2018: a queda do sonho 
Foto: SL Benfica

2018: a queda do sonho 

O que seria o maior sonho acabou por se tornar um pesadelo. O ano dos encarnados deixou muito a desejar

marcelo-morais
Marcelo Morais

2018 poderia ter sido um ano histórico para todos os benfiquistas. O sonho era a conquista do inédito pentacampeonato.  No entanto, o sonho encarnado foi desfeito pelos dragões comandados por Sérgio Conceição, que terminaram com a hegemonia das águias que durou 4 anos.

 A fase final do campeonato ficou marcada pela luta acesa entre as duas equipas. No final da jornada 29, o Benfica liderava a classificação com um ponto de vantagem sobre os dragões. O jogo que se revelou decisivo nas contas do campeonato foi o clássico da jornada 30. O Benfica recebeu o FC Porto em casa e, apesar da exibição, acabou por perder o jogo nos instantes finais com um golo de Herrera, deixando os dragões com caminho livre para a conquista do título. No final, a equipa de Rui Vitória acabou por terminar a 7 pontos do primeiro classificado.

Também na Taça de Portugal o cenário para os encarnados não foi o melhor. O Benfica acabou por ser afastado nos oitavos de final no terreno do Rio Ave, no prolongamento. O Desportivo das Aves acabou por vencer a prova na final frente ao Sporting CP. Esta prova representou um fracasso na época dos encarnados.

O desempenho da equipa de Rui Vitória na Taça da Liga foi de igual forma dececionante. O Vitória de Setúbal terminou o Grupo A na primeira posição, vencendo o grupo e deixando o Benfica eliminado na primeira fase. Os sadinos chegaram à final, na qual foram derrotados pelo Sporting CP.

O péssimo despenho na fase de grupos da UEFA Champions League na época 17/18, deixou os encarnados sem competições europeias durante a segunda metade dessa temporada. Mesmo com o calendário mais leve, a equipa de Rui Vitória não consegui vencer qualquer título.

Depois do Mundial da Rússia e da janela de transferências arrancou uma nova época. O Benfica reforçou vários setores do seu plantel, assumindo uma aposta que permita alcançar o objetivo definido para este ano: a reconquista. No entanto, as caras novas apresentadas pelos encarnados não têm brilhado da forma esperada. Conti e Lema não foram capazes de assumir um papel importante na defesa encarnada. Gabriel tem vindo a ter algumas oportunidades mas as suas exibições deixam muito a desejar. Castillo e Ferreyra não mostraram a eficácia esperada e estão na porta de saída. O único que chegou e assumiu um papel de titular na equipa foi o guarda-redes Vlachodimos. Já no decorrer da presente temporada, Luisão “pendurou as botas” depois de mais de uma década ao serviço do clube da Luz.

A equipa de Rui Vitória acabou por entrar numa crise de vários jogos sem conhecer o sabor da vitória. O próprio treinador esteve com pé e meio fora do clube mas o presidente decidiu manter Rui Vitória no cargo até ao final da temporada.

O Benfica terminou 2018 com um empate frente aos Desportivo das Aves, garantindo a passagem à final four da Taça da Liga, onde vai defrontar o FC Porto.

Na Taça de Portugal, as águias estão nos quartos de final onde vão medir forças com o Vitória de Guimarães.

No campeonato, o Benfica termina 2018 na segunda posição, a 4 pontos do líder FC Porto. Na última jornada deste ano, os encarnados receberem e golearam o SC Braga por 6-2, na melhor exibição em muito tempo.

O 3º lugar na fase de grupos da UEFA Champions League colocou os encarnados na Liga Europa onde vão defrontar o Galatasaray.

O Benfica está vivo em todas as frentes. 2018 prometeu ser histórico e acabou por ser dececionante. O ano que se avizinha pode consagrar-se como o ano da “reconquista” pois para além dos títulos, os adeptos esperam ser reconquistados com vitórias, títulos e boas exibições.

VAVEL Logo