Argel Fucks: do emprego contestado à final do Campeonato Gaúcho
Primeiro duelo entre o Inter de Argel e o Juventude de Antônio Carlos é no domingo (1), às 16h, em Caxias (Foto: Ricardo Duarte/ S.C. Internacional)

Treinar um time de futebol no Brasil é viver na corda bamba. A exagerada pressão vinda da imprensa, da torcida e dos próprios dirigentes faz com que o número de demissões seja extremamente elevado por aqui. O caso de Argel Fucks em 2016 é um exemplo fiel da realidade vivida nacionalmente.

Contratado pelo presidente Vitório Piffero em agosto do ano passado, Argel chegou ao Inter logo após uma histórica e acachapante goleada sofrida para o Grêmio. A campanha colorada no Brasileirão, até então medíocre, teve uma considerável melhora nos resultados. No entanto, a qualidade do jogo apresentado pela equipe não empolgava.

Na atual temporada, o panorama não se alterou muito. Os titulares de 2015 se mantiveram quase por completo, e o único reforço selecionado entre os 11 foi Fernando Bob. O agora camisa 5 vermelho é a personificação do principal e mais visível conceito tático implementado por Fucks após a virada de ano: a ''saída de três''. Nas primeiras partidas já se notou a nova formatação, com Bob entre os zagueiros visando qualificar as tramas ofensivas desde trás.

Disputando Gauchão e Primeira Liga, o Inter sofreu somente uma derrota em 2016: diante do Veranópolis, no Beira-Rio. Na competição estadual, o Colorado empatou demais e ficou longe dos líderes na maior do tempo, terminando a fase classificatória na terceira posição. Na reta final, as atuações evoluíram, os gols saíram mais naturalmente e o sistema defensivo cresceu. Sem alarde, o clube caiu na Sul-Minas-Rio nas semis, em revés nos pênaltis para o Fluminense.

O fato é que, após período tenso entre os meses de fevereiro e março, Argel conseguiu transformar o Internacional em um time mais leve. Hoje, é possível dizer que há uma ideia de jogo. O sistema é o 4-2-3-1, com a afirmação de jovens como Andrigo e Artur entre os titulares. Como ano passado, Sasha e Vitinho são importantes peças do ataque, que se destaca pela intensa movimentação e troca de posições.

Se há certezas na frente, do meio pra trás o ex-zagueiro não pode contar com William e Rodrigo Dourado no momento. Enquanto o lateral está fora do Gauchão por suspensão, o volante segue se recuperando de lesão muscular. Na defesa, Paulo Cezar Magalhães não conta com total confiança de Argel, e Fabinho tem sido bastante improvisado no setor. No meio, o próprio Fabinho atua ao lado de Fernando Bob. Quando o atleta vindo do Figueirense é deslocado, Anderson recua e forma dupla de volantes.

É desta forma, tendo passado por provações e superado desafios, que Argel Fucks chega no comando do Internacional para disputar o título do Campeonato Gaúcho 2016 diante do Juventude. Conquistar a taça seria simbólico: em caso de triunfo, o Colorado se consagraria como hexacampeão estadual. Neste cenário de altos e baixos, a regularidade vencedora dos vermelhos é um ponto fora da curva.

VAVEL Logo