Carlos Queiroz elogia luta dos jogadores da Colômbia e aponta time misto contra Paraguai
Leonardo José / VAVEL Brasil 

Já classificado e com 100% por cento de aproveitamento após a vitória sobre o Catar por 1 a 0, na noite desta quarta-feira (19), o treinador da Colômbia, Carlos Queiroz, demonstrou satisfação com o resultado de sua seleção diante dos árabes.

O Técnico Português afirmou que não ficou surpreso pela grande atuação defensiva do Catar e elogiou seus comandados:

"Na minha opinião, isso não surpreendeu. Esse jogo foi como os outros, quando nosso time tem a obrigação de ganhar pela nossa história, nosso prestigio, contra um time muito organizado, muito fechado. Se você não fizer um gol logo, não definir quando tiver a oportunidade, você passa a sofrer. Se você não faz 1, 2, 3 gols o destino é sofrer, mas conseguimos ganhar porque a Colômbia foi a Colômbia, foram 90 minutos de concentração, de crença, de confiar, de atacar".

"Quando perdemos a bola foi um grande mérito de não deixar o Catar jogar, isso não foi fácil, temos que dar o mérito dos jogadores nos 90 minutos, sempre existe momentos de desconcentração e os outros te pegam, mas isso não aconteceu porque mais uma vez os jogadores Colombianos jogaram bem,  foi um jogo de teste de maturidade da nossa equipe". Complementou

Já classificada para as quartas de final da Copa América, Queiroz confirmou um rodízio de jogadores para a partida contra o Paraguai:  

"Vamos primeiro fazer contas, como no sentido de fazer levantamento do cansaço dos jogadores. Dois jogos muito difíceis, algumas lesões, isso vai pesar as condições para o terceiro jogo. A minha ideia é sair com a melhor equipe, mas tenho a intenção de rodar os jogadores colombianos.  Vamos fazer uma análise da situação para ver a questão do cansaço, da fadiga, depois de fazer isso, vamos tomar a decisões do que será feito. Hoje se existe uma razão para não ter feito gols mais cedo,  acho que foi a fadiga que começa afetar os jogadores no meio do jogo".

Foi uma partida complicada para a Colômbia a qual pressionou o adversário durante os 90 minutos tendo sido premiada com o gol no final da partida. Para o treinador, o principal foi a parte emocional da sua equipe: 

"Nós nos preparamos muito bem para essa situação, todos os jogadores estavam mentalmente preparados para enfrentar nos 90 minutos.  Acho que no final do jogo nós sofremos, é uma história que acontece em outros jogos, sofremos porque não tivemos  a capacidade de marcar um gol mais cedo, mas não posso me esquecer de parabenizar os jogadores, pois acredito que estamos indo na direção. É preciso entender a cultura do futebol na Colômbia, como seus jogadores jogam, como lutam, como marcam gols. Devagarzinho, estamos tentando criar essa cultura na nossa equipe".

VAVEL Logo