naquilo que é o trabalho diário, naquilo que é o comportamento no balneário, isso para mim é que é importante e o Iker tirando aquele período onde houve e já foi muita falada aquela situação, o Iker voltou de imediato a estar á disposição, logo na semana seguinte, voltou a estar á disposição de acordo com aquilo que é a minha exigência. Eu acho que o espirito de competitividade e querer ganhar que ele demonstrou, é o espirito do balneário.»

Por fim, o treinador da equipa das antas foi questionado em relação á vantagem de cinco pontos com que o Futebol Clube do Porto lidera a tabela classificativa. Sérgio Conceição tentou não sobrevalorizar a vantagem deixando em aberto a ideia de que as equipas vão ainda perder pontos nos jogos que faltam.

«Nós gostamos de sentir essa pressão, mas ter esses pontos de vantagem é uma responsabilidade para nós. Tem de nos deixar em alerta, tem de nos deixar desconfiados. A equipa pode pensar que já foi tudo conquistado, mas nada foi conquistado. As equipas ainda vão perder pontos nos jogos que faltam. Temos de estar sempre em alerta. Aqueles 45 minutos fantásticos frente ao Estoril só fazem sentido se vencermos o jogo de amanhã.

O importante para mim é acabar o campeonato com mais um ponto do que o segundo classificado. Mais cinco pontos para mim não me dizem nada. Este ano são três a lutar pelo campeonato, não são dois como nos anos anteriores. Não podemos olhar só para a pequena vantagem que temos.»

O pontapé de saída desta partida está marcado para Domingo, pelas 20h15 no Estádio Municipal de Portimão com arbitragem a designar.

VAVEL Logo