Ronaldinho Gaúcho: o destaque do penta em 2002 que acabou decepcionando em 2006

Um dos maiores jogadores da história, Ronaldinho brilhou na copa de 2002, mas ficou apagado em 2006, na sua última Copa do Mundo

Ronaldinho Gaúcho: o destaque do penta em 2002 que acabou decepcionando em 2006
(Foto: Stuart Franklin/Getty Images)

Quando o assunto é futebol e seleção brasileira nesse século, é impossível não se lembrar de Ronaldinho Gaúcho. Um dos maiores jogadores de todos os tempos, o craque ex-Barcelona foi conhecido por tudo que fez no futebol nos últimos anos, desde sua primeira Copa do Mundo em 2002 onde o jogador foi revelação e destaque da seleção brasileira na conquista do penta. Porém Ronaldinho poderia ter sido muito maior do que foi, mas acabou decepcionando em 2006 e se despedindo dos Mundiais de forma triste.

Ronaldinho é um dos grandes ídolos e nomes que já vestiram a camisa da seleção brasileira. Apesar de todo o seu futebol com alegria que encantou o mundo, Ronaldinho acabou disputando apenas duas Copas do Mundo, onde foi campeão em 2002 e em 2006 quando caiu nas quartas de final para a França de Zidane e Henry.

Em toda a sua carreira Ronaldinho tem um histórico de 10 partidas em Copas do Mundo, onde jogou 766 minutos, anotando dois gols e quatro assistências. Ronaldinho também levou um cartão amarelo e um cartão vermelho na competição.

2002: a revelação e alegria do penta

Revelação na copa, Ronaldinho foi fundamental na conquista do penta (Foto: Andreas Rentz/Getty Images)

Na copa de 2002, Ronaldinho chegou à seleção após suas grandes atuações no PSG. Mesmo sem ser uma das principais estrelas daquele grupo de Felipão, Ronaldinho foi se tornando peça fundamental da equipe e conquistou sua vaga de titular absoluto. Com 22 anos, Ronaldinho fazia sua primeira copa na carreira e nem esperava que sua campanha fosse tão relevante como foi, já que o Brasil não era um dos favoritos ao título.

Fase de grupos: no Grupo C do Mundial junto com Turquia, China e Costa Rica, Ronaldinho disputou duas das três partidas da primeira fase da competição e foi decisivo quando esteve em campo.

Na primeira partida contra a Turquia o Brasil estreou vencendo por 2 a 1, embora o craque não tenha balançado as redes. Na segunda rodada o Brasil goleou a China por 4 a 0, onde Ronaldinho ajudou com um gol e uma assistência, mesmo jogando apenas 45 minutos. Com a classificação garantida, Ronaldinho assistiu do banco de reservas o Brasil vencer a Costa Rica por 5 a 2 e avançar as oitavas de finais com 100% de aproveitamento.

Nas oitavas de finais contra a Bélgica, o Brasil venceu por 2 a 0 com Ronaldinho dando assistência para um dos gols da partida, contribuindo para a classificação brasileira até as quartas de finais.

Já nas quartas de finais da competição, Ronaldinho Gaúcho finalmente teve o seu grande momento na Copa do Mundo. Encarando a Inglaterra, a equipe brasileira começou perdendo na partida, mas Ronaldinho Gaúcho assumiu a responsabilidade na partida e foi decisivo nos dois gols de virada para confirmar o Brasil na semifinal.

(Foto: Alex Livesey/Getty Images)

O gol de empate do Brasil na partida saiu dos pés de Rivaldo, mas após linda jogada de Ronaldinho que deu a assistência perfeita para o camisa 10 do Brasil na copa empatar a partida contra os ingleses. Mas o melhor ainda estava por vir. Já no segundo tempo Ronaldinho marcou um dos gols mais lindos de toda a sua carreira. Em uma cobrança de falta magistral e perfeita, o craque marcou um golaço do meio de campo para virar a partida e garantir a vitória brasileira de virada.

Detalhe que apesar da assistência e do gol que deram a vitória de virada ao Brasil, Ronaldinho ainda foi expulso na partida contra a Inglaterra, mas a seleção conseguiu segurar o placar de 2 a 1 para chegar até a semifinal.

Enfrentando a Turquia de novo na semifinal, depois de já enfrentar os turcos ainda na fase de grupos, a seleção brasileira não contou com Ronaldinho que cumpria suspensão, mas apesar da ausência do jogador que vinha sendo de extrema importância na equipe, a seleção garantiu uma difícil vitória por 1 a 0 em um jogo muito disputado.

De volta a equipe para a final da Copa do Mundo, junto com Ronaldo Nazário e Rivaldo, Ronaldinho era uma das grandes esperanças da seleção para vencer a Alemanha e conquistar o pentacampeonato mundial. Em um jogo quase impecável da seleção, o Brasil venceu a Alemanha pelo placar de 2 a 0 e foi campeão da Copa do Mundo da Coréia e Japão, em mais uma grande atuação de Ronaldinho.

Com a grande campanha na Copa do Mundo de 2002, Ronaldinho foi eleito para fazer parte do time da copa, como um dos melhores jogadores do torneio. Além disto, suas grandes atuações despertaram o interesse do Barcelona que futuramente contrataria o jogador que viria a ser o melhor do mundo em 2004 e 2005.

2006: a decepção de uma estrela apagada

Apagado em 2006, Ronaldinho não impediu a eliminação para a França (Foto: Mike Egerton/Getty Images)

Chegando à copa de 2006 como o atual melhor jogador do mundo, Ronaldinho era o grande responsável por carregar a seleção ao hexacampeonato mundial. A seleção que era a principal favorita por ter Ronaldinho, Ronaldo, Adriano, Kaká e companhia todos em grande fase, era dada por muitos como a melhor seleção de todas e acreditavam que venceriam a copa sem dificuldades, porém a história não foi assim.

Fase de grupos: no Grupo F da competição, o Brasil enfrentou a Croácia, Austrália e Japão. Na estreia contra a Croácia, a seleção brasileira teve dificuldades no primeiro jogo, mas com um gol de Kaká, conseguiu a vitória por 1 a 0. Já na segunda rodada o Brasil jogou um pouco mais tranquilo e venceu a Austrália por 2 a 0, com Ronaldinho novamente passando em branco. Só na última rodada da primeira fase o Brasil teve uma boa atuação e venceu o Japão por 4 a 1, com Ronaldinho ajudando com uma assistência na partida.

Nas oitavas de finais, o Brasil encarou a seleção de Gana e não teve dificuldades para vencer. Com um jogo tranquilo, mas sem o brilho de Ronaldinho, a seleção brasileira venceu por 3 a 0 e garantiu vaga nas quartas de finais.

Chegando as quartas de finais encarando a França, em uma tentativa de vingança após perder a copa de 1998 para os franceses, a seleção não foi feliz e voltou a perder para Zidane e companhia. Em um jogo disputado onde um lance fez a diferença, a França aproveitou uma falha na marcação brasileira e marcou o único gol da partida com Thierry Henry, que despachou a seleção canarinho da Copa do Mundo.

Com a frustração de ser a seleção favorita ao título, recheada de craques e com o melhor elenco de toda a copa, o Brasil se despediu do Mundial da Alemanha com o sentimento de decepção e fracasso por não conseguir apresentar um bom futebol, principalmente Ronaldinho Gaúcho que era a esperança de muitos para a copa.

A triste despedida de um gênio

Em 2013 Ronaldinho fez uma de suas últimas partidas com a camisa da seleção (Foto: Adam Davy/Getty Images)

Depois de campeão e revelação da copa de 2002, Ronaldinho chegou em 2006 como o melhor jogador do mundo, mas não conseguiu demonstrar todo o seu futebol no Mundial da Alemanha e acabou sendo uma das decepções da seleção, já que todos confiavam nele para mais um título.

Após Copa do Mundo de 2006, Ronaldinho viu seu futebol decair ano após ano e não conseguiu se reerguer para voltar a mais uma Copa do Mundo. Embora muitos falassem que 2010 deveria ser a copa de Ronaldinho que ainda poderia ser o líder da seleção, o craque não conseguiu ficar no seu melhor nível para mais um Mundial.

Já na Copa do Mundo de 2014 no Brasil, Ronaldinho atuava pelo Atlético Mineiro e vinha de grande fase no clube atleticano. O camisa 10 estava tão bem no galo que conseguiu até mesmo a façanha de conquistar o título inédito da Libertadores, mas não conseguiu voltar a seleção para a copa de 2014.

Um triste fim de uma das maiores lendas do futebol brasileiro, mas nada que apague a grande carreira deste craque que marcou seu nome na história do futebol mundial.