Desastre central

Desastre central

Sporting perde em Madrid com o Atlético, e fica em desvantagem nestes quartos de final da Liga Europa. Erros defensivos custaram caro à equipa de Jorge Jesus que precisa de um grande jogo em Alvalade para pode ser seguir em frente na prova da UEFA.

goncalo-santos
Gonçalo Santos


O Sporting terá pela frente uma missão bastante difícil em Lisboa, na próxima semana, para estar nas meias-finais da Liga Europa. É que, na noite desta quinta-feira, os 'leões' foram à casa do Atlético de Madrid perder por 2-0, na primeira mão dos quartos de final da competição.

A exibição do emblema 'verde e branco' ficou manchada pelos erros individuais graves dos seus defesas, nomeadamente de Sebastián Coates e Jérémy Mathieu, que tiveram influência direta nos golos 'colchoneros'.O primeiro deles, logo aos 23 segundos de jogo.

A turma de Diego Simeone saiu com a posse, perdeu-a para o Sporting, mas Coates ofereceu a bola a Diego Costa. O hispano-brasileiro viu Koke desmarcar-se, já na área 'leonina', e o médio, na cara de Rui Patrício, não desperdiçou; estava inaugurado o marcador no Wanda Metropolitano.


Mas o Sporting soube reagir, e bem, ao golo sofrido. Os pupilos de Jorge Jesus subiram as linhas, passaram a jogar no meio-campo adversário e a ter a bola em seu poder durante grande parte do tempo.


O problema estava na hora de criar situações de perigo junto da baliza de Jan Oblak. A única digna de registo durante o primeiro tempo ocorreu já para lá da meia hora de jogo, quando Bruno Fernandes abriu para Gelson Fernandes, que se desmarcou rapidamente no corredor central para receber o passe e rematar, só que para a defesa do guarda-redes esloveno do Atlético.


O Sporting começava a acreditar que era possível fazer estragos junto da baliza 'rojiblanca', mas o setor defensivo voltou a comprometer quando menos se esperava. Mathieu falhou a intercepção de um passe de um jogador do Atlético, num lance que parecia ter controlado, e deixou a bola chegar a Antoine Griezmann. Isolado para Patrício, o talentoso avançado francês atirou a contar e ampliou a vantagem da sua equipa, que já vencia por 2-0; jogava-se o minuto 40 da partida.


Na segunda parte, os 'leões' pareciam ter perdido o ânimo. William Carvalho foi rendido por Marcos Acuña um minuto antes do intervalo - provavelmente devido a problemas físicos, já que o médio português estava a ser um dos melhores no terreno de jogo -mas a substituição fez mal aos homens de Alvalade.


Sem William, o Sporting perdeu o controlo do meio-campo e a entrada de Kévin Gameiro para o lugar de Ángel Correa, no início da segunda parte, baralhou as marcações dos 'verde e brancos', que sentiram muitas dificuldades nos minutos seguintes - isto, já depois de Diego Costa ter perdido a bola para Patrício em zona privilegiada, na área do Sporting, após nova falha escandalosa de Coates.


O Atlético passou a jogar próximo da área 'leonina' e a ter a bola mais tempo em seu poder. O jogo estava perfeito para o conjunto orientado por Simeone, que não só defendia uma preciosa vantagem no jogo e na eliminatória com a posse, como tentava marcar mais um golo, sempre que descobria espaços na defesa 'verde e branca'. Mas o guarda-redes do Sporting realizou uma exibição segura e evitou que a equipa portuguesa sofresse mais golos.


Já para lá dos 90', na recarga a um remate de Bryan Ruiz, defendido por Oblak, Fredy Montero teve nos pés o golo do Sporting, só que atirou... para a bancada. Com tudo para marcar, na área do Atlético, o colombiano acabou por chutar sem qualquer direção, desperdiçando uma oportunidade de ouro para os 'leões' saírem de Madrid com um golo fora de portas na eliminatória.


Como se não bastasse, Fábio Coentrão e Bas Dost viram cartão amarelo e estão, por isso, castigados para o encontro da segunda mão, agendado para a próxima quinta-feira (12), em Alavalde.


Perante o seu público, o Sporting terá de apresentar outra coesão defensiva, assim como mais acerto no último passe e na hora de atirar à baliza do Atlético, se quiser virar a eliminatória a seu favor. Missão complicadíssima para a única equipa portuguesa ainda em prova nas competições europeias em 2017/2018.

VAVEL Logo