Proprietário do Milan rechaça acusações da imprensa e pede maior atenção ao time de Gattuso

Yonghong Li ressalta que notícias publicadas recentemente são falsas e diz que empresas estão sanas

Proprietário do Milan rechaça acusações da imprensa e pede maior atenção ao time de Gattuso
Yonghong Li chegou ao Milan em abril de 2017 (Foto: Foto: Miguel Medina/AFP)

O presidente e proprietário do Milan, Yonghong Li, fez um longo comunicado oficial nessa terça-feira (21) para tentar esclarecer as dúvidas que ficaram após alguns jornais italianos publicarem matérias a respeito de empresas do chinês que teriam falido. O magnata ressaltou que as notícias são falsas, e que estão ofendendo a honra da família dele e também do clube italiano.

Nas últimas 48 horas tomei ciência de algumas notícias publicadas que ofenderam o clube, a sociedade, a minha família e a mim mesmo. Desde quando comprei o Milan, enfrentei as mais diversas dificuldades e uma pressão sem precedentes. Ao saber dessas notícias infundadas, resolvi esclarecer a questão para que fique um ambiente saudável no clube. Não entendemos que finalidade têm essas falsidades, mas chegou ao ponto máximo”, afirmou, na primeira parte do comunicado.

O chinês salientou que suas empresas estão funcionando normalmente e pediu para que a torcida milanista não dê atenção às notícias, e sim ao time que vive grande fase dentro de campo. Milan vem de dez jogos de invencibilidade, tendo a última derrota em dezembro do ano passado.

Quero aproveitar a oportunidade para explicar, torcendo que seja a última vez, que a situação relativa aos meus bens é completamente sana e que o clube e as minhas empresas estão funcionando normalmente. Espero que notícias falsas como essas não venha dada a devida credibilidade e temos que focar no time do treinador Gattuso e continuar apoiando-a.

Não foi a primeira vez que foram publicadas notícias duvidosas a respeito do patrimônio de Yonghong Li. Jornais de fora da Itália, como o New York Times e Marca, também já colocaram em dúvida o poderio financeiro do chines, já que, aparentemente, não é conhecido nem na China. Em abril de 2017, Yonghong Li acertou oficialmente a compra de 100% das ações do clube por cerca de € 740 milhões, além de pagar todas as dívidas da agremiação.