Assim como em 1992, Costa do Marfim vence Gana nos pênaltis e conquista Copa Africana
Foto: Divulgação/CAF

Neste domingo (8) foi jogada no Estádio de Bata, na Guiné Equatorial, a grande final da Copa Africana de Nações de 2015. Costa do Marfim e Gana, seleções com os elencos mais qualificados do futebol africano - não à toa estiveram presentes nas últimas três Copas do Mundo -, fizeram justiça ao favoritismo o qual carregavam e ficaram frente a frente no momento derradeiro do certame.

Com muitas faltas e poucas chances claras de gol, a partida ficou no 0 a 0 durante os 120 minutos. O futebol apresentado por ambos os selecionados não justificou tamanha expectativa gerada pelos africanos para a decisão: houve muita preocupação em se fechar na defesa e pouca criatividade para se sobressair no ataque. Assim como na final de 1992, marfinenses e ganenses definiram o título nos pênaltis, após placar nulo no tempo regulamentar e no tempo extra. O desfecho também foi o mesmo: Elefantes campeões.

Gana criou considerável vantagem no início das cobranças: Wakaso e Jordan Ayew converteram, enquanto Bony e Tallo desperdiçaram - o primeiro acertou o travessão, e o segundo mandou pela linha de fundo. Eis que a Costa do Marfim reagiu: Acqah parou em Barry, e Acheampong mandou para fora, paralelamente às cobranças convertidas por Aurier e Doumbia.

O empate nas penalidades máximas persistiu durante muito tempo. André Ayew e Yaya Touré finalizaram para o gol e forçaram a decisão através das cobranças alternadas. Mensah, Kalou, Badu, Kolo Touré, Afful, Kanon, Baba, Bailly, Boye e Die não desperdiçaram, e chegou a vez de os goleiros cobrarem.

Mesmo machucado, Barry continuou participando da disputa. Defendeu a cobrança de Ragzak e, em novo duelo particular com o arqueiro adversário, converteu e confirmou o segundo título continental dos marfinenses. Assim, o pódio fica formado por Costa do Marfim, Gana e República Democrática do Congo - que venceu a anfitriã Guiné Equatorial na decisão do terceiro lugar.

Campeão com a Zâmbia - contra a própria Costa do Marfim, também nos pênaltis - em 2012, o francês Hervé Renard, técnico da Costa do Marfim, chegou ao seu segundo título da CAN e tornou-se o primeiro treinador da história a conquistar duas Copas Africanas com duas seleções diferentes.

O campeão não tem classificação automática para a próxima edição. Portanto, mesmo com o título, os Laranjas terão de jogar as Eliminatórias para a CAN 2017. A Nigéria, campeã de 2015, por exemplo, não obteve a classificação para a edição deste ano.

A artilharia da CAN 2015 ficou dividida com cinco jogadores: Thievy Bifouma (Congo), Dieumerci Mbokani (RD Congo), Javier Balboa (Guiné Equatorial), André Ayew (Gana) e Ahmed Akaïchi (Tunísia). Cada um balançou as redes três vezes.

Herói do título, o goleiro Boubacar Barry foi ovacionado após a longa disputa de pênaltis que definiu a Costa do Marfim como campeã africana (Foto: Getty Images)

Confira os melhores momentos da final da Copa Africana de Nações de 2015:

VAVEL Logo