Em dia de luto por Bebeto, Atlético-MG bate Figueirense nos penais e segue na Copa do Brasil

Camisa atleticana estampou o nome do diretor de administração e controle do clube, que faleceu na última terça após sofrer uma parada cardíaca na Cidade do Galo

Em dia de luto por Bebeto, Atlético-MG bate Figueirense nos penais e segue na Copa do Brasil
Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG
Atlético-MG
1 2
Figueirense

Ver o Atlético-MG jogando de preto não remete a surpresa alguma, afinal, essa é uma das cores da equipe. No entanto, nesta quarta (14), o uniforme do Galo foi além do simbolismo da própria identidade do clube. Na Arena Independência, pelo jogo de volta da terceira fase da Copa do Brasil contra o Figueirense, o time mineiro vestiu o luto pela perda de Bebeto de Freitas, diretor atleticano, nessa terça.

Em campo, o Atlético foi derrotado por 2 a 1, com gols de Zé Antônio e Jorge Henrique para os visitantes, tendo o Galo marcado com Ricardo Oliveira. Como o time atleticano tinha vencido por 1 a 0 no jogo de ida, e sem gol qualificado, a decisão foi para os pênaltis. O Galo venceu o clube catarinense por 4 a 2 nos pênaltis - Victor defendeu duas cobranças - e garantiu vaga na quarta fase da Copa do Brasil.

O Atlético ainda não sabe qual será o seu adversário da próxima etapa do torneio nacional. Isso porque o sorteio dos confrontos será feito na sede da CBF na próxima segunda (19), às 11h. As datas da quarta fase são 4, 11 e 18 de abril.

Bebeto sofreu uma parada cardíaca na Cidade do Galo na última terça (13) (Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG)

Classificado na Copa do Brasil, o Atlético agora vai mirar seu foco no Campeonato Mineiro. No domingo, o Galo tem um compromisso marcado com a URT, em jogo único pelas quartas de final do torneio regional. Como a etapa não tem volta, o duelo contra o Trovão Azul, marcado para 16h, vale vaga na semifinal do Mineiro.

Em mesmos dia e horário do compromisso atleticano, o Figueirense vai receber o Inter de Lages em jogo válido pela 14ª rodada da primeira fase do Campeonato Catarinense. Em seu regional, o Figueira ocupa o segundo lugar com 27 pontos e aparece atrás apenas da Chapecoense, líder com 30.

Figueirense prestou homenagem a Bebeto (Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG)

Figueira abre o placar, mas Galo deixa tudo igual no primeiro tempo

O Atlético começou o duelo com vantagem no agregado pelo placar construído em Santa Catarina. Na primeira metade da etapa inicial, porém, quem inaugurou o marcador no Independência foi o Figueirense. Aos 21, o volante Zé Antônio encheu o pé em cobrança de falta e soltou uma bomba contra o gol de Victor. O arqueiro do Galo não conseguiu conter a velocidade do chute, e o time visitante inaugurou o marcador do Horto.

A resposta do Atlético não demorou muito. Ao contrário do tento catarinense, o gol atleticano amadureceu com bola rolando. Na marca dos 25 minutos do primeiro tempo, Adilson pegou bola no meio e serviu Ricardo Oliveira, que, já dentro da área do Figueira, marcou. O jogador  atleticano ajeitou o passe recebido e acertou o canto de Denis com a perna esquerda: 1 a 1.

Logo que deixou tudo igual no placar, o Atlético começou a imprimir mais pressão na partida, mas o Figueirense conseguiu se recompor e passou a dificultar mais as triangulações mineiras. Arma letal do time catarinense com Zé Antônio, a bola parada passou a ser um dos apelos do Galo, mas nada de muito perigo contra a meta de Denis. As equipes, com isso, encerraram o primeiro tempo empatadas.

Ricardo Oliveira deixou tudo igual no primeiro tempo para o Galo (Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG)

Apenas time visitante marca, e decisão vai para os pênaltis

O empate dava a classificação ao Atlético-MG e não agradava nem um pouco ao Figueirense. Com essa noção, o time catarinense buscou o seu segundo gol na etapa final e conseguiu aos 25. Dentro da área do Atlético, André Luis escorou bola, a zaga do Galo se atrapalhou, e Jorge Henrique aproveitou para mandar no canto de Victor.

Com vantagem no marcador, o Figueira passou a marcar muito no meio-campo, dificultando as passagens atleticanas. O Galo, com isso, passou a ter dificuldades de rondar a área adversária, já que os catarinenses se fechavam bem.Aos 46, o lateral Patric ajeitou um cruzamento na segunda trave tentando encontrar Ricardo Oliveira, mas Denis subiu e encaixou defesa.

O Galo emendou pressão nos minutos finais e chegou bem aos 40 com com a dupla citada. Ricardo Oliveira arriscou rasteiro, mas Denis conseguiu defender. A sobra ficou para a continuidade da jogada para o Galo, que seguiu se ajeitando pela direita até a bola sobrar dentro da área para Patric. O lateral pegou mal e mandou pela linha de fundo.

Atlético bate Figueirense nos pênaltis

Sem gol qualificado, a vitória do Figueirense por 2 a 1 levou a decisão da vaga na quarta fase para as penalidades máximas. Jorge Henrique abriu as cobranças, mas parou na defesa de Victor. Em seguida, Fábio Santos, André Luis e Ricardo Oliveira converteram: 2 a 1 para o Galo.

O goleiro Victor voltou a se dar bem, desta vez defendendo a cobrança de Diego Renan. Na sequência, Tomás Andrade, Cedrón e Luan completaram suas cobranças. O Galo acertou todas que precisou bater e venceu o Figueira nos pênaltis por 4 a 2.