Goiás 2013: surpresa e bom desempenho
(Arte: Marcello Neves/Vavelcom)

O ano de 2013 do Goiás Esporte Clube pode ser definido como surpreendente. Depois de conquistar o segundo título brasileiro da Série B da história do clube, o Verdão apostou na base da equipe campeã e em reforços pontuais para a temporada. Tentativa que deu certo. O time do treinador Enderson Moreira aumentou a soberania no Campeonato Goiano com a vigésima quarta conquista estadual, eliminou grandes equipes na Copa do Brasil e, no Campeonato Brasileiro, deixou a vaga para a Libertadores da América escapar na última rodada. Confira em detalhes, nesta retrospectiva da VAVEL Brasil, como foi o bom ano de 2013 para o Goiás.

A volta de Araújo e as contratações de Hugo e Renan

Animada com o título da Segunda Divisão, a diretoria esmeraldina optou por manter a espinha dorsal do time e o comandante Enderson Moreira. Além disso, o experiente atacante Araújo, ídolo do clube, foi contratado para fazer dupla com Walter. Somaram-se as chegadas do meia Hugo, bicampeão brasileiro, e do goleiro Renan, bicampeão da Libertadores.

A comemorada repatriação de Araújo, no entanto, acabou se tornando um erro. Emprestado em março pelo Atlético Mineiro, o jogador conviveu com lesões por toda a temporada e não conseguiu o mesmo destaque da sua primeira passagem pelo clube. Contudo, Renan e Hugo foram fundamentais. O arqueiro tomou conta da posição que era do veterano Harlei há mais de 10 anos, ao passo que Hugo foi importante peça no talentoso meio-campo alviverde.

Mais do mesmo: a conquista do título goiano

O começo da temporada reservava ao Goiás a disputa do exaustivo Campeonato Goiano. Na primeira fase, as dez equipes da competição jogaram entre si em turno e returno, totalizando 18 rodadas. Mostrando superioridade, o Esmeraldino assumiu a liderança na segunda rodada e permaneceu assim até o final, com incríveis dez pontos de vantagem sobre o segundo colocado. As emoções ficariam concentradas no mata-mata.

Já na semifinal, o time alviverde quase foi surpreendido pela Aparecidense. Na primeira partida, com mando do adversário, o Goiás ia perdendo por 2 a 0 até os acréscimos, quando Walter descontou e deu boas expectativas para a volta no Serra Dourada. Mesmo saindo atrás na primeira etapa, o time fez grande segundo tempo e carimbou a vaga para a final com uma goleada de 4 a 1.

Na decisão, duelo com o rival Atlético Goianiense, no qual o Goiás jogava por dois resultados iguais por ter feito melhor campanha na fase inicial. Após empate em 0 a 0 no jogo de ida, os 35 mil especadores assistiram a um emocionante confronto derradeiro. O Dragão foi superior no primeiro tempo e saiu na frente com Ednei, ampliando a vantagem já no começo do segundo tempo, com gol contra de William Matheus. Então, veio a reação. Aos 24, Walter marcou e deu esperanças à torcida. Restando cinco minutos, Neto Baiano fez de cabeça o gol do título e levou ao delírio a parte alviverde das arquibancadas.

A bela campanha na Copa do Brasil

O Esmeraldino não passou por grandes dificuldades até chegar às oitavas-de-final do torneio nacional. Na primeira fase, o 3 a 1 no jogo de ida diante do Oratório-AP garantiu o avanço sem necessidade de disputar a segunda partida. Adiante, o Goiás eliminou o Santo André com vitórias por 3 a 2, no ABC Paulista, e 1 a 0, em Goiânia. Já na terceira fase, contra o ABC-RN, a goleada de 3 a 0 no Serra Dourada praticamente assegurou a classificação, confirmada com o empate em 1 a 1 no Frasqueirão.

Com o afunilamento da competição, os seis clubes brasileiros que disputaram a Libertadores entrariam na Copa do Brasil. E o sorteio das oitavas-de-final logo tratou de pôr o Fluminense frente a frente com os goianos. Entrando como franco-atirador, o Verdão foi mal no Maracanã e perdeu pelo placar mínimo, com direito a pênalti perdido por Walter. Apesar de não ter marcado gols na casa do adversário, o time foi valente, contou com maciço apoio da torcida na volta e bateu os cariocas por 2 a 0, indo às quartas-de-final.

Pelo caminho, outro grande clube do Rio de Janeiro, desta vez o Vasco da Gama. Jogando a primeira em casa, o Esmeraldino venceu de virada e levou para o Rio a vantagem de jogar pelo empate ou por uma derrota de um gol de diferença superior a 2 a 1. O começo foi duro e o Cruzmaltino contou com o alento das arquibancadas para abrir 2 a 0 ainda no começo. No entanto, Hugo e Amaral deixaram tudo igual e a classificação bem próxima. O gol de Willie já no fim não foi suficiente para eliminar o Esmeraldino.

Na semifinal, veio o Flamengo e o Goiás não foi páreo para o terceiro carioca consecutivo, que se sagraria campeão do torneio. A lesão sofrida por Walter no jogo de volta contra o Vasco o deixou de fora do duelo com o Rubro-Negro. Sem o principal jogador, ficou impossível a já complicada missão. Com duas derrotas por 2 a 1, parou por aí o sonho alviverde de conquistar o primeiro título nacional de elite do clube.

Brasileirão: Goiás excede expectativas e, com derrota na última rodada, deixa a classificação para a Libertadores escapar

No planejamento para 2013, uma posição no meio da tabela do Campeonato Brasileiro era vista com bons olhos pela maioria. Com começo irregular, o único representante da região Centro-Oeste na Série A somou apenas 5 pontos nas cinco rodadas que antecederam a paralisação para a Copa das Confederações. Tal desempenho, somado à goleada de 5 a 0 imposta pelo Cruzeiro na rodada inicial, deu a todos a impressão de que o Goiás travaria uma luta contra o rebaixamento. Porém, o restante da competição reservava maiores ambições.

Depois da parada, o Esmeraldino começou a atrair olhares do país por uma razão peculiar: o bom desempenho em campo de Walter era preterido por comentários acerca de sua condição física. O camisa 18 foi alvo de diversas piadas pelo excesso de peso, mas seguiu confiante e melhorava cada vez mais, acompanhando o desempenho da equipe. Ao término do primeiro turno, o Goiás alcançou certa estabilização e ocupava a oitava colocação.

Na virada de turno, a equipe titubeou novamente e conquistou apenas sete pontos nas sete primeiras rodadas da segunda metade do campeonato. Foi quando aconteceu a grande guinada na campanha alviverde. Somando incríveis dez jogos de invencibilidade (oito vitórias e dois empates), o Verdão chegou ao G-4 quando faltavam apenas três rodadas para o fim do Brasileirão.

Faltou força ao Goiás no momento de carimbar a classificação para o torneio continental. Mesmo com derrotas para Atlético-MG e Grêmio, fora de casa, bastava uma vitória na última rodada contra um Santos sem aspirações no campeonato. Apesar de a torcida ter enchido o Serra Dourada, o time decepcionou e foi goleado por 3 a 0, terminando o Campeonato Brasileiro em sexto lugar. Ficou faltando "somente" o final feliz no ótimo ano.

Debandada geral e contratação de Claudinei Oliveira: o planejamento para 2014

O Goiás vai pagar o preço por ter bons jogadores e não possuir condições financeiras de mantê-los. Vítor, Rodrigo, William Matheus e Hugo, todos titulares em 2013, pediram mais do que o clube pode pagar e não renovaram contrato. Além deles, o zagueiro Ernando assinou pré-contrato com o Internacional no meio do ano e também vai deixar o Esmeraldino. Por fim, Renan Oliveira, Eduardo Sasha e Walter terão seus empréstimos encerrados e retornarão aos seus times.

Com isso, apenas Renan e Amaral, da equipe considerada titular em 2013, ficarão para o ano vindouro. O volante David é o único que ainda não sabe o seu destino, podendo até mesmo permanecer por mais uma temporada.

Quem terá a incumbência de comandar a reformulação do time será Claudinei Oliveira. Isso porque Enderson Moreira, após dois anos e três meses, vai deixar o Goiás com destino a Porto Alegre, onde será treinador do Grêmio. Claudinei fez bom trabalho no Santos após a saída de Muricy Ramalho e é em quem a diretoria alviverde confia para 2014. Pesou na decisão o fato do técnico ter experiência com as categorias de base, onde são apostadas todas as fichas do Verdão.

Melhor jogo: Goiás 3 x 0 Atlético-PR, 30ª rodada

Neste jogo, o Goiás demonstrou sua força ao golear um integrante do G-3. Apesar da lamentável briga nas arquibancadas entre integrantes da própria torcida, o Esmeraldino atropelou o Furacão com gols de Roni, Dudu Cearense e Walter. A vitória aumentou ainda mais as esperanças de chegar ao G-4, que ficou ainda mais perto depois deste excelente resultado.

Pior jogo: Goiás 0 x 3 Santos, 38ª rodada

Após incrível arrancada, a equipe chegou à última rodada dependendo das próprias forças para conseguir a vaga na Libertadores pela segunda vez em sua história. No entanto, o time não se achou em campo e viu o Peixe passar por cima, acabando com o sonho alviverde. Com isso, o Botafogo fez sua parte e ficou com a última vaga na competição continental.

Os melhores de 2013

Walter: O principal nome do Goiás na Série B e na Série A. Depois do bom ano de 2012, o atacante teve a melhor fase da sua carreira em 2013. Artilheiro do time nas três competições que disputou, Walter mostrou habilidade, técnica e faro de gol, figurando na seleção do Campeonato Brasileiro. Apesar do notável excesso de peso, ele superou as desconfianças e comprovou que não é preciso um físico invejável para se destacar no Brasil. No entanto, não fica para 2014.


Hugo: O meia chegou ao clube em 2013 e correspondeu às expectativas. Titular durante boa parte da temporada, comandou as ações no meio-campo esmeraldino e foi peça fundamental na arrancada alviverde no Brasileirão. Já no fim da temporada, entretanto, Hugo declarou que não ficaria no Goiás em 2014. Mais um destaque que deixará a equipe.



David: O volante, que chegou no início de 2012 para reforçar o elenco, deu a volta por cima em 2013. Tomou a vaga que era da revelação Thiago Mendes e não voltou mais para o banco, assumindo as bolas paradas da equipe. Seu futuro é uma incógnita e sua permanência em 2014 ainda não está confirmada.

Os piores de 2013

Araújo: Chegou em março com pompa de grande contratação, por ser ídolo da equipe. Porém, não correspondeu nem um pouco e foi a grande decepção individual na temporada. As seguidas lesões impossibilitaram que o atacante obtivesse o mesmo sucesso da primeira passagem pelo Goiás.

Dudu Cearense: O experiente volante, com passagem pela Seleção Brasileira, foi mal mais uma vez e não conseguiu sequer chegar perto do grande jogador que já foi. Enfrentando problemas de forma física, jamais teve boa sequência entre os titulares e não atuou bem nas chances que teve.


Júnior Viçosa: O centroavante, importante no título da Série B, teve péssimo desempenho em 2013. Na reserva de Walter, fez a torcida sentir muitas saudades do "gordinho" nas partidas em que o substituiu, perdendo chances incríveis de gol.

Análise final

Superando as expectativas, o Goiás foi campeão estadual, chegou à semifinal da Copa do Brasil e terminou o Campeonato Brasileiro em sexto lugar. Agora virá a difícil missão de lidar com a saída dos principais jogadores e saber usar de maneira adequada as revelações vindas da base, grande aposta para 2014. Incertezas marcam a sequência do Verdão na Série A.

VAVEL Logo