Recordar é viver: relembre os confrontos entre Brasil e Austrália
Foto: Hugo Alves/Editoria de Arte VAVEL Brasil

Na manhã desta terça-feira (13), a Seleção Brasileira masculina fará seu segundo amistoso deste mês, desta vez diante da Austrália. Localizada a mais de 15mil km de distância do Brasil, o país não tem a mesma tradição brasileira no futebol, tampouco cinco Copas do Mundo ou grandes ídolos da bola como Pelé, Garrincha e Ronaldo.

No entanto, mesmo antagônicos, Brasil e Austrália já se enfrentaram cinco vezes – uma delas valendo título -, protagonizando sempre jogos muito movimentados. Resgatando esse duelos, a VAVEL Brasil relembra as partidas entre Brasil e Austrália.

1997: dois encontros na Copa das Confederações

No ano de 1997, a Arábia Saudita sediou a primeira Copa das Confederações com este nome, uma vez que o país realizou as duas competições anteriores, intituladas de "Copa Intercontinental" pela Fifa. Com o ataque comandado por Romário e Ronaldo, mundialmente conhecido como “Ro-Ro”, a Seleção Brasileira era, sem dúvidas, cotada como uma das favoritas a conquistar a Copa.

Logo no segundo confronto da fase de grupos, após vencer a equipe anfitriã, o Brasil enfrentou a Austrália, comandada pelo atacante Mark Viduka. E, diferente do que se viu na vitória de 3 a 0 diante da Arábia Saudita, nem Romário ou tampouco Ronaldo brilharam, e o jogo foi morno e sem gols.

O empate em 0 a 0 já demonstrava o potencial da equipe australiana, que avançou às semifinais ocupando a segunda colocação. E, na partida diante do poderoso Uruguai, a Austrália mais uma vez surpreendeu e bateu a Celeste por 1 a 0. Coincidentemente ou não, Brasil e Austrália mais uma vez iriam se enfrentar, agora, pela final da primeira Copa das Confederações.

Mas, em uma final, estrelas brilham. E, diferente da partida na fase de grupos, a dupla “Ro-Ro” brilhou, dando um show à parte no estádio Rei Fahd, Riad. Diante de um público de mais de 65 mil pessoas, Romário e Ronaldo não deram chances para a promissora Seleção Australiana, balançando as redes, cada um, três vezes. O Brasil goleou a Austrália por 6 a 0 e conquistou a Copa das Confederações de 1997.

2001: Frustração na Copa das Confederações

Sob o comando de Emerson Leão, a Seleção Brasileira formada para disputar a Copa das Confederações em 2001, no Japão, era composta basicamente por um time reserva, com rostos novos como de Whashington e Carlos Miguel, na finalidade de teste para a Copa do Mundo do ano seguinte.

Segundo colocado na fase de grupos, o Brasil encarou a Seleção Francesa pela semifinal da competição. Com a diferença técnica visível entre as duas equipes, a França bateu os brasileiros por 2 a 1, com gols de Pirès e Desailly.

Na disputa pela terceira colocação, que salvaria o ano da Seleção Brasileira, a equipe de Leão tinha pela frente a pouco conhecida Seleção Australiana. Mas, em uma partida fraca tecnicamente e com muitas chances de gols perdidas, aos 39 minutos da etapa final, com Murphy, o Brasil viu, de forma frustrante, a perda do terceiro lugar da Copa das Confederações.

Com o resultado, ainda no Japão, o comandante Emerson Leão foi demitido pela CBF, que já iniciava conversas com Felipão. Um ano depois, Felipão trouxe para solo brasileiro o pentacampeonato mundial.

2006: 2 a 0 na Copa do Mundo

A Copa do Mundo realizada na Alemanha em 2006 ainda causa calafrios em brasileiros ao lembrar da fatídica eliminação para a França, com um gol de Zidane, ainda nas quartas de final. Mas, antes disso, na fase de grupos, o Brasil enfrentou a Austrália, na segunda rodada do Grupo F.

Sem o prestígio de um time composto por grandes nomes como Kaká, Adriano e Fred, a Seleção Australiana, no entanto, soube se impor, e com excelente postagem defensiva, o Brasil, mesmo com todo o talento individual de seus jogadores, enfrentou dificuldades de criar jogadas de perigo ao gol australiano, fazendo assim um primeiro tempo ruim e muito abaixo do esperado.

Na volta dos vestiários, entretanto, a Seleção Brasileira mudou sua postura, e, logo aos três minutos do recomeço do embate, com Adriano, o Brasil abriu o placar no Allianz Arena, em Munique. A partida então seguiu bem movimentada, mas ainda com um nível técnico ruim. Somente no fim da etapa derradeira, aos 44 minutos, a seleção comandada por Parreira definiu o confronto com um gol de Fred, impondo números finais ao marcador: 2 a 0 para o Brasil.

2013: Goleada em amistoso internacional

No feriado de Independência do Brasil, o amistoso diante da Austrália foi realizado no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. Após se sagrar campeã da Copa das Confederações meses antes, a Seleção Brasileira comandada por Felipão chegou com moral à capital do Brasil para a partida diante da Seleção Australiana.

O primeiro tempo da partida foi um verdadeiro massacre verde e amarelo. Logo aos oito minutos de bola rolando, Jô aproveitou o rebote dado pela trave, após chute de Bernard, e abriu o marcador no estádio Mané Garrincha.

Jogando recuada, a Austrália dava ao Brasil grandes oportunidades de gols. Mais uma vez com Jô, o Brasil ampliou o placar, aos 34 minutos da etapa inicial. Dois minutos depois, Neymar recebeu belíssimo passe de Ramires, entrou na área e tocou rasteiro na saída do goleiro, selando o placar de 3 a 0 antes do intervalo.

Na volta para a etapa derradeira do confronto, a equipe de Felipão seguiu com a mesma qualidade técnica e sem dificuldades para levar perigo à meta australiana. Logo no início do segundo tempo, Maxwell, que entrou no lugar de Marcelo, fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Ramires, que transformou a vitória em goleada: 4 a 0.

Mas, a goleada seria maior. Aos 26 minutos, foi a vez de Alexandre Pato deixar sua marca. Já no fim da partida, Luiz Gustavo fez bela jogada individual, arriscou o chute na entrada da área e acertou o ângulo direito de Schwarzer. Belíssimo gol para pôr números finais no placar do encontro: 6 a 0.

Agora, em mais um amistoso, sob o comando de Tite, o Brasil enfrenta a Austrália nesta terça-feira (13) às 7h05, horário de Brasília.

VAVEL Logo