Botafogo empata com Volta Redonda e permance no terceiro lugar do Grupo C da Taça Rio
Foto: Vitor Silva/SS Press/Botafogo

Botafogo empata com Volta Redonda e permance no terceiro lugar do Grupo C da Taça Rio

Equipe de Alberto Valentim tem boa atuação, cria muitas chances, mas para em tarde inspirada de goleiro Douglas Borges e permanece na 3ª posição do Grupo C

sergio-santana
Sergio Santana
Volta RedondaDouglas Borges; Luis Gustavo, Roger, Gilberto, Luiz Paulo; Bruno Barra, Marcelo; Vinícius Pacheco (Pablo), Mauro Gabriel (Anselmo), Núbio Flávio (João Cleriston); Dija Baiano
BotafogoGatito Fernández; Marcinho, Igor Rabello, Marcelo Benevenuto, Moisés; Rodrigo Lindoso (Brenner), João Paulo, Leo Valencia; Rodrigo Pimpão (Marcos Vinicius), Kieza, Ezequiel (Luiz Fernando)
INCIDENCIASPartida entre Volta Redonda e Botafogo, válida pela 5ª rodada da Taça Rio, no Estádio Raulino de Oliveira

Fora das zonas de classificação para as semifinais de seus respectivos grupos, Volta Redonda e Botafogo se enfrentaram, neste domingo (11), no Estádio Raulino de Oliveira, em jogo válida pela 5ª rodada da Taça Rio, o primeiro turno do Campeonato Carioca. Apesar de ter atacado muito, a equipe treinada por Alberto Valentim empatou em 1 a 1 com o Voltaço, com Mauro Gabriel, para os donos da casa, e Igor Rabello, para a equipe alvinegra, marcando os gols do duelo. 

Apesar do Botafogo ter começado forte no campo de ataque, principalmente com jogadas pelos lados do campo, a primeira chance perigosa da partida foi do Volta Redonda: logo aos cinco minutos, Vinícius Pacheco tocou para Marcelo, que dominou ajeitando seu corpo e, de muito longe, finalizou forte. Gatito Fernandez conseguiu tocá-la com a ponta de seus dedos e viu a pelota explodir no travessão.

Mesmo com esse lance, o Botafogo passou a controlar a posse da bola e criar algumas chances, como, por exemplo, em finalização de falta de Leonardo Valencia e e um uma tentativa de voleio de Rodrigo Pimpão. A principal trama, porém, foi organizada aos 16 minutos, quando Igor Rabello lançou da faixa central e encontrou Ezequiel dentro da área. O jovem, oriundo das categorias de base, até conseguiu driblar o goleiro, mas, com pouco espaço restante e em alta velocidade, acabou finalizando para fora.

No melhor momento do Botafogo no primeiro tempo, porém, a equipe mandante conseguiu abrir o placar: aos 22 minutos, João Paulo perdeu a bola no meio-campo para Mauro Gabriel, que, aproveitando o espaço deixado pela defesa do alvinegro, que estava avançado, conduziu até a entrada da área e, sem sofrer nenhum tipo de pressão, finalizou com qualidade, acertando o canto do goleiro Gatito Fernández, que pouco pôde fazer.

Esse acontecimento, porém, não fez a equipe de Alberto Valentim diminuir o seu ritmo, e o Botafogo continuou trocando passes e criando chances, apesar de conseguir finalizar todas. Aos 29 minutos, o alvinegro chegou a balançar as redes, mas o gol não foi validado: Leo Valencia cobrou falta e Igor Rabello, em posição irregular, cabeceou para dentro. Essa trama se repetiria aos 37’, mas, dessa vez, o cruzamento do chileno encontraria o zagueiro em condições de jogo e ele, consequentemente, empatou a partida.

O segundo tempo começou equilibrado, com as duas equipes estando ativas no campo ofensivo. A melhor chance ocorreu aos 11’, e foi a favor do Botafogo: Moisés dominou um rebote dentro da área, cortou o marcador e chutou muito perto da trave. Dois minutos depois, Igor Rabello encontrou o lateral-esquerdo com liberdade novamente, ele conseguiu driblar, ficar sozinho e cruzou. Douglas Borges, porém, de um pequeno toque com a ponta dos dedos e, por isso, Kieza acabou passando da bola, desperdiçando uma boa chance. 

O segundo tempo começou equilibrado, com as duas equipes estando ativas no campo ofensivo. A melhor chance ocorreu aos 11’, e foi a favor do Botafogo: Moisés dominou um rebote dentro da área, cortou o marcador e chutou muito perto da trave. Dois minutos depois, Igor Rabello encontrou o lateral-esquerdo com liberdade novamente, ele conseguiu driblar, ficar sozinho e cruzou. Douglas Borges, porém, de um pequeno toque com a ponta dos dedos e, por isso, Kieza acabou passando da bola, desperdiçando uma boa chance.

A entrada de Marcos Vinícius, que herdou o lugar de Rodrigo Pimpão no intervalo, fez a equipe do Botafogo conseguir ser ainda mais participativa no campo de ataque e, principalmente, fez Leonardo Valencia melhorar sua atuação. O chileno, pelo lado esquerdo, pareceu mais atento à partida: conseguiu cavar faltas e sempre construía chances que eram viáveis para uma possível finalização, uma das suas principais qualidades.  

Precisando da vitória para chegar à zona de classificação para as semifinais do turno, o Botafogo se lançou para o ataque nos minutos finais e, nesse contexto, um novo personagem surgiu na partida: o goleiro Douglas Borges, que fez, pelo menos, duas boas defesas em jogadas da equipe de General Severiano, que atacava, principalmente, por meio dos cruzamentos, ainda mais quando Brenner e Kieza estiveram juntos no gramado. Mesmo com a pressão, os comandados de Alberto Valentim não conseguiram virar o jogo, que terminou empatado. 

Com esse empate, o Botafogo conseguiu chegar aos 10 pontos, a mesma quantidade da Portuguesa, mas continua na terceira posição do Grupo C, já que a equipe da Ilha do Governador tem vantagem no saldo de gols, principal critério de desempate. Dessa maneira, o jogo da próxima rodada, que será contra o Vasco, no domingo (16), no Estádio Nilton Santos, será de extrema importância, já que definirá a vida do alvinegro na Taça Rio.

O Volta Redonda, por sua vez, está matematicamente eliminado da Taça Rio, já que chegou aos 3 pontos e o Flamengo, segundo colocado, possui 9. Dessa maneira, a luta do Voltaço é contra o rebaixamento e, na próxima rodada, terão o Boavista, no próprio Estádio Raulino de Oliveira, pela frente. 

VAVEL Logo

    Botafogo de Futebol e Regatas Notícias

    há 19 dias
    há 21 dias
    há 22 dias
    há 22 dias
    há 25 dias
    há um mês
    há um mês
    há um mês
    há um mês
    há um mês
    há um mês