Notas: Nos pênaltis, Palmeiras bate Santos e avança para final do Paulistão
Jaílson defende cobrança de Diogo Victor e deixa o Palmeiras em vantagem nas penalidades (FOTO: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

Era um Palmeiras apenas com uma mudança da equipe que enfrentou o Santos pela partida de ida no sábado. Tchê Tchê substituiu Marcos Rocha, com desconforto na coxa. Mas existia do outro lado um Santos procurando o resultado e o placar do tempo normal não nega como o Santos entrou em campo.

Sasha abriu o placar aos 12 minutos da primeira etapa para o Santos, acertando um belo cabeceio sozinho dentro da área. Bruno Henrique, aos 16 deixou a partida empatada e a vantagem do placar ainda com o alviverde, após acertar um lindo chute no canto esquerdo de Vanderlei. Porém, aos 39 do primeiro tempo, Rodrygo marcou o segundo do Santos e encaminhou o placar para a decisão por pênaltis.

Nas penalidades deu Verdão Por 5 a 3, com direito a defesa de Jailson no pênalti cobrado por Diogo Victor.  Gabriel Barbosa, Jean Mota e Artur converteram para o Santos. Já pelo Palmeiras, as 5 cobranças feitas por Dudu, Tchê Tchê, Victor Luís, Moisés e Guerra balançaram as redes.

Elenco se reuniu após a classificação para agradecer a vaga na final (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)


NOTAS

A equipe VAVEL Brasil analisou a partida de volta das semifinais e decidiu as notas para os atletas da Sociedade Esportiva Palmeiras.

Jailson 9.0: O efeito suspensivo valeu uma vaga na grande final do Campeonato Paulista 2018. Em noites iluminadas nas duas partidas, Jailson defendeu a cobrança de Diogo Victor e tranquilizou o Palmeiras na sequência dos penais.

Tchê Tchê 7.0: Teve em mãos a complicada tarefa de substituir Marcos Rocha, líder de desarmes do campeonato. Com a desconfiança da torcida, o camisa 8 até rendeu um bom futebol defensivamente, mas por não ser um lateral de origem, não apoiava no ataque. Converteu seu pênalti na decisão.

Thiago Martins 6.0: A zaga do Palmeiras segue insegura em jogos decisivos. Ambos gols do Santos foram falhas de marcação dos zagueiros.

Antônio Carlos 6.0: Ao lado de Thiago, não estava em uma boa noite e teve parcela de culpa no segundo gol da equipe adversária.

Victor Luís 7.0: O lado esquerdo do Palmeiras funcionou graças a Víctor Luís. O lateral fechou o setor defensivamente e não deixou a equipe do Santos criar pela beirada do campo. Victor ainda converteu seu pênalti na decisão.

Felipe Melo 7.0: Dominou o meio-campo e não deixou o Santos explorar o contra-ataque. Ao lado de Bruno Henrique, faz uma ótima dupla de volantes.

Bruno Henrique 8.0: Autor do gol que manteve o Palmeiras vivo nos 90 minutos. Com um belo chute, o meio-campo acertou o canto esquerdo de Vanderlei para a alegria de um Pacaembu lotado.

Lucas Lima 6.0: Apagado, fez o pior jogo desde que chegou ao Palmeiras. Foi substituído por Guerra na segunda etapa.

Keno 7.0: O mais ofensivo do ataque Palmeirense nos 90 minutos. Quando tinha a bola, fazia fumaça na defesa Santista.

Dudu 7.0:Fez boa partida, se apresentou para as jogadas.  Acertou a cobrança que abriu a série de pênaltis.

Willian 6.0: A bola não chegava e Willian não fez uma boa partida, foi substituído por Deyverson.

Moisés 5.0: Entrou na vaga de Bruno Henrique com a esperança de mudar o cenário do jogo, mas com um Santos recuado pouco fez. Cobrou o seu pênalti e acertou.

Guerra 6.0: Entrou para dar cara nova ao ataque do Palmeiras, mas encontrou uma barreira Santista em sua frente, como Moisés, não conseguiu propor seu futebol. O camisa 18 selou a classificação alviverde batendo o quinto e último pênalti.

Deyverson SEM NOTA: Entrou para ser referência dentro da área nos minutos finais na esperança de um gol com jogada aérea, mas a bola não chegou.

Roger Machado 6.0: Não foi brilhante como na fase de grupos, mas fez o possível para sair com a classificação. Mexeu tarde na equipe, que não demonstrou efeito.


 

VAVEL Logo