FIBA suspende CBB: "Precisa se reestruturar e não cumpre suas obrigações"

Federação justificou que a entidade brasileira não está seguindo as regras que se comprometeu

FIBA suspende CBB: "Precisa se reestruturar e não cumpre suas obrigações"
(Foto: Divulgação/FIBA)

Uma notícia preocupa e muito os clubes e envolvidos no basquete nacional. Na tarde desta segunda-feira (14), a Federação Internacional de Basquete (FIBA) anunciou que a Confederação Brasileira de Basquete (CBB) está suspensa. A entidade maior do basquetebol justificou, explicando que a CBB não está cumprindo as regras impostas.

Leia a nota oficial da FIBA:

"A FIBA anunciou nesta segunda-feira a decisão de suspender a Confederação Brasileira de Basquete (CBB) após uma reunião do comitê executivo.

Apesar do suporte e da flexibilidade promovidos pela FIBA em diversas ocasiões antes dos Jogos Olímpicos Rio 2016 - que levaram à recente criação da "Força-tarefa para a reorganização da Confederação Brasileira de Basquete (CBB) e do desenvolvimento do basquete no Brasil" - o comitê executivo entende que a CBB ainda precisa de reestruturação e atualmente não está cumprindo suas obrigações como Membro Nacional da Federação da FIBA pela aplicação do estatuto geral.

Em particular, as falhas no cumprimento do estatuto legal aplicável que levaram à suspensão incluem, entre outras:

1) Ausência nas competições internacionais, como competições continentais de base e Campeonato Mundial adulto 3x3, assim como a falha na organização do evento 3x3 World Tour no Rio de Janeiro. Um grande número de jogadores já foi afetado por essas ausências, já que eles perderam a oportunidade de se classificar e jogar internacionalmente nos próximos anos. No nível nacional, um importante campeonato de base foi cancelado pela CBB.

2) Falta do controle total do basquetebol no país. Por exemplo, terceiros interviram na seleção e no pagamento das atividades do time nacional.

3) Pagamentos pendentes para a FIBA por um longo período de tempo, apesar de vários períodos de carência concedidos. A situação financeira geral da CBB não lhe permite financiar as suas operações nem estar em situação regular no seu país.

4) Abstenção de uma reforma ou reestruturação no planejamento antes da próxima eleição.

O Comitê Executivo expressa sua tristeza com a situação do basquete no Brasil apenas alguns meses depois dos Jogos Olímpicos e encoraja fortemente a CBB a colaborar com a FIBA e a Força-tarefa mencionada anteriormente, para melhorar as sérias dificuldades institucionais, esportivas e financeiras. Conversas entre as partes são esperadas para o fim deste mês para estipular planos concretos de reforma.

O conselho central reavaliará a situação em sua reunião no dia 28 de janeiro de 2017".

Já a CBB não fez grandes declarações oficiais, informando que está surpresa e falará sobre o que acontece com o basquete nacional apenas na quarta-feira. A entidade estava em recesso nesta segunda e terça (15).

"A Confederação Brasileira de Basketball (CBB), por meio de seu Presidente e de sua Diretoria, vem por meio desta mostrar sua surpresa com a punição imposta pela Federação Internacional de Basketball (FIBA). No início do mês de novembro, a FIBA enviou ao Brasil o dirigente José Luis Saez que, durante reunião na CBB e demais encontros, em momento algum abordou a possibilidade de suspensão da entidade brasileira. Dessa forma, a CBB vai buscar os meios formais e legais para preservar o basquetebol brasileiro. Na próxima quarta-feira (dia 16), a CBB comentará todos os itens elencados pela FIBA e irá pontuar o que de fato acontece no basquete nacional para que a sociedade avalie e forme sua opinião sobre esse episódio".