Juventus vence Milan na final da Copa Itália e confirma segunda doppietta consecutiva

Morata sai do banco para decidir na prorrogação e garantir o décimo primeiro título de Copa Itália para Juve

Juventus vence Milan na final da Copa Itália e confirma segunda doppietta consecutiva
Foto: Gabriele Maltinti/Getty Images
Milan
0 1
Juventus
Milan: Donnarumma; Calabria, Zapata, Romagnoli, De Sciglio; Poli (Niang, min. 85), Montolivo (Mauri, min. 109), Kucka (Balotelli, min. 112); Honda, Bonaventura, Bacca. Técnico: Cristian Brocchi
Juventus: Neto, Rugani, Barzagli, Chiellini; Lichtsteiner (Cuadrado, min. 75), Lemina, Hernanes (Morata, min. 108), Pogba, Evra (Alex Sandro, min. 61); Dybala, Mandzukic. Técnico: Massimiliano Allegri
Placar: 0-1, min. 109, Morata.
ÁRBITRO: Gianluca Rocchi (ITA). Cartões amarelos: Zapata, Honda, Niang, Mauri (MIL); Pogba, Barzagli, Chiellini, Rugani, Morata (JUV)
INCIDENCIAS: Partida válida pela final da Copa da Itália no estádio Olímpico de Roma.

Neste sábado (21), depois 120 minutos, a Juventus venceu o Milan por 1 a 0, com gol de Álvaro Morata, e conquistou mais um título de Copa Itália, se isolando cada vez mais como a maior campeã da competição. O time rossonero foi melhor durante boa parte do jogo, mas a estrela de Morata brilhou mais forte e o espanhol decidiu apenas dois minutos depois de entrar em campo.

Com os títulos confirmados da Serie A e Copa Itália, é a primeira vez na história do futebol italiano que um time conquista os dois títulos mais importantes do país de forma consecutiva.

Primeiro tempo equilibrado com mais chances rossoneras

Nos primeiros minutos, o Milan começou pressionando a Juve no seu campo de defesa e ia tomando o controle da partida. E aos 13 minutos criou boa chance quando Bonaventura perdeu grande oportunidadedepois de cruzamento de Kucka, o atacante teve oportunidade de escorar para o gol, mas acabou pegando mal na bola e mandou pra fora.

O Milan era melhor no jogo contra uma Juve que mal ameaçava, e perdeu grande chance com Poli. Depois de roubada de bola de Kucka, Honda recebeu pela ponta-direita e rolou para trás. O meia chegou livre, mas pegou muito embaixo da bola e mandou por cima.

A melhor chance juventina foi aos 44 minutos, quando Donnarumma deu um susto na torcida do Milan. O goleiro recebeu dentro da área e teve que fazer o drible pra cima de Mandzukic, mas se saiu bem e manteve o placar zerado ao fim da primeira etapa.

Segundo tempo persiste sem gols e confirma prorrogação

Para o segundo tempo, o Milan continuava com o pé descalibrado nas finalizações. A primeira chegada de real perigo foi aos 10 minutos quando em cruzamento de Calabria pela direita, Honda desviou e a bola passou muito perto do colombiano Bacca, que não conseguiu desviar por pouco.

A Juventus passou a atacar tanto quanto o Milan, e aos 24, fez Donnarumma salvar o Milan. Pogba recebeu pela esquerda, tentou o cruzamento, a bola desviou e por muito pouco não entrou no cantinho. O jovem goleiro rossonero mostrou muito reflexo para evitar o gol. No rebote, Romagnoli jogou para escanteio. Sem novas grandes chances, o jogo foi para a prorrogação.

Prorrogação consagra Morata como herói juventino

Aos 6 do primeiro tempo da prorrogação, Honda surpreendeu Neto em cobrança de falta de longe, mas o goleiro brasileiro deu um tapinha na bola jogando pra escanteio. Aos 13, resposta juventina quando Pogba recebeu bom passe de Mandzukic e arriscou de fora da área, mas Donnarumma voou para fazer excelente defesa e evitar que a Juve abrisse o placar.

Um minuto depois, Bacca teve a última grande chance do primeiro tempo quando o colombiano aproveitou falha de Alex Sandro e emendou uma linda bicicleta, mas acabou mandando por cima. Aos 5 do segundo tempo, dois minutos após entrar, Morata abriu o placar no Olimpico di Roma, quando, em contra-ataque puxado por Lemina, Cuadrado recebeu pela ponta-direita e acertou belíssimo cruzamento para o espanhol, que emendou de primeira, sem chances para Donnarumma.

Aos 11, princípio de confusão entre os rossoneri e o árbitro Gianluca Rocchi, que não marcou um pênalti pedido pelos jogadores em Honda. Nos minutos finais, o Milan levou até Donnarumma para a área e depois de um bate-rebate, Mauri arriscou da entrada da área, mas acabou mandando para fora.

Com o apito final do árbitro, a Juventus conquistou sua 11ª Copa Itália e fez a festa no gramado com o título, com a segunda doppietta de título italiano somado ao título da Copa da Itália consecutivamente.