Keizer x Lage
Fonte: SL Benfica / JN 

Keizer x Lage

Não começaram a época mas são os homens encarregues de comandar as suas equipas em busca de títulos. Frente a frente entre Marcel Keizer e Bruno Lage

marcelo-morais
Marcelo Morais

Marcel Keizer

A chegada de Frederico Varandas à presidência do Sporting teve influência imediata no comando técnico da equipa principal dos leões. José Peseiro foi dispensado e o holandês Marcel Keizer tomou conta da equipa de Alvalade. O técnico de 50 anos acumula alguma experiência no seu país, tendo passado pelo Ajax.

Não se registaram grandes alterações na estrutura da equipa do Sporting com a troca de treinadores. Keizer ainda se encontra num processo de adaptação ao país, ao clube e aos jogadores. Coates e Mathieu são os pilares defensivos da equipa. Bruno Fernandes, Nani e Bas Dost são algumas das peças fundamentais no quadro do técnico holandês.

Recentemente o Sporting venceu a Taça da Liga, o primeiro título de Marcel Keizer na sua carreira como treinador. A sorte sorriu nas grandes penalidades frente ao SC Braga e também frente ao FC Porto. O desgaste causado pela competição levou o Sporting a perder pontos na visita ao Bonfim, mas também moralizou os jogadores para o resto da temporada.

Bruno Lage

Bruno Lage foi a solução caseira para a crise no clube encarnado. Os maus resultados que Rui Vitória vinha demostrando nos últimos tempos levaram Luís Filipe Vieira a tomar medidas, surgindo assim esta oportunidade para Bruno Lage. O técnico abandonou o comando da equipa B do Benfica para liderar a equipa principal num processo de remodelação. O técnico de 42 anos tem agora o maior desafio da carreira, até ao momento. Passou já pelo Sheffield Wednesday e pelo Swansea mas na condição de assistente e tem agora a oportunidade de mostrar o seu valor como técnico principal.

Não houve uma revolução associada à troca de treinadores no Benfica. Houve sim pequenas alterações que são normais com as trocas de treinadores. Bruno Lage trocou o 4-3-3 que Rui Vitória vinha utilizando pela 4-4-2 característico do Benfica desde o tempo de Jorge Jesus no comando técnico das águias. Na defesa nada mudou. Grimaldo, Jardel, Rúben Dias e André Almeida são os titulares indiscutíveis na zona mais recuada do terreno. No meio campo a dois, Bruno Lage surpreendeu. A lesão de Fejsa obrigou a alterações e assim Samaris, que parecia estar na porta de saída voltou à equipa. O bom desempenho que o grego tem demostrado colocam algumas dúvidas em relação ao regresso imediato de Fejsa ao onze do Benfica. Também Gabriel ganhou uma nova vida com a chegada de Bruno Lage. O médio brasileiro é o “oito” do Benfica, deixando Gedson Fernandes no banco e libertando Pizzi para a ala. No ataque das águias, a dupla João Félix e Seferovic tem dado frutos. Esta combinação inédita imposta por Bruno Lage estará certamente relacionada com a lesão de Jonas que, caso semelhante ao de Fejsa, terá que trabalhar arduamente para reconquistar um lugar no onze do Benfica.

 

Aproxima-se o primeiro de dois derby seguidos. O primeiro para o campeonato, onde quem perder fica a ver as possibilidades de chegar ao título ficarem demasiado escassas. O segundo numa batalha por um lugar no Jamor. Será o primeiro derby lisboeta para ambos treinadores, que, enquanto procuram adaptar-se, trabalham com as suas equipas para alcançar a vitória. Qual será a mente tática vencedora? Keizer ou Lage?

VAVEL Logo