Marcado pelo choro na Copa, Thiago Silva retorna ao Mineirão a seleção brasileira

Thiago Silva volta a defender seleção brasileira no Mineirão contra a Argentina

Marcado pelo choro na Copa, Thiago Silva retorna ao Mineirão a seleção brasileira
(Montagem: Hugo Alves/ VAVELBrasil)

Sai o choro e entra a segunda chance. Depois de chorar compulsivamente ao término da partida contra o Chile, na Copa do Mundo de 2014, Thiago Silva driblou as inúmeras críticas e está de volta à seleção brasileira e ao gramado do Mineirão contra a Argentina, na próxima quinta-feira (10), em partida válida pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

A instabilidade emocional da seleção brasileira durante a Copa disputada no Brasil virou tema de todas as mesas redondas e conversas entre amigos. A nítida emoção dos jogadores durante o hino, ou até mesmo na comemoração de um gol se tornou, para muitos, um problema. E, no jogo válido pelas oitavas de final, contra o Chile os jogadores brasileiros novamente sofreram críticas mesmo após a classificação.

Desta vez, com um alvo em específico: Thiago Silva. O zagueiro e, na época, capitão não conteve a emoção e chorou compulsivamente após apito final do árbitro que dava fim à partida e concretizava que a vaga na próxima fase seria decidida nos pênaltis. A atitude do jogador culminou em duras críticas de jornalistas e de jogadores consagrados com a amarelinha.

Nas quartas de final, Thiago Silva revidou aos duros depoimentos com uma boa atuação e um gol na vitória de 2 a 1 contra a Colômbia. O adversário da semifinal era a Alemanha. Fatídico 7 a 1. Mas, quis o destino que o capitão cumprisse suspensão naquela partida e o Brasil amargou o quarto lugar no Mundial de 2014. Na reformulação do elenco feito pela CBF, muitos jogadores seguiram defendendo a camisa brasileira, já outros não tiveram nova oportunidade. Foi o caso de Thiago Silva. Após ser contratado, o então técnico da seleção Dunga não convocou o ex capitão para nenhum amistoso ou partida válida pela Eliminatória.

Além do choro contra o Chile, outros foram os possíveis motivos do jogador ser preterido por Dunga. Thiago Silva reclamou publicamente do comandante por ter perdido a braçadeira de capitão da seleção para Neymar. Por fim, cometeu pênalti infantil que resultou no gol de empate do Paraguai na Copa América de 2015.

Jogador do PSG e eleito melhor durante três anos consecutivos, Thiago Silva enfim, com Tite recebeu uma nova chance de defender a seleção brasileira nas partidas válidas pelas Eliminatórias da Copa de 2018, na Rússia.

"Por que você está na seleção da FIFA, melhor do mundo três anos seguidos, e não está na seleção brasileira? Sinceramente, era difícil explicar. E o mais difícil era explicar pros meus filhos que o pai deles não estava na seleção brasileira. Sempre que eu via um jogo da Seleção, eles perguntavam: pai, por que você não está lá? E você não poder responder”, recordou o zagueiro do Paris Saint-Germain.

Thiago Silva ficou por mais de um ano fora das câmeras e microfones. Segundo o jogador, foi uma forma de “auto-defesa” após ser ‘esquecido’ por Dunga. Mesmo assim, o zagueiro afirma que não guarda mágoas do ex-técnico.

"Não penso em rancor. Não tem que pensar porque eu não dependo dele pra ser feliz. Dependo apenas de Deus, da minha família me ajudando. É uma coisa do passado. Não desejo mal para ele. Espero que Deus possa abençoá-lo e que ele possa ter cada vez mais felicidade. Mas eu procuro não pensar”, declarou. 

De volta ao Mineirão, Thiago Silva recebe uma nova chance de defender a seleção brasileira, contra a arquirrival Argentina na próxima quinta-feira (10) às 22h, horário de Brasília.