Em noite emocionante, Prêmio Paralímpicos celebra 60 anos do movimento no Brasil

Durante a cerimônia, o Comitê Paralímpico Brasileiro premiou pessoas capazes de mudar os rumos do esporte paralímpico no Brasil que muitas vezes não tem a mesma visibilidade dos atletas

Em noite emocionante, Prêmio Paralímpicos celebra 60 anos do movimento no Brasil
A noite de gala do esporte paralímpico foi marcada por prêmios especiais e a consagração de atletas de destaque no cenário mundial (Foto: Felipe Rau / MPIX / CPB)

A noite de gala organizada pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) não poderia ter sido mais especial. Comemorando sexagésimo aniversário do Movimento Paralímpico no Brasil, o Prêmio Paralímpicos chegou a sua sétima edição nesta segunda-feira (04), em evento realizado em São Paulo.

Com a celebração, honrarias especiais foram distribuídas para pessoas que deixaram sua marca no esporte paralímpico mesmo sem poderem ser vistas. Através das mãos da secretária de estado dos direitos da pessoa com deficiência, Linamara Rizzo Battistella, o CPB premiou o doutor Sylvio Moreira, médico que começou a trabalhar com o esporte paralímpico na decada de 70, e atuou na área por mais de trinta anos. Junto a ele, Zaíra do Nascimento de Melo, ou 'Tia Zaíra', enfermeira delegação paralímpica em cinco paralímpiadas, também foi lembrada na categoria.

As surpresas, no entanto, não se limitaram a essa celebração. Em parceria com a Caixa, o Comitê criou este ano o Prêmio Clube Caixa 2017, concedido a instituições que possuem trabalhos de destaque na área ao longo do ano. A grande vencedora foi a Associação Paralímpica de Indaiatuba (ADI APIN), que figura entre as melhores do Brasil na natação desde 2011, e pussuim atletas na Seleção Brasileira adulta, de jovens e escolar.

Três novas modalidades também foram premiadas nesta edição do evento. Parabadminton, Parataekwondo e esportes na neve são novidades que incorporarão a lista de categorias a serem disputadas nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, em 2020. Nelas, foram nomeados atletas do ano Vitor Tavares, Débora Menezes e Aline Rocha, respectivamente.

A cerimônia também marcou a consagração de dois nomes de peso do esporte paralímpico. Vencedor do ano na modalidade, o nadador Daniel Dias foi eleito o Melhor Atleta Masculino da temporada pela terceira vez em sua carreira. Daniel é o maior medalista masculino da história do esporte paralímpico brasileiro, e chegou ao título após a conquista da recém-criada World Series.

A outra estrela da noite foi a judoca de 22 anos, Alana Maldonado. Medalista de ouro na Copa do Mundo de Tashkent, no Uzbequistão, Alana conquistou o título da categoria no Prêmio Paralímpicos pela primeira vez este ano, e colecionou títulos ao longo da temporada até se tornar o grande destaque do esporte feminino.

Um dos grandes destaques da noite, o Prêmio Aldo Miccolis, entregue a pessoas que dedicaram a vida ao esporte paralímpico, também teve um destino honnroso e merecido. A vencedora foi Mara Gabrilli, deputada federal pelo PSDB-SP, relatora da Lei Brasileira de Inclusão, também conhecida como Estatuto da Pessoa com Deficiência.

O Prêmio Paralímpicos 2017 ainda contou com a categoria 'Atleta da Galera', em que internautas de todo o país elegeriam o grande vencedor. Na disputa entre André RochaBrendow Christian de Souza MouraVerônica Silva Hipólito - todos do atletismo -, o taubateano ficou com a melhor. André foi medalista de ouro no lançamento de disco no Mundial de Londres 2017 e é o recordista mundial no lançamento de disco classe F52, além de já ter conquistado medalha de prata no arremesso de peso em Toronto (Canadá), em 2015.

Confira abaixo a relação completa dos vencedores por modalidade:

Atletismo - Petrúcio Ferreira 
Basquete em Cadeira de Rodas - Gelson da Silva
Bocha - Evelyn Oliveira
Canoagem - Caio Ribeiro
Ciclismo - Lauro Chaman
Esgrima em Cadeira de Rodas - Jovane Guissone
Esportes na neve - Aline Rocha
Futebol de 5 - Ricardinho Alves
Futebol de 7 - Jan Francisco
Goalball - Josemarcio Sousa
Halterofilismo - Bruno Carra
Hipismo - Sérgio Oliva
Judô - Alana Maldonado
Natação - Daniel Dias
Parabadminton - Vitor Tavares
Parataekwondo - Débora Menezes
Remo - Jairo Klug
Rugby em CR - Julio Cézar Braz
Tênis de mesa - Danielle Rauen
Tênis em CR - Ymanitu Silva
Tiro com arco - Francisco Cordeiro
Tiro esportivo - Geraldo Von Rosenthal
Triatlo - Carlos Viana
Vela adaptada - Ana Paula Marques
Vôlei sentado - Fred Dória
Melhor técnico individual - Pedro de Almeida
Melhor técnico coletivo - Fábio Vasconcellos