No Derby du Rhône, Saint-Étienne tenta quebrar tabu diante do Lyon

O Derby du Rhône é a atração que encerra a 15ª rodada da Ligue 1. Às 18h (de Brasília), o Saint-Étienne recebe o Lyon, no Stade Geoffroy-Guichard, neste domingo (30), buscando quebrar um tabu: há mais de 20 anos, o Sainté não vence o Lyon em casa. A partida é confronto direto da parte de cima da tabela. Caso vença, os verts se aproximarão do rival e até subir três posições, enquanto os gones não querem se distanciar dos líderes.

O clássico é considerado por muitos o maior da França. Reúne 17 títulos em campo, além disso, as cidades são muito próximas, 60 quilômetros. Os verts são vistos como um time popular, já o OL, como burguês. A primeira partida foi em 28 de outubro de 1951, onde o Lyon venceu por 4 a 2. O último aconteceu em 30 de março, onde o Saint-Étienne encerrou um jejum de sete jogos, triunfando por 2 a 1, fora de casa.

Ao todo aconteceram 108 encontros entre os verdes e os azuis, válidos por todas as competições. O Lyon venceu 37 vezes, o ASSE 40 e ocorreram 31 empates. Cem desses duelos foram pelo Campeonato Francês, onde o Sainté também leva vantagem. Pela Coupe de France, os gones venceram três vezes, perderam uma, além de um empate. No total de gols: 144 contra 122 para o Saint-Éteinne.

Para quebrar escrita, os verts devem superar maratona de jogos

O Saint-Étienne vem de cinco empates seguidos, dados de todas as competições. O clube se encontra na sétima posição, com 23 pontos. Caso vença, ficará apenas um ponto atrás do rival e dependendo do resultado do Bordeaux, até assumindo a quarta posição, que dá vaga para a Uefa Europa League. Competição esta que o clube não vai muito bem, pois empataram todas as cinco partidas disputadas e está na terceira posição, necessita da vitória na última rodada. Para essa partida importante, Galtier não contará com Saint-Maximin e Erdinç.

Essa será a terceira partida em menos de uma semana. Christophe Galtier comentou sobre essa sequência, para ele o risco são as lesões: “Os meus jogadores estão bem. A sequência de jogos nos permite estar no ritmo. O risco são as lesões. Quando há essas sequências, a fadiga é muitas vezes relacionada com resultados ruins. Não é o nosso caso. Nossos resultados certamente não são mágicos, mas eles não são ruins.

Para o técnico, o Lyon é o favorito do jogo, pois está nas primeiras colocações: “Lyon é o favorito nesse jogo dada a sua dinâmica atual, a sua eficiência ofensiva e calendário, pois eles não jogaram no meio da semana. Dito isso, estamos confiantes. Conseguimos ter sucesso em grandes jogos no campeonato depois de nossos encontros pela competição europeia.

Max-Alain Gradel comentou sobre o derby ser o jogo do ano, falou sobre o que representa e a sensação de jogar contra o OL: “É necessariamente para os fãs. Para nós jogadores é um jogo importante, mas temos que jogar cada partida, sendo derby ou não. Ainda é uma partida especial, um encontro separado. Nós jogamos para a família, os fãs, a história do clube que representamos. Quando você joga um derby, você joga um pouco diferente.

A última vitória do Saint-Étienne foi em 6 de abril de 1994, 3 a 0. De lá para cá, apenas derrotas e empates no Stade Geoffroy-Guichard. Muito se deu ao bom time do Lyon nos anos 2000. De 1994 para cá, o ASSE venceu apenas duas vezes: em 2010, 1 a 0 pela Ligue 1, gol de Payet e 2 a 1 no último encontro deles, tento de Gradel.

Tentando manter diferença para os líderes, OL tem que superar seu rival mais uma vez

Quatro pontos separam os dois clubes, uma vitória de cada lado pode mudar os rumos da equipe na competição, principalmente do Lyon. Olympique de Marseille e Paris Saint-Germain se consolidaram como favoritos. Algum outro time conseguirá acompanhar o ritmo? Caso vença, os gones manterão a diferença em três pontos, caso tropecem, a desvantagem ficará na casa dos cinco ou seis pontos. Além de deixar seu rival encostar.

Na conferência pré-jogo, o treinador Hubert Fournier conversou com a imprensa. O favoritismo foi novamente pautado: “É difícil citar um favorito neste tipo de jogo. O favorito será a equipe que começar melhor, com mais intensidade. Nós não podemos jogar a partida antes de começar. Vamos jogar o nosso próprio jogo, não importa o que o Saint-Etienne irá fazer.

Sobre a pressão que existe diante do Saint-Étienne, pelo tabu, sequência de jogos e necessidade do resultado, ele comentou: “Eu acho que sim. Os Verts estão jogando em casa. Eles têm lutado recentemente para conseguir uma boa vitória. Eles são obrigados a obter um resultado. Se vencermos eles ficarão sete pontos atrás de nós. Essa é uma boa diferença de tamanho.

Perguntado se o seu time depende muito de Lacazette e Fekir, Fournier tentou contornar, mas admitiu que são importantes para o Lyon: “Eles estão jogando bem e são importantes para nós. Combinam bem juntos, eles têm uma abordagem semelhante em seu movimento e visão, que se entendem. Eles criam chances de perigo para si mesmos e para os outros.

O Lyon está há dez jogos invictos, não perde desde agosto, quando sucumbiu diante do Metz (2 a 1, fora de casa). O time folgou no meio de semana, já que não disputa mais a Europa League [foi eliminado na fase preliminar]. Milan Bisevac lesionou-se no treino, Clement Grenier vai perder o jogo, enquanto Yoann Gourcuff também está fora, assim como Fofana.

VAVEL Logo