Guia VAVEL da Copa Libertadores: Lanús
Time estará no grupo 3 da Libertadores (Arte: Walter Paneque/VAVELcom)

Chegamos à 55º edição da Copa Libertadores e vários times já participaram da famosa competição. No entanto, o Lanús, da Argentina, participou apenas três vezes e nunca chegou muito longe. Porém, o Granate nunca chegou em uma Libertadores com um time tão qualificado e promissor, com todos dizendo que chegará longe no torneio. A prova disso foi na primeira fase da competição, que é chamada de Pré-Libertadores. Nela, o Lanús enfrentou o Caracas e, após duas vitórias tranquilas (2 a 0 fora e 1 a 0 em casa), entrou no grupo 3, que têm Cerro Porteño, O'Higgins e Deportivo Cali.

Do time que terminou o ano como campeão da Sul-Americana e no segundo lugar do Torneio Inicial de seu país, ninguém saiu, mas ninguém chegou. Um dos destaques do time em 2013, Ismael Blanco sofreu assédio de várias equipes - inclusive Palmeiras e Sport - mas o jogador resolveu ficar e disputar a competição mais acirrada do continente.

Os destaques da equipe são: Acosta, que joga pelo lado direito e é bastante rápido, Somoza, que é a segurança no meio de campo, Ayala, que jogada pelo lado esquerdo e, claro, Santíago Silva, o grande artilheiro da equipe e que promete ser também da Copa Libertadores.

2013, um ano fantástico para o Lanús

O ano do Lanús começou muito bem. No Torneio Final 2012/2013, o Granate, que estava desacreditado e que ninguém apostava, conseguiu grandes resultados e terminou em terceiro. Com 8 vitórias, 9 empates e 2 derrotas, o Lanús mostrou que daria trabalho no ano e que brigaria por todos os títulos que disputasse. Na competição, o clube da província de Buenos Aires só ficou atrás de Newell's Old Boys (que foi o campeão) e o River Plate (vice).

Na Copa Argentina, no entanto, o Lanús não foi bem. Jogando com o time misto em quase toda a competição, o Granate foi eliminado antes mesmo de chegar às oitavas-de-final, na famosa "16 avos de final". Jogando fora, o Altético Rafaela se fechou e, quando surgiu a oportunidade, Federico González fez o gol e deu a classificação para o Cremero.

Só que chegou o segundo semestre do ano e o Lanús mostrou toda sua força. Jogando duas competições ao mesmo tempo (Torneio Inicial e Copa Sul-Americana), o Granate conseguia ir bem nas duas e brigar de igual para igual com os ditos "favoritos". O Torneio Inicial foi fantástico. Após 18 rodadas de emoção, chegaram 4 times brigando pelo título na última (San Lorenzo, Vélez, Newell's e Lanús). No entanto, mesmo o Lanús conseguindo um grande empate na última rodada diante do Newell's, não conseguiu o título, que ficou com o San Lorenzo, e terminou em segundo.

Na Copa Sul-Americana, o Lanús passou pelo Racing na primeira fase. Na segunda, a vítima foi a Universidad de Chile, com direito a um sonoro 4 a 0 no primeiro jogo. Nas quartas-de-final, outro argentino: o River. Empate por 0 a 0 no Monumental de Nuñez e vitória por 3 a 1 em casa. Na semifinal, o Libertad: duas vitórias e classificação garantida à final, onde enfrentou a Ponte Preta. Na primeira partida, no Pacaembu, empate por 1 a 1 e, na segunda, na Argentina, vitória por 2 a 0 e caneco na mão. Com o título, o Lanús se classificou para a Libertadores de 2014.

Onde chegará esse Lanús na Copa Libertadores?

Com a permanência de todos os jogadores que conquistaram o título da Copa Sul-Americana de 2013, o Lanús pode ser considerado um dos grandes favoritos na competição. Como caiu em um grupo não muito forte, o Granate deve se classificar para às oitavas-de-final. Segundo a imprensa argentina, a expectativa de todos é que a equipe de Buenos Aires chegue na final da competição e ganhe a tão sonhada Copa Libertadores da América.

Schelotto, o comandante

Dentro de campo, Schelotto foi, sem dúvida alguma, um dos maiores jogadores argentinos da história. Porém, quando ele chegou ao Gimnasia, também da Argentina, todos se perguntaram: Schelotto técnico? Será que dará certo? Pois bem, não deu. O Gimnasia foi rebaixado para a segunda divisão Argentina e Schelotto, após discussões se ficaria ou não no comando do clube, saiu e acertou com o Lanús, tendo como auxiliar técnico seu irmão gêmeo Gustavo.

Obviamente a torcida desconfiou de Schelotto, que como jogador foi gênio e jogou pela seleção Argentina entre 1995 a 1999. No entanto, o treinador foi mudando o jeito da equipe jogar e dando sua cara ao time, que a cada partida ficava bastante rápido, principalmente pelos lados do campo. Com a boa campanha no Torneio Inicial e Copa Sul-Americana, onde foi campeão, a torcida não resistiu e tem Schelotto como um dos maiores protagonistas deste ano de 2014.

Ayala, o destaque

São vários os destaques desta grande equipe Granate. No entanto, um jogador se destaca, principalmente pela vontade mostrada dentro de campo: Ayala. O meio-campo não é muito conhecido no mundo do futebol, porém, é bastante útil na formação do técnico Schelotto.

Ayala, antes de chegar no Lanús, nunca havia passado por um grande equipe do futebol mundial. Com uma perna esquerda infalível, o jogador ataca e marca na mesma proporção. Na final da Copa Sul-Americana, por exemplo, o jogador marcou um dos dois gols da equipe com uma chega incrível na frente. Ayala também ajuda muito Somoza, o mais encarregado na marcação.

Como joga o Lanús

O Granate joga o futebol moderno falado por todos. Com uma linha de quatro e duas de três, o Lanús chega muito forte ao ataque, com ao menos cinco jogadores: Ayala, González, Acosta, Silva e Benítez. Benítez e Acosta, no entanto, são os encarregados de fazer a bola chegar em Santíago Silva colocar no fundo do gol. González e Ayala ajudam os atacantes quando a bola está no ataque e marcam muito quando ela está na defesa.

Somoza é o grande guardião no meio-campo do time. Sem subir, exceto em jogadas de contra-ataques, o jogador corre em todos os lados do campo, porém, é bastante criticado pela sua maneira de jogar, pois é bastante duro e, muitas vezes, faz bastante faltas.

O quarteto de trás também é bastante forte. O capitão Goltz é outro que impõe confiança e comanda a zaga. Os dois laterais, Araújo e Velázquez, apoiam bastante, mas marcam na mesma proporção que ataca, Enfim, é um time moderno, que se preocupa em marcar e atacar.

Torcida e estádio: armas para conquistar a Copa Libertadores

O Estádio Ciudad de Lanús, mais conhecido como "La Fortaleza", tem capacidade para 47.027 pessoas e é uma das grandes armas da equipe para a disputa da Libertadores. Com sua hinchada apaixonada, o Lanús tenta usá-lo com trunfo e vencer seus adversários em seus domínios.

Na campanha da Copa Sul-Americana do ano passado, o Granate sofreu apenas um gol em seu estádio e fez 10. Além disso, não perdeu nenhuma partida, somando 4 vitórias e apenas 1 empate. "La Fortaleza" é um dos estádios mais difíceis de se jogar na Argentina.

Em 2012, Lanús chega às oitavas, mas é eliminado pelo Vasco

Em 2012, o Lanús ficou no grupo 2 da Libertadores, ao lado de Emelec, Flamengo e Olimpia. Terminando em primeiro na fase de grupos, com 10 pontos, o Granate jogou as oitavas-de-final diante do Vasco. Na primeira partida, no Rio de Janeiro, o Vasco venceu por 2 a 1. Na segunda, na Argentina, o Lanús devolveu os 2 a 1 e a partida foi para os pênaltis. Lá, o Vasco venceu por 5 a 4 e foi às quartas.

Em 2008, o Lanús também foi eliminado nas oitavas, só que pelo Atlas, do México. Derrota na primeira partida, fora de casa, por 1 a 0, e empate por 2 a 2 na Argentina e eliminação da competição. Agora, a equipe de Buenos Aires espera chegar bem mais longe no campeonato.

VAVEL Logo