Grafite é apresentado no Santa Cruz e cogita aposentadoria em dezembro
(Foto: Beatriz Cunha / VAVEL Brasil)

O Santa Cruz apresentou, na tarde desta segunda-feira (14), o seu mais novo reforço para a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. Trata-se de um velho conhecido da torcida Coral, o atacante e ídolo Grafite, que aos 38 anos, chega para defender as cores do clube pela quarta vez.

Muito se fala sobre esse ser o último contrato do do atleta como jogador profissional, mas segundo o próprio, a depender do desempenho dentro de campo, o vínculo ainda pode ser estendido. O camisa 23 usou como exemplo sua última passagem no Arruda, quando chegou pensando em se aposentar, mas teve grandes resultados nos gramados e deu sequência à carreira.

''No ano passado eu tinha isso em mente (ideia de se aposentar no fim do contrato), mas fiz uma boa temporada, apesar do rebaixamento, e surgiu a oportunidade de ir para o Atlético PR, jogar uma Libertadores novamente. Acho que se eu conseguir repetir esses quatro meses aqui com bons jogos e fazendo gols, posso pensar numa continuação. Venho refletindo muito, apareceram alguns projetos, mas a tendência é ir até o fim do ano''.

Caso opte por pendurar mesmo as chuteiras após o final da temporada, Grafite falou sobre a possibilidade de continuar no futebol, mas como dirigente. Dizendo já pensar nesse tipo de coisa, o centro-avante não descartou iniciar esse projeto dentro do próprio Santa Cruz em 2018.

''Não tivemos ainda nenhuma conversa e vai depender muito da minha performance no fim do ano. É um projeto que tenho, apareceram muitos clubes, mas prefiro me capacitar. Venho conversando com profissionais que fizeram isso e sei que é uma transição difícil. É um ano de eleição no clube e não sabemos como ficarão as coisas. Quem sabe se houver um acordo com a parte administrativa, por mim não teria problema algum''.

O jogador também comentou sobre a vontade que tinha de voltar a defender o time Coral. Disse que sempre teve o desejo de retornar ao seu clube de origem, e recusou propostas de outras equipes para dar preferência à negociação com a diretoria Tricolor.

''O fato do clube querer que eu voltasse foi determinante. Fui procurado por vários clubes, mas sempre tive o desejo de voltar ao Santa Cruz. Por conta da forma que eu saí ano passado, que eu achei normal, ficaram dúvidas sobre isso. Mas quando encontrei os diretores, eles colocaram o ponto de vista deles, eu coloquei o meu. O sentimento que tenho pelo clube foi decisivo e achei que seria a melhor opção terminar minha carreira aqui no fim do ano.''

Foto: Lucas Araújo / VAVEL Brasil                     

Quando questionado sobre o objetivo da equipe a Série B, o atleta manteve os pés no chão. Com um discurso de superar um obstáculo de cada vez, não afirmou que a luta seria pelo acesso, mas não descartou essa hipótese, colocando como prioridade a saída da parte de baixo da tabela.

''Para pensar no acesso, temos que sair dessa zona que estamos. Somos o primeiro time fora da zona e não estamos longe da zona do acesso. Lembro da equipe do Internacional, que estava em sétimo, oitavo lugar, e agora está em segundo. Primeiro, temos que pensar em permanecer na Série B, e aí, com um trabalho bem feito, pensamos no acesso''.

Sobre seu desempenho individual, o atacante evitou prometer gols. Sem sequer se considerar garantido na equipe titular, lembrou da meta de gols que traçou no Atlético Paranaense e que acabou nçao conseguindo nem chegar perto.

''Não sou muito de prometer gols. No Atlético PR fiz a besteira de falar em metas e depois que marquei na estreia, começaram a cobrar, que só faltavam 29 gols. Eu nem falei em fazer 30, mas que queria mais que o ano anterior. O Carlos Alberto até brincou comigo que eu teria que fazer seis anos de contrato para cumprir a meta''.

A reestreia do ídolo Tricolor ainda não tem data marcada. Não foi descartada a chance de Grafite entrar em campo diante do Guarani, no próximo sábado (19), mas segundo o próprio jogador, no duelo contra o CRB, no outro sábado, dia 26, no Arruda.

VAVEL Logo