BWP decide, NY Red Bulls derrota Tijuana no México e constrói boa vantagem na Concachampions
Foto: Guillermo Arias/AFP

Jogos eliminatórios podem garantir muitas surpresas em uma competição. Foi justamente isso que aconteceu na madrugada desta quarta-feira (7), quando, jogando no Estádio Caliente, o New York Red Bulls derrotou o Tijuana por 2 a 0, com dois gols de Bradley Wright-Phillips e uma atuação fenomenal do goleiro Luis Robles, e conquistou uma grande vantagem na partida de ida pelas quartas de final da Concacaf Champions League.

Mesmo longe de casa, o New York Red Bulls começou surpreendendo e, logo aos nove minutos, conseguiu abrir o placar: Royer fez boa jogada pelo lado esquerdo, se aproveitou do espaço deixado pela defesa do Tijuana após um ataque e tentou cruzar. Alex Muyl, porém, não conseguiu dominar a bola e Perez conseguiu tirar a bola, que caiu, porém, nos pés de Bradley Wright-Phillips, que, com o gol totalmente livre, apenas teve o trabalho de empurrar e balançar o fundo das redes.

Após isso, os Xolos continuaram atacando e a equipe de Jesse Marsch, inteligente, se mantinha focada na defesa para tentar criar um contra-ataque, fato que aconteceu com certa regularidade no primeiro tempo, que terminou bastante equilibrado, já que o Tijuana tinha a posse da bola, mas não conseguia criar muitas chances e a equipe americana, tendo pouca a bola em seus pés, pelo menos tentava assustar com rápidas transições.

Com o placar negativo, a equipe mexicana, tentando aproveitar a atmosfera criada no estádio, foi para cima do NY Red Bulls no segundo tempo. Porém, a equipe treinada por Diego Cocca não conseguiu reagir a uma exuberante atuação do goleiro Luis Robles, que salvou a equipe americana em, pelo menos, três ocasiões, com defesas de nível muito difícil. A vantagem no marcador representou uma maior responsabilidade ao time treinado por Jesse March, que tentava segurar um bom resultado longe de seus domínios.

Luis Robles foi o principal nome da partida (Foto: Jam Media/Getty Images)

De tanto pressionar, o Tijuana finalmente conseguiu balançar as redes, mas o tento foi anulado. Após chute de Damian Perez, Luis Robles, que fez tantas boas defesas, soltou uma bola teoricamente fácil e viu Rivero, totalmente livre, apenas completar para o fundo das redes, já que a defesa New York Red Bulls havia parado no lance. A condição do jogador da equipe mexicana, porém, era legal, o que credencial um erro capital por parte da arbitragem da partida.

Praticamente sem assustar a meta do goleiro Lajud no segundo tempo, a equipe americana conseguiu aproveitar uma das poucas chances que teve com extrema precisão: aos 21 minutos, Bradley Wright-Phillips recebeu uma bola de Valot, e, apesar de estar sozinho, protegeu a bola com seu corpo e finalizou com muita força, vendo a bola morrer no canto do goleiro Lajud, que nada pôde fazer, e aumentar a vantagem para 2 a 0. Mesmo sendo praticamente inofensiva, a equipe americana conseguiu ser fatal quando esteve no ataque.

Apesar dos últimos 45 minutos terem sido uma personificação de um ataque contra defesa, se deu melhor a equipe que se focou em cuidar da própria área: o Tijuana possuía a bola em seus pés, mas pouco conseguia criar, já que a única maneira que os mexicanos procuravam quebrar o ferrolho americano era a partir de bolas alçadas na área, que eram sempre rebatidas e, quando conseguiam passar da dupla de zagueiros, eram defendidas por Luis Robles. Aproveitando muito bem o pouco tempo de bola, o NY Red Bulls matou o jogo e construiu uma grande vantagem na única chance que conseguiu criar no segundo tempo.

O resultado garantiu uma gigantesca vantagem para a equipe de Jesse Marsch, que vai para os Estados Unidos podendo perder por até um gol de diferença no jogo da volta, que será realizado na próxima terça-feira (13), na Red Bull Arena, além do fato de ter marcado dois gols longe de seus domínios, já que isso pode ser um critério de desempate para a definição do confronto. A equipe de Diego Cocca, que tentou arranjar uma confusão após o apito final, terá muitos problemas para tentar passar de fase na principal competição do continente.  

VAVEL Logo