Botafogo empata com Volta Redonda e permance no terceiro lugar do Grupo C da Taça Rio

Equipe de Alberto Valentim tem boa atuação, cria muitas chances, mas para em tarde inspirada de goleiro Douglas Borges e permanece na 3ª posição do Grupo C

Botafogo empata com Volta Redonda e permance no terceiro lugar do Grupo C da Taça Rio
Foto: Vitor Silva/SS Press/Botafogo
Volta Redonda
1 1
Botafogo
Volta Redonda: Douglas Borges; Luis Gustavo, Roger, Gilberto, Luiz Paulo; Bruno Barra, Marcelo; Vinícius Pacheco (Pablo), Mauro Gabriel (Anselmo), Núbio Flávio (João Cleriston); Dija Baiano
Botafogo: Gatito Fernández; Marcinho, Igor Rabello, Marcelo Benevenuto, Moisés; Rodrigo Lindoso (Brenner), João Paulo, Leo Valencia; Rodrigo Pimpão (Marcos Vinicius), Kieza, Ezequiel (Luiz Fernando)
INCIDENCIAS: Partida entre Volta Redonda e Botafogo, válida pela 5ª rodada da Taça Rio, no Estádio Raulino de Oliveira

Fora das zonas de classificação para as semifinais de seus respectivos grupos, Volta Redonda e Botafogo se enfrentaram, neste domingo (11), no Estádio Raulino de Oliveira, em jogo válida pela 5ª rodada da Taça Rio, o primeiro turno do Campeonato Carioca. Apesar de ter atacado muito, a equipe treinada por Alberto Valentim empatou em 1 a 1 com o Voltaço, com Mauro Gabriel, para os donos da casa, e Igor Rabello, para a equipe alvinegra, marcando os gols do duelo. 

Apesar do Botafogo ter começado forte no campo de ataque, principalmente com jogadas pelos lados do campo, a primeira chance perigosa da partida foi do Volta Redonda: logo aos cinco minutos, Vinícius Pacheco tocou para Marcelo, que dominou ajeitando seu corpo e, de muito longe, finalizou forte. Gatito Fernandez conseguiu tocá-la com a ponta de seus dedos e viu a pelota explodir no travessão.

Mesmo com esse lance, o Botafogo passou a controlar a posse da bola e criar algumas chances, como, por exemplo, em finalização de falta de Leonardo Valencia e e um uma tentativa de voleio de Rodrigo Pimpão. A principal trama, porém, foi organizada aos 16 minutos, quando Igor Rabello lançou da faixa central e encontrou Ezequiel dentro da área. O jovem, oriundo das categorias de base, até conseguiu driblar o goleiro, mas, com pouco espaço restante e em alta velocidade, acabou finalizando para fora.

No melhor momento do Botafogo no primeiro tempo, porém, a equipe mandante conseguiu abrir o placar: aos 22 minutos, João Paulo perdeu a bola no meio-campo para Mauro Gabriel, que, aproveitando o espaço deixado pela defesa do alvinegro, que estava avançado, conduziu até a entrada da área e, sem sofrer nenhum tipo de pressão, finalizou com qualidade, acertando o canto do goleiro Gatito Fernández, que pouco pôde fazer.

Esse acontecimento, porém, não fez a equipe de Alberto Valentim diminuir o seu ritmo, e o Botafogo continuou trocando passes e criando chances, apesar de conseguir finalizar todas. Aos 29 minutos, o alvinegro chegou a balançar as redes, mas o gol não foi validado: Leo Valencia cobrou falta e Igor Rabello, em posição irregular, cabeceou para dentro. Essa trama se repetiria aos 37’, mas, dessa vez, o cruzamento do chileno encontraria o zagueiro em condições de jogo e ele, consequentemente, empatou a partida.

O segundo tempo começou equilibrado, com as duas equipes estando ativas no campo ofensivo. A melhor chance ocorreu aos 11’, e foi a favor do Botafogo: Moisés dominou um rebote dentro da área, cortou o marcador e chutou muito perto da trave. Dois minutos depois, Igor Rabello encontrou o lateral-esquerdo com liberdade novamente, ele conseguiu driblar, ficar sozinho e cruzou. Douglas Borges, porém, de um pequeno toque com a ponta dos dedos e, por isso, Kieza acabou passando da bola, desperdiçando uma boa chance. 

O segundo tempo começou equilibrado, com as duas equipes estando ativas no campo ofensivo. A melhor chance ocorreu aos 11’, e foi a favor do Botafogo: Moisés dominou um rebote dentro da área, cortou o marcador e chutou muito perto da trave. Dois minutos depois, Igor Rabello encontrou o lateral-esquerdo com liberdade novamente, ele conseguiu driblar, ficar sozinho e cruzou. Douglas Borges, porém, de um pequeno toque com a ponta dos dedos e, por isso, Kieza acabou passando da bola, desperdiçando uma boa chance.

A entrada de Marcos Vinícius, que herdou o lugar de Rodrigo Pimpão no intervalo, fez a equipe do Botafogo conseguir ser ainda mais participativa no campo de ataque e, principalmente, fez Leonardo Valencia melhorar sua atuação. O chileno, pelo lado esquerdo, pareceu mais atento à partida: conseguiu cavar faltas e sempre construía chances que eram viáveis para uma possível finalização, uma das suas principais qualidades.  

Precisando da vitória para chegar à zona de classificação para as semifinais do turno, o Botafogo se lançou para o ataque nos minutos finais e, nesse contexto, um novo personagem surgiu na partida: o goleiro Douglas Borges, que fez, pelo menos, duas boas defesas em jogadas da equipe de General Severiano, que atacava, principalmente, por meio dos cruzamentos, ainda mais quando Brenner e Kieza estiveram juntos no gramado. Mesmo com a pressão, os comandados de Alberto Valentim não conseguiram virar o jogo, que terminou empatado. 

Com esse empate, o Botafogo conseguiu chegar aos 10 pontos, a mesma quantidade da Portuguesa, mas continua na terceira posição do Grupo C, já que a equipe da Ilha do Governador tem vantagem no saldo de gols, principal critério de desempate. Dessa maneira, o jogo da próxima rodada, que será contra o Vasco, no domingo (16), no Estádio Nilton Santos, será de extrema importância, já que definirá a vida do alvinegro na Taça Rio.

O Volta Redonda, por sua vez, está matematicamente eliminado da Taça Rio, já que chegou aos 3 pontos e o Flamengo, segundo colocado, possui 9. Dessa maneira, a luta do Voltaço é contra o rebaixamento e, na próxima rodada, terão o Boavista, no próprio Estádio Raulino de Oliveira, pela frente.