Série B 2014: Joinville Esporte Clube
Coelho foi vice-campeão do Catarinense (Foto: Joinville Esporte Clube/Divulgação)

Quando a bola rolou pelo Campeonato Catarinense de 2014, o torcedor do Joinville se preocupou com o futebol desempenhado pelos atletas nas primeiras rodadas. A primeira vitória veio somente na quarta rodada, contra o Avaí. Até lá, foram dois empates e uma derrota.

Com o passar dos jogos, o time começou a se entrosar. Welington Saci se destacou na lateral e nas cobranças de falta, Marcelo Costa no meio de campo e Jael, no ataque. O JEC foi para cima dos adversários demonstrando sua tradição no Estadual, com 12 títulos conquistados, e disputou mais uma final. Não ficou com o título, mas chega credenciado para conseguir o acesso à Série A, que ano passado, no início da competição, chegou a estar na zona de classificação e depois bateu na trave.

Memória: a última volta à Série B

Era 2011 e a classificação para a Série C pelo Tribunal de Justiça Desportivo (TJD) traria mais festa ao torcedor do tricolor do que se imaginava. Oito anos depois de participar da Série B pela última vez, o Joinville voltaria a disputar a competição.

Para tanto, a campanha foi irretocável. Na final, contra o CRB, foram duas vitórias. Em Alagoas no estádio Rei Pelé vitória sobre o time da casa por 3 a 1 e, na Arena Joinville, nova vitória, desta vez, por 4 a 0.

Comandados na época por Arturzinho, a equipe conseguiu o acesso com um aproveitamento de 73,8% e, assim, levantando a taça com a melhor campanha de todas as competições nacionais disputadas em 2011.

Última edição – Série B

A edição da Série B do ano passado para o Joinville reservou emoção até as rodadas finais. O time catarinense brigou até a última rodada para conseguir o acesso para a primeira divisão, após já ter a chance de ficar entre os quatro primeiros e perder o embalo das primeiras rodadas na competição.

No final, a equipe ficou de fora do G-4 por um ponto, ao lado do Icasa. À frente, o Figueirense, última equipe a conquistar o acesso para a divisão de elite do futebol brasileiro. Mas, a campanha no início do campeonato chegou a surpreender e creditar a equipe para um acesso.

O nome de 2013 – Marcelo Costa

Com 19 gols marcados em 2013, o meia Marcelo Costa, que além de artilheiro, está presente nas assistências aos companheiros de equipe, foi o grande destaque do Joinville. Após passar duas temporadas no São Caetano, o jogador chegou ao time com a missão de ajudar na principal meta de 2013: o acesso. Não foi como o atleta quis, o sonho bateu na trave e o meia terá, agora, em 2014 a oportunidade de alcançar esta meta.

No ano passado, ele esteve em campo por 53 vezes. Foi o artilheiro da equipe e ajudou seus companheiros a se destacar, com passes e cobranças de falta. Para 2014, Costa já acertou sua renovação e seu trabalho dentro de campo já foi visto, sendo um dos destaques do JEC no vice-campeonato Catarinense deste ano.

O início do ano: vice-campeonato do Catarinense

O Joinville iniciou o Campeonato Catarinense com uma base já formada, se reforçou com alguns atletas de renome – como o artilheiro Jael – e contou com nomes da base para suprir as principais carências no início de ano, e conseguiu realizar uma campanha satisfatória no Catarinense, terminando a competição na vice-liderança.

O início da equipe foi lento, com a defesa sofrendo muitos gols de bola parada - foram sete apenas na primeira fase – e com um ataque ineficiente, que criava oportunidades mas pecava no momento da finalização. Entretanto, no decorrer do certame, o ataque conseguiu se acertar, Jael superou a desconfiança e a equipe terminou na terceira colocação, classificando-se para o quadrangular.

Na segunda fase, o estilo de jogo não mudou: a equipe continuava a criar muitas oportunidades de gol e praticar um futebol ofensivo, mas o ataque ainda parecia não ter se encontrado: todas as vitórias foram pelo placar mínimo, mas a defesa se mostrou eficiente: foi apenas uma derrota.

O Coelho chegou à final com a segunda melhor campanha do campeonato – teve a chance de terminar na liderança, mas tropeçou diante do já eliminado Metropolitano na última rodada. Venceu o primeiro jogo das finais dentro de casa, pelo placar de 2 a 1, contra o Figueirense, mas no jogo de volta, foi derrotado pelo mesmo placar, num jogo que foi muito contestado pelos jogadores, que alegaram que o segundo gol do Figueira teria sido com a mão. Mesmo com a derrota na final, após o campeonato Wellington Saci foi eleito o melhor lateral-esquerdo e craque da competição.

Além disto, mesmo que o campeonato não tenha terminado com o título, o JEC pode se orgulhar de duas marcas alcançadas: a de melhor média de público do estadual, e a de única equipe invicta em casa no ano.

Quem comanda: Hemerson Maria

Com humildade, paciência, tranquilidade e um futebol ofensivo, o comandante do Joinville não demorou a cair nas graças da torcida e dos torcedores. Um dos melhores técnicos do estado, Hemerson Maria prioriza o futebol ofensivo e de posse de bola, mesmo que sua equipe não tenha feito muitos gols.

No Joinville, uma das características da equipe se tornou a variação de formações, devido a versatilidade de jogadores no plantel. A equipe pode, no meio de uma partida, mudar no 3-5-2 para o 4-4-2 ou 4-3-3, por exemplo, embora Hemerson na maioria das vezes entre em campo num 4-3-3 para pressionar seus adversários. Antes de chegar ao Joinville, o treinador esteve no comando do Avaí, em 2012, onde conquistou o título de campeão catarinense.

Na série B, conseguiu iniciar uma arrancada rumo ao acesso à Série A, chegando a ficar 10 jogos invictos, sendo 7 vitórias e 3 empates, com 25 gols a favor e 10 contra. Foi demitido rodadas depois, por não conseguir repetir o bom desempenho. Passou pelo Red Bull Brasil, Crac-GO e novamente pelo Avaí antes de aceitar a proposta do Joinville.

Quem decide: Jael

Com seis gols marcados no Campeonato Catarinense, o atacante Jael é o grande nome da equipe do Norte do Estado para decidir na Série B. O jogador tem 25 anos e já rodou por diversos grandes times do futebol brasileiro, como Cruzeiro, Bahia, Goiás e Flamengo.

O desejo do atleta em atuar pelo Joinville era grande, tanto é que abriu mão de várias proposta para vestir a camisa tricolor. Jael acredita fazer um bom campeonato pelo Joinville devido a pressão e cobrança que existe por parte da torcida e imprensa.

Com passagens por grandes equipes, Jael voltou a reencontrar seu futebol no Tricolor (Divulgação/JEC)

Quem promete: William Pop

Com a oportunidade de estar na equipe principal no final de 2013, o atacante William Pop conseguiu ganhar oportunidades e atuar também neste ano, durante o Campeonato Catarinense. Diante das oportunidades, o jogador se manteve no elenco e pode se destacar no elenco na disputa da Série B.

No estadual deste ano, Pop atuou em sete partidas. No entanto, o jovem não conseguiu marcar em nenhuma das oportunidades que teve no time. Porém, demonstrando-se sempre com vontade, ele já deixa claro para o treinador o seu estilo de trabalho: “Vou dar o meu melhor para agarrar a oportunidade”.

Análise VAVEL

Com o vice-campeonato no Catarinense, tendo Tartá, Marcelo Costa e Jael, como os principais destaques, o Joinville chega a mais uma participação do Campeonato Brasileiro da Série B creditado a buscar o acesso. Além disso, vem com o time embalado após os últimos jogos do estadual, que deixou o torcedor animado.

Agora, resta ao treinador Hemerson Maria não deixar que essa animação contagie o elenco nesse início de competição. Com os pés no chão, mas principalmente, com o bom do futebol apresentado no final do Catarinense, o JEC pode conquistar o tão sonhado acesso neste ano.

VAVEL Logo