A sorte não protegeu os audazes

Exibição de categoria não evitou o afastamento da Liga Europa. O Sporting bateu o Atlético de Madrid por 1-0, e ficou a um golo de levar a eliminatória para o prolongamento. Não houve justiça em Alvalade.

O Sporting esteve muito perto de surpreender a Europa do futebol, eliminando o Atlético de Madrid da Liga Europa. Mas não aconteceu. Na noite desta quinta-feira, os 'leões' venceram, é certo, por 1-0, mas o resultado foi insuficiente para a turma de Jorge Jesus avançar para as meias-finais - os 'colchoneros' ganharam na primeira mão, em Madrid, por 2-0.

O emblema lisboeta necessitava, por isso, de marcar dois golos para levar a melhor nestes quartos de final. E foi o que tentou fazer desde o primeiro minuto.

Aos 4', Marcos Acuña ganhou a bola de cabeça na área 'rojiblanca', mas atirou por cima da baliza de Jan Oblak. Pouco depois, aos 12', na sequência de um canto cobrado por Bruno Fernandes, Sebastián Coates saltou mais alto que toda a gente para cabecear, só que para a defesa do guarda-redes esloveno. E que defesa. O antigo guardião do Benfica 'voou' de um lado ao outro da baliza para afastar o remate do central do Sporting das suas redes, e evitar que o marcador se alterasse.

O conjunto 'verde e branco', em desvantagem na eliminatória, encostava o Atlético à sua área nesta primeira meia hora, e com resultados práticos: conseguia jogar próximo da baliza espanhola e criar ocasiões de perigo. O que não mudou com a saída de Mathieu, que, devido a problemas físicos, teve que dar o lugar a Radosav Petrovic. O Sporting jogava com três centrais - Coates e André Pinto completavam o trio -, e o sérvio atuou no eixo da defesa, mesmo sendo um médio de raiz.

Até que chegou o tão desejado golo. À passagem do minuto 28, Fredy Montero recebeu um cruzamento de Bruno Fernandes, na sequência de um dos inúmeros cantos que o Sporting bateu à maneira curta, e, de cabeça, encostou para o fundo das redes do Atlético, inaugurando o marcador; ficou a sensação de que Oblak poderia ter feito mais na recação ao passe do médio português, mas o guardião acabou por não conseguir afastar a bola, deixando-a à mercê de Montero, que não desperdiçou a oportunidade para abrir o ativo.

Pouco depois, Gelson Martins - um dos melhores jogadores em campo, a par de Bruno Fernandes e Rodrigo Batagglia - teve na cabeça o 2-0, mas atirou para fora.

O golo dava esperanças aos 'leões', e vinha trazer justiça ao resultado. Desgastada, depois da procura incessante pelo 1-0, a equipa 'leonina' continuou por cima do jogo até ao final da primeira parte, e, em cima do intervalo, e de meia distância, foi capaz de voltar a assustar os pupilos de Diego Simeone. Com um remate arrojado, Bryan Ruiz tentou a sorte 'do meio da rua', mas permitiu nova grande defesa a Oblak.

Motivado pelo golo, o Sporting precisava do intervalo para repor energias, mas a verdade é que o descanso também fez bem ao Atlético. O emblema da capital espanhola estava desorientado em campo, com muitas dificuldades para chegar à baliza à guarda de Rui Patrício; a palestra de Simeone no balneário estava a fazer falta à equipa.

No segundo tempo, os 'colchoneros' aparentavam estar mais concentrados e focados no objetivo de ter a bola; afinal, era do interesse do Atlético manter a posse, para evitar que o Sporting chegasse ao segundo golo e, consequentemente, empatasse a eliminatória. Ainda assim, eram os 'verde e brancos' que continuam a criar perigo.

Os minutos passavam e os desgaste ia apoderando-se dos futebolistas 'leoninos'. Bruno Fernandes e Gelson, sobretudo, acusavam o cansaço, e o ritmo de jogo, naturalmente, diminuía. E o Sporting jogava com as linha subidas, o que acabou por permitir a aproximação dos 'colchoneros' à sua baliza.

Os espanhóis, de resto, só não marcaram porque Antoine Griezmann não estava nos seus dias. Em dois minutos, já na reta final do desafio, o avançado francês apareceu na cara de Patrício em duas ocasiões, mas nunca conseguiu acertar com a baliza; na primeira, permitiu a defesa do guarda-redes português, e, na segunda, atirou para fora.

O Sporting já não foi capaz de fazer muito mais em termos ofensivos até ao apito final do árbitro Milorad Mazić, e acabou eliminado da Liga Europa. A equipa comandada por Jorge Jesus, contudo, pode alegar que fez por merecer um resultado bastante diferente. Depois de uma semana atribulada - os problemas começaram, precisamente, depois da derrota na primeira mão desta eliminatória -, a equipa demonstrou que nunca dá a cara à luta, e foi por pouco, por muito pouco, que não conseguiu presentear os adeptos com as meias-finais da Liga Europa.

Em suma, uma vitória que soube a derrota em Alvalade, aquela que o Sporting alcançou esta noite, sobre uma das melhores equipas de futebol do mundo na atualidade.