Juventus sofre, mas vira sobre Sevilla e garante classificação na UCL

Time italiano jogou por um a mais desde o primeiro tempo, quando Vázquez foi expulso; virada veio apenas aos 40 do segundo tempo

Juventus sofre, mas vira sobre Sevilla e garante classificação na UCL
Bonucci anotou o gol da virada (Foto: Matteo Bottanelli/NurPhoto/Getty Images)
Sevilla
1 3
Juventus
Sevilla: Sergio Rico, Rami, Pareja e Mercado; Mariano (Kranevitter), N'Zonzi, Escudero, Iborra e Vitolo; Vázquez e Vietto (Sarabia). Técnico: Jorge Sampaoli.
Juventus: Buffon, Dani Alves, Rugani, Bonucci e Evra (Sturaro); Khedira, Marchiso e Pjanic; Cuadrado (Chiellini), Mandzukic e Alex Sandro. Técnico: Massimiliano Allegri.
Placar: 1-0, min. 9, Pareja. 1-1, min. 45+2, Marchisio. 1-2, min. 85, Bonucci. 1-3, min. 90+3, Mandzukic.
ÁRBITRO: Mark Clattenburg (ING).
INCIDENCIAS: Partida válida pela quinta rodada do Grupo H da Uefa Champions League, realizada no estádio Ramón Sánchez Pizjuán, em Sevilha, na Espanha.

No clima hostil do estádio Ramón Sánchez Pizjuán, na Andaluzia, a Juventus conseguiu nessa terça-feira (22) uma importante vitória sobre o Sevilla, por 3 a 1, e se classificou para a fase de mata-mata da Uefa Champions League com uma rodada de antecedência. A partida valia pela quinta rodada do Grupo H da competição continental.

O time italiano precisou soar a camisa para obter o triunfo, pois saiu perdendo no primeiro tempo e só foi conseguir a virada aos 40 minutos do segundo. A Vecchia Signora ainda jogou boa parte do duelo com um jogador a mais – Franco Vázquez foi expulso aos 36 minutos da primeira etapa. Marchisio, Bonucci e Mandzukic anotaram os tentos da Juve; Pareja fez o do Sevilla.

O resultado inverteu as posições de Juventus e Sevilla no grupo. Os italianos assumiram a primeira posição, com 11 pontos. O Sevilla manteve-se com 10 pontos e caiu para o segundo lugar. O time da Andaluzia ainda pode perder a sua vaga nas semifinais, já que o Lyon bateu o Dinamo Zagreb no outro embate do grupo e alcançou 7 pontos. Agora, a decisão das duas posições fica para a última e decisiva rodada.

Na última rodada, os italianos recebem o frágil Dinamo Zagreb, jogo que pode definir a primeira posição do grupo já que mesmo com a vitória, a Juve tem apenas um ponto a mais que o Sevilla. Já o time espanhol tem missão mais difícil: visita o terceiro colocado Lyon e precisa empatar para poder avançar na competição.

Sevilla sai na frente, mas se complica com expulsão de Vázquez

Mesmo atuando no estádio Ramon Sánchez Pizjuán, o Sevilla não fez a pressão habitual no time visitante que costuma acontecer nos jogos do campeonato espanhol. Pelo contrário: sabendo da força do seu adversário, o time de Sampaoli cedia a bola para o seu adversário e esperava para sair em velocidade.

A estratégia deu certo e logo aos nove minutos, o Sevilla abriu o placar com Pareja, que pegou de primeira e marcou um bonito gol para explosão dos torcedores presentes no Ramon Sánchez Pizjuán. Com a vantagem no placar, o time espanhol ficou ainda mais defensivo e esperando opções no contra-ataque contra uma Juventus cada vez mais ofensiva.

A situação espanhola se complicou aos trinta e seis minutos, quando Vázquez foi expulso pelo árbitro Mark Clattenburg, gerando muita reclamação por parte de Sampaoli. Com um a mais, a Juventus exerceu ainda mais pressão e foi recompensada com um gol de Marchisio nos acréscimos. Ele converteu pênalti sofrido por Bonucci.

Juventus pressiona e sofre para conseguir a virada

Se o Sevilla optou pelos contra-ataques no primeiro tempo, era de se esperar uma postura ainda mais defensiva no segundo tempo. Apesar do estilo ofensivo, atacar uma equipe como a Juventus, especialista em contra-ataque e em desvantagem numérica seria absurdo. Mesmo assim, o Sevilla conseguiu encaixar alguns ataques perigosos.

Em um desses, Mariano pediu pênalti que foi ignorado pelo árbitro, gerando muita revolta de Sampaoli. A reação do treinador do Sevilla gerou sua expulsão. Mesmo assim, os donos da casa seguiram bem na defesa. Cuadrado era o principal nome do jogo e dava muito trabalho pelo lado direito.

A organização defensiva e aplicação na marcação apresentada pelos espanhóis dificultou muito o jogo da Juventus. As chances de gols eram menores do que as criadas no primeiro tempo. Assim, parecia que o Sevilla ia segurar um empate heroico diante da sua torcida, mas acabou castigado nos minutos finais.

Depois de muita resistência, Sergio Rico não conseguiu defender uma forte e firme finalização de Bonucci, já aos quarenta minutos do segundo tempo. Um duro castigo para quem teve tanta vontade e esforço na partida como teve o Sevilla. Mas o futebol não tem justiça e ainda havia tempo para tentar um segundo gol.

Assim, o time espanhol se lançou com tudo ao ataque, mesmo deixando ainda mais exposto para os contra golpes dos italianos. Foi assim que Mandzukic aproveitou para matar o jogo já no último lance da partida e definir a classificação para o time da Juventus, passando o Sevilla no grupo.