Bruno de Carvalho suspende jogadores, volta atrás, e deixa Jesus convocar os "que quiser"
Bruno de Carvalho suspende jogadores, volta a atrás, e deixa Jesus convocar os "que quiser"

Bruno de Carvalho suspende jogadores, volta atrás, e deixa Jesus convocar os "que quiser"

Depois de ter suspendido a grande maioria do plantel principal do Sporting, o presidente do emblema lisboeta acabou por decidir dar liberdade ao treinador para elaborar a convocatória à sua maneira para o jogo deste domingo, com o Paços de Ferreira.

goncalo-santos
Gonçalo Santos


O clima está de cortar à faca em Alvalade. Tudo começou depois da derrota (2-0) para o Atlético, em Madrid, na primeira mão dos quartos de final da Liga Europa, na quinta-feira. Terminado o encontro no Wanda Metropolitano, o líder 'leonino' acusou os jogadores 'verde e brancos' de falta de concentração, e dirigiu-se individualmente a alguns dos futebolistas.


"Uma equipa com atitude mas com uma defesa que não esteve concentrada. Coates e Mathieu a fazerem o que os avançados do Atlético não conseguiam (...). Gelson aos 32m isolado frente a Oblak, em vez de "fuzilar" para a esquerda, tenta colocar em jeito, mas sem força, para o lado direito perdendo um golo que já quase se gritava (...). Fábio [Coentrão] e Bas Dost "não quiseram jogar" em Alvalade, com faltas para amarelo que nunca poderiam ter feito (...). E, para terminar, Montero aos 92m desperdiçou um golo feito com um remate para o céu quando só se pedia um simples encosto", foram apenas algumas das frases que escreveu Bruno de Carvalho na sua conta do Facebook.


No dia seguinte, o plantel do Sporting reagiu. E de forma conjunta. Nas redes sociais, 19 jogadores do clube partilharam um comunicado no qual se mostraram contra as palavras do presidente.


"(...) Em nome de todo o plantel do SCP, espelhamos neste texto o nosso desagrado, por vir a publico as declarações do nosso Presidente, após o jogo de ontem, no qual obtivemos um resultado que não queríamos… a ausência de apoio, neste momento…, daquele que deveria ser o nosso líder. Apontar o dedo para culpabilizar o desempenho dos atletas publicamente, quando a união de um grupo se rege pelo esforço conjunto, seja qual for a situação que estejamos a passar, todos os assuntos resolvem-se dentro do grupo (...)", pode ler-se no comunicado divulgado pelos atletas do Sporting.


Todos os que o subscreveram, contudo, acabaram suspensos por Bruno de Carvalho, como o próprio fez questão de confirmar, novamente, através do seu Facebook.


"MENINOS AMUADOS, ENTÃO VAMOS RESOLVER... No Sporting CP não se vive na República das Bananas. Todos os atletas que escreveram o que em baixo descrevo estão imediatamente suspensos, tendo de enfrentar a disciplina do Clube", anunciou o dirigente.


Sendo assim, a partir desse momento, Fábio Coentrão, Gelson Martins, Piccini, Acuña, Battaglia, Bryan Ruiz, Bruno Fernandes, Montero, Ristovski, Wendel, Rúben Ribeiro, Doumbia, Bruno César, Podence, João Palhinha e Rafael Leão passaram a estar suspensos e proibidos de entrar nas instalações do Sporting. Uma lista à qual acabou por se juntar Bas Dost, que não utiliza as redes sociais, mas que se solidarizou com a causa do plantel. Doumbia e Rúben Ribeiro apagaram o comunicado das suas páginas e foram imediatamente despenalizados.

Chegou-se a pensar que, para defrontar o Paços de Ferreira neste domingo, em encontro válido pela Liga NOS, os 'leões' teriam de recorrer à sua equipa B. Entretanto, porém, os ânimos aparentam ter serenado em Alvalade.


Neste sábado, jogadores, presidente e treinador do Sporting reuniram-se para discutir as últimas incidências, num encontro que teve lugar no próprio estádio do clube. Pelo que nos conta a imprensa desportiva nacional, o assunto não ficou totalmente resolvido - nenhuma das partes terá sequer pedido desculpa -, mas Bruno de Carvalho decidiu retirar a suspensão aos seus atletas, que aceitaram treinar para ir a jogo diante do Paços.


Algumas horas depois, foi a fez de se pronunciar Jorge Jesus, mas em público. Numa conferência de imprensa realizada em Alvalade, o técnico 'verde e branco' esclareceu que tem à sua disposição todos os atletas da equipa principal do Sporting. À excepção, naturalmente, dos que estiverem lesionados ou castigados.


"Tudo o que se passou vai ficar no seio da equipa. O presidente deu-me liberdade para convocar os jogadores que eu quiser, como é habitual. Ainda temos um treino na Academia e depois disso vou convocar todos os jogadores disponíveis fisicamente", explicou Jesus, que deixou ainda um apelo aos adeptos sportinguistas:


"Cada jogo é uma final e estamos dependentes dos objetivos contabilizados jogo a jogo. É importante que os adeptos apareçam em grande número e deem uma demonstração do que está em jogo. O mais importante é não haver divisão na massa associativa, porque a paixão do presidente, dos jogadores e do treinador é igual. Gostava de ver o estádio composto para ajudar a equipa".


De momento, portanto, o 'fogo' parece estar controlado em Alvalade. Ainda existirão, contudo, arestas por limar na relação presidente-jogadores - e não esquecer, claro, Jorge Jesus, que não terá ficado satisfeito com a possibilidade de ter de jogar com a equipa B neste domingo.


Será curioso também perceber a forma como irá reagir a massa adepta do Sporting no estádio, já que os 'verde e brancos' jogam em casa diante dos 'castores'.

VAVEL Logo