Rodrigo Caetano analisa saída do Flamengo e revela: "O foco sempre foi a Libertadores"

Ex-diretor de futebol do Flamengo revelou os bastidores da sua demissão e falou sobre o elenco rubro-negro durante programa na Band

Rodrigo Caetano analisa saída do Flamengo e revela: "O foco sempre foi a Libertadores"
Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

Desligado do Flamengo junto com Carpegiani e Jayme de Almeida, Rodrigo Caetano foi outro que participou do programa "Donos da Bola", da Band, recentemente. Muito criticado por boa parte da torcida, o ex-diretor de futebol do Rubro-Negro disse ter se surpreendido com a demissão.

"A questão de tudo que aconteceu foi o momento. Quando se fala em planejamento, ao final do ano passado, não se cogitou a ideia de uma mudança. A ideia era de continuidade, de ênfase na Libertadores, claro que haviam outras, mas por conta daquele insucesso de 2017 o foco sempre foi ir o mais longe possível na Libertadores" declarou Caetano.

Ainda na mesma declaração, Rodrigo Caetano lembrou o dia de seu desligamento, e comentou a partida contra o Botafogo, pelas semifinais do Carioca.

"Infelizmente o Flamengo foi eliminado por mérito do Botafogo, porque ninguém ganha, principalmente em clássicos, sem fazer por onde. O Flamengo não teve a competência de vencer o Botafogo, e o Botafogo teve. Aí que fica o ponto. Se tudo isso tivesse sido me dito em dezembro, certamente seria um outro momento para todos que acabaram saindo", continuou.

Questionado por um dos comentaristas do programa sobre a contratação de diversos técnicos ao longo de seu trabalho, Caetano disse que as decisões eram tomadas em conjunto.

"Não tem como você ter uma figura tão importante no comando técnico, como o treinador, se não tiver quase que um consenso. Durante todo esse tempo, teve a participação de muitas pessoas, ou das pessoas importantes", disse o ex-diretor.

Em outro momento durante o programa, o ex-diretor falou sobre o caro elenco rubro-negro, e disse que, apesar de apresentar qualidade no papel, o plantel ainda precisa se ajustar dentro de campo.

"O que todo mundo espera é que o rendimento venha, e é claro que eles serão avaliados pelos títulos de expressão que não vieram até agora. Apesar disso, não se pode invalidar esse elenco. É de consenso, que o Flamengo tem um dos quatro melhores elencos do Brasil. Transformar esse elenco em um grande time é o desafio que o Flamengo vem buscando a algum tempo", declarou Rodrigo Caetano.

Rodrigo Caetano contratou, ao todo, 42 jogadores; poucos são unanimidades (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

Confira outras declarações do ex-diretor durante o programa:

Desempenho do clube nos últimos anos

- Ano passado o Flamengo voltou a ser protagonista, porque tudo que disputou, chegou, com exceção da Libertadores, e por conta disso a Libertadores esse ano passou a ser prioridade. O Flamengo voltou a disputar finais de Sul-Americana, de Copa do Brasil, e voltou a ser protagonista. Um detalhe aqui, um detalhe ali, e acabou não sendo campeão.

Contratações

- Foram oportunidades de negócio que apareceram, porque muito desses jogadores, mesmo com trajetórias importantes, não tiveram um grande valor de aquisição, exceto o Éverton Ribeiro. Os demais era término de contrato, ou o clube detentor abria uma possibilidade de negociação viável para o Flamengo.

Reinaldo Rueda

- Quando aconteceu tudo aquilo nós falávamos com o Rueda, pelo menos eu, quase que diariamente. Antes dele sair fizemos duas reuniões com o planejamento para os anos seguintes, inclusive o Dourado era um dos nomes que ele fazia questão de ter. Nós cobrávamos uma resposta e ele dizia que não tinha nada oficial, que se apresentaria, é claro que isso ocorria em paralelo. Em nenhum momento ele disse que poderia sair.