Mais um 'show' da Rússia no 'seu' Mundial

Mais um 'show' da Rússia no 'seu' Mundial

Seleção anfitriã voltou a dar espetáculo no Campeonato do Mundo, desta vez para vencer o Egito, que não aproveitou o regresso de Salah à competição e perdeu pela segunda vez na prova.

goncalo-santos
Gonçalo Santos

Dois jogos, duas vitórias: é esta a fantástica prestação da Rússia ao cabo da segunda jornada do grupo A do Mundial'2018, após novo triunfo, na noite desta terça-feira.

Na Arena Zenit, em São Petersburgo, a nação anfitriã deste Campeonato do Mundo bateu o Egito por 3-1, e passou a somar seis pontos na liderança do seu grupo. Um triunfo do Uruguai sobre a Arábia Saudita, na quarta-feira, garantiria a qualificação do conjunto do Leste Europeu para os oitavos de final da competição da FIFA.

A jogar perante o seu público, a Seleção Russa foi a melhor em campo durante os 90 minutos, dando poucas hipóteses de reação ao seu adversário. Ainda assim, os golos só surgiram no segundo tempo, já depois de ter desperdiçado várias ocasiões.

É que o Egito parecia ter feito o mais difícil: chegar ao intervalo mantendo o nulo no marcador. No entanto, levou com um enorme 'balde de água' fria logo nos primeiros instantes da segunda parte: aos 47', quando tentava afastar da área egípcia um cruzamento dos russos, o capitão Fathy Ahmed colocou a bola na própria baliza e colocou os anfitriões em vantagem no marcador.

Galvanizada pelo golo, a equipa orientada por Stanislav Cherchesov foi à procura de dilatar a vantagem, e, no espaço de três minutos, conseguiu resolver a questão, de forma pragmática: aos 59', Denis Cheryshev respondeu da melhor maneira possível a um cruzamento da direita de Mário Fernandes para apontar o 2-0; e, logo depois, aos 62', Artem Dzyuba puxou dos galões para deixar a defesa africana 'às aranhas' e apontar o 3-0, após excelente trabalho individual.

A armada russa havia, desta forma, construído um resultado confortável e que praticamente assegurava a vitória. Sem surpresas, os comandados por Héctor Cúper começaram a aproximar-se da baliza à guarda de Igor Akinfeev, mas o melhor que conseguiram fazer foi encurtar distâncias.

A pouco mais de um quarto de hora do final do tempo regulamentar, aos 73', Mohamed Salah converteu uma grande penalidade, que ele próprio havia sofrido, para apontar o 3-1 final. O avançado do Liverpool voltou à competição algumas semanas depois da lesão sofrida na final da Liga dos Campeões, mas passou um pouco ao lado do jogo.

Como seria de esperar, a sua condição afetou-o e Salah foi incapaz de evitar a segunda derrota em outros tantos jogos do Egito neste grupo A do Campeonato do Mundo. As hipóteses de apuramento dos egípcios, que somam zero pontos na fase de grupos. são praticamente nulas.

VAVEL Logo