March Madness: conheça os destaques e futuras promessas da NBA

Pivô dominante, alas talentosos e armador afiado do perímetro são algumas das qualidades das promessas que tem tudo para brilhar no torneio universitário e entrar na NBA na próxima temporada

March Madness: conheça os destaques e futuras promessas da NBA
Foto: VAVEL.com

O March Madness começou nesta terça-feira (13) e o torneio promete muitas loucuras como nos anos anteriores. Os fãs do esporte vão poder acompanhar de perto um pouco mais sobre os principais jogadores universitários e conhecer as futuras promessas da NBA. 

Alguns nomes já são conhecidos entre os fãs de basquete, como o pivô DeAndre Ayton e o armador Trae Young, conhecido por seus arremessos de três pontos e suas assistências, algo que chamou a atenção do astro LeBron James e despertou o interesse do Cleveland Cavaliers. A VAVEL Brasil destacou os principais jogadores que vão estar em ação no March Madness e fez uma análise sobre cada um. 

DeAndre Ayton (Arizona)

DeAndre Ayton é um pivô praticamente completo dos dois lados da quadra. É um excelente defensor e pela altura elevada (2,16 metros) leva vantagem defendendo o aro. Possui um físico avançado em relação aos atletas de sua classe e tem uma grande envergadura. Ayton é um reboteiro nato, tem bom passe comparado com outros jogadores de sua posição e consegue pontuar de diversos lugares, mesmo tendo um jumpshot irregular. É ótimo jogando dentro do garrafão, praticamente impossível de ser marcado. Excelente prospecto e candidato a ser primeira escolha do NBA Draft 2018. 

DeAndre Ayton é o jogador mais promissor da classe 2018 (Foto: Getty Images)

Marvin Bagley III (Duke)

O ala Marvin Bagley III é rápido e muito explosivo para um jogador que pode atuar até na posição quatro. Bagley tem bom controle de corpo e é versátil ofensivamente, com capacidade para pontuar dentro e fora do garrafão, e também em transição por conta de sua velocidade. Na defesa, é bom marcador no perímetro.

Em contrapartida, falta ao jogador ser mais consistente em todos os pontos dentro da quadra. Precisa envolver melhor os companheiros e cometer menos turnovers. É um prospecto com muito potencial e provavelmente será uma das primeiras escolhas do NBA Draft 2018. 

Marvin Bagley III é o destaque de Duke (Foto: Getty Images)

Michael Porter (Missouri)

Saudável, Michael Porter tem potencial para ser até a próxima grande estrela da NBA e candidato a ser uma das primeiras escolhas do Draft 2018. É um jogador maduro, inteligente e competitivo. Sabe coordenar bem as posses de bola e costuma tomar boas decisões, sem forçar jogadas precipitadas. É ótimo arremessador, principalmente nos arremessos de fora, e eficiente pontuador. Por outro lado, precisa evoluir na hora de atacar a cesta ou finalizando contestado, e também jogando no post. Na defesa, é bom marcador e bom reboteiro. O grande problema é ver como Porter chegará ao March Madness após uma grave lesão.

Michael Porter Jr retorna de grave lesão (Foto: Getty Images)

Jaren Jackson Jr (Michigan State)

Fisicamente é um prospecto excelente e possui boa base. Defensor versátil, se move muito bem na quadra e tem bom trabalho de pernas. Tem mobilidade para defender vários jogadores da sua posição, mesmo sendo mais baixo. Pontua bem no garrafão com as duas mãos, é veloz na hora de atacar em situação de 'um contra um', mesmo que o defensor seja maior e mais pesado. Não costuma arremessar tanto, mas é consistente do perímetro. Por outro lado costuma dar umas bobeiras na marcação, perdendo alguns box-out's. Precisa melhorar o passe e evoluir mais o jogo ofensivo. 

Jaren Jackson Jr é um dos destaques da equipe de Michigan State (Foto: Getty Images)

Mohamed Bamba (Texas)

Mohamed Bamba possui uma envergadura incrível. Tem potencial para ser um defensor incrível na carreira, além de ser um grande reboteiro. Fisicamente é diferenciado e tem um arremesso sólido para um jogador do seu tamanho (2,11 metros) e posição. Ofensivamente ainda deixa a desejar, mas tem potencial para desenvolver.

O único problema para um jogador do seu tamanho e posição é que Bamba é 'franzino'. Se ganhar corpo e ficar mais forte, tem tudo para se tornar uma máquina dentro do garrafão. Além disso, outro lado negativo é que muitas vezes age de forma imatura, mostrando 'desinteresse' dentro do jogo e demorando a reagir nas jogadas. 

Bamba é o líder do time de Texas e um dos destaques da posição em sua classe (Foto: Getty Images)

Trae Young (Oklahoma)

Trae Young é o queridinho dos fãs de basquete atualmente. Tem estilo de jogo que lembra bastante o astro Stephen Curry. É uma ameaça do perímetro, conseguindo arremessar realmente de qualquer lugar. Consegue criar o próprio arremesso, finalizar após o drible e tem um bom floater. Por ser perigoso no perímetro, consegue achar formas para infiltrar, já que seus defensores estão preocupados com seus arremessos de fora. Bom passador, exatamente por atrair a marcação muitas vezes e deixar seus companheiros livres. 

Porém, Trae Young tem muitos defeitos. É limitado fisicamente porque é baixo e não tem um vertical tão bom. Além disso, comete muitos turnovers por optar por jogadas precipitadas e peca na seleção dos seus arremessos, muitas vezes desnecessários. Defensivamente também é um grande problema, porque Young não é explosivo ao ponto de acompanhar armadores mais velozes, além de não possuir força para defender. Embora tenha esses contras, é um bom prospecto e será uma das primeiras escolhas do NBA Draft 2018.

Trae Young tem estilo de jogo que lembra Stephen Curry (Foto: Getty Images)

Mikal Bridges (Villanova)

Bridges provou que ficar mais dois anos na faculdade foi a decisão certa para desenvolver o seu jogo. O ala é pura evolução. Ele deixou de ser apenas um ótimo defensor para se tornar um dos melhores arremessadores do país. Provavelmente, Bridges é o melhor two-way players de toda a classe que irá para o NBA Draft 2018, com qualidade de defender e atacar no mesmo alto nível.

Consegue ser bem importante para o coletivo do Villanova com atuações sólidas nos dois lados da quadra. Além disso, é inteligente e costuma sempre tomar boas decisões em quadra. Porém, precisa aprender atacar melhor a cesta, mostrando uma certa limitação no seu jogo ofensivo. Não é um dos melhores fisicamente em termos de vertical, mas é bom prospecto exatamente pela qualidade nos dois lados da quadra. 

Mikal Bridges comanda o ótimo time de Villanova (Foto: Getty Images)

Devonte Graham (Kansas)

Graham é um armador que consegue pontuar bem em uma boa quantidade de áreas dentro da quadra. Bom arremessador, consegue comandar bem o time de Kansas e arma bem as jogadas. Costuma tomar algumas decisões ruins, o que ocasiona numa quantidade alta de turnovers.Precisa ficar mais forte para defender os bons armadores da NBA e não tem uma altura boa. Mesmo sendo destaque de um dos cabeças de chave do March Madness, Graham é uma segura e boa escolha de segunda rodada. 

Graham lidera o ótimo time de Kansas, um dos favoritos no March Madness (Foto: Getty Images)

Collin Sexton (Alabama)

Collin Sexton é um dos prospectos mais interessantes da classe. Ataca bem a cesta, é dinâmico na transição e não necessita de um bloqueio para chegar na cesta, além de conseguir finalizar com as duas mãos. Ainda é inconsistente, mas tem melhorado seu arremesso do perímetro. É um jogador corajoso e que gosta de contato. Mesmo com limitações, é um cara ativo na defesa. É bom no drive and dish, que é atacar a cesta e conceder o passe para seus companheiros.

Tem alguns problemas com turnovers, acelerando demais as jogadas sem necessidade. Costuma deixar se levar com as emoções às vezes, o que não é nada bom para o seu jogo. Mesmo com algumas coisas a melhorar, é uma das possíveis dez primeiras escolhas do NBA Draft 2018 e que tem tudo para maximizar o seu potencial.

Collin Sexton é o destaque de Alabama (Foto: Getty Images)