Palmeiras x São Paulo: clássico de história e de inúmeras finais
O Palmeiras campeão paulista de 1950 (Foto: Reprodução)

Palmeiras e São Paulo se enfrentam neste domingo (2), às 17h, no Pacaembu, pelo Campeonato Paulista de 2014. No entanto, este jogo da quinta rodada do torneio não tem, nem de longe, a mesma importância dos jogos que as duas equipes protagonizaram no passado.

Tricolor e Verdão já decidiram oito finais de Campeonatos Paulistas. O São Paulo venceu em três oportunidades (43, 71 e 92) e o Palmeiras em cinco (em 33 ainda como Palestra Itália, 42, 44, 50 e 72). Além disso, eles decidiram também o Campeonato Brasileiro de 1973, quando o Alviverde saiu com o título após empate por 0 a 0.

No meio de tantas finais protagonizadas pelos dois times, escolhemos duas grandes decisões entre as equipes: em uma, o Palmeiras ergueu o título estadual de 1950, em outra, quem se sagrou campeão foi o São Paulo. Confira:

1950: Palmeiras de Oberdan garante o Paulista

O Campeonato Paulista de 1950 foi composto por 12 equipes. Palmeiras, São Paulo, Santos, Portuguesa, Corinthians, Guarani, Ypiranga, Juventus, XV de Piracicaba, Portuguesa Santista, Nacional e Jabaquara. Eram dois turnos, e o time que somasse mais pontos ficaria com o caneco.

Após 21 rodadas, o Palmeiras estava em primeiro lugar, com 31 pontos. O São Paulo estava logo atrás, com 30. No entanto, o campeonato que era de pontos corridos acabou tendo uma grande final. Na última rodada, Verdão e Tricolor se enfrentariam no Pacaembu.

Como o Paulistão era disputado no final do ano e no começo do ano seguinte, a partida aconteceu em 28 de janeiro de 1951. Com o Estádio do Pacaembu lotado, e uma renda de Cr$ 855.922,00, o São Paulo começou melhor e, logo aos quatro minutos, Teixeirinha abriu o placar para o time do Morumbi. Com isso, o título estava ficando para o São Paulo.

O tempo estava passando e o Palmeiras não conseguia fazer o gol de empate, que daria o título para o Alviverde. Depois de tanto tentar, Aquiles empatou o jogo aos 15 minutos do segundo tempo, explodindo o Paulo Machado de Carvalho.

Com isso, o Tricolor foi pra cima em busca do segundo gol. Teixeirinha, o jogador mais perigoso da equipe são-paulina, tentava a todo custo colocar a bola nas redes para sair com o caneco. Porém, mesmo pressionando, o São Paulo não conseguiu fazer o segundo e o Palmeiras, com uma campanha incrível de 13 vitórias, 6 empates e 3 derrotas, saiu do Pacaembu com o título.

Luiz Villa e Waldemar Fiúme comemoram o título do Palmeiras

O jogo ficou conhecido como "Jogo da Lama", pois naquele dia choveu muito em São Paulo e o gramado do Pacaembu não resistiu (Foto: Arquivo/SEP)

1992, São Paulo campeão paulista

O Campeonato Paulista de 1992 foi disputado por 28 equipes. Divididos em dois grupos de 14 times, jogando entre si em dois turnos, os seis primeiros do grupo A, conhecido com grupo verde e os dois primeiros do grupo B, conhecido como grupo amarelo se classificavam para as semifinais.

Nas semifinais, os oito times classificados foram divididos em dois grupos, e os primeiros de cada se classificavam para a grande final, que seria disputada em dois jogos. No grupo 1 tinha São Paulo, Portuguesa, Ponte Preta e Santos. No grupo 2 tinha Palmeiras, Corinthians, Mogi Mirim e Guarani.

No grupo 1, o Tricolor passou tranquilo. Em 6 jogos, foram 5 vitórias, 1 empate e nenhuma derrota. Já o Palmeiras teve muito trabalho no grupo 2. Com Corinthians e Guarani, dois dos grandes times do futebol brasileiro na época, brigando por apenas uma vaga, o Verdão terminou com 4 vitórias e 2 derrotas, se classificando apenas na última rodada, graças à derrota do Guarani para o Mogi.

O São Paulo chegou à final como franco favorito, porém, uma coisa preocupava a torcida do Tricolor: o pensamento no Mundial. O clube do Morumbi havia conquistado o título da Libertadores naquele mesmo ano e iria embarcar para o Japão logo após a segunda partida. No entanto, isso não foi um empecilho para Muller e companhia conquistar mais um título são-paulino.

Nos anos 1990, Palmeiras e São Paulo protagonizavam jogos acirrados (Foto: Reprodução/Arquivo)

Na primeira partida da final, que aconteceu no Morumbi com 90 mil pessoas, o Tricolor jogou bem e, logos aos 11 minutos, Cafu abriu o placar. Porém, logo aos 22, Daniel empatou. Aos 35 minutos, Raí ampliou para o São Paulo e começou o seu show. Com 2 a 1 no placar, o time do Morumbi administrou o jogo, porém, aos 28 da segunda etapa, Zinho empatou de novo. Oito minutos depois, Raí fez o terceiro para o São Paulo e, para fechar, o camisa 10 fez o quarto aos 48, dando vantagem ao Tricolor paulista.

Na segunda partida, também no Morumbi, só que com 110 mil pessoas, o São Paulo começou melhor e abriu o placar aos 24, com Muller. Em situação complicada, o Palmeiras se entregou e não conseguiu mais jogar. Então, aos 14 do segundo tempo, Toninho Cerezo ampliou. Com o título nas mãos, o Tricolor só estava esperando o apito final, porém, antes dele, Zinho diminuiu para o Alviverde.

O curioso, no entanto, foi que os jogadores do Tricolor não comemoraram direito o título. Logo após o jogo, a delegação foi para o aeroporto para embarcar ao Japão, onde conquistou seu primeiro título mundial, diante do Barcelona (ESP).

VAVEL Logo