Flamengo bate Grêmio no Maracanã e avança às semifinais da Copa do Brasil

Assim como no jogo de ida, equipes fazem jogo disputado, mas Éverton Ribeiro decide e põe Rubro-Negro em sua 13ª semifinal na história da competição

Flamengo bate Grêmio no Maracanã e avança às semifinais da Copa do Brasil
Foto: Gilvan de Souza/Flamengo
Flamengo
1 0
Grêmio
Flamengo: Diego Alves; Rodinei, Léo Duarte, Réver, Renê; Cuéllar (W. Arão), L. Paquetá, Diego (Rômulo); Vitinho (Marlos), H. Dourado, Éverton Ribeiro. Técnico: Mauricio Barbieri.
Grêmio: Marcelo Grohe; Léo Moura (Marinho), Geromel, Kannemann, Cortez; Jaílson, Maicon (Alisson); Éverton, Luan, Ramiro; André (Jael). Técnico: Renato Gaúcho.
Placar: 1-0, min. 4, Éverton Ribeiro.
ÁRBITRO: Ricardo Marques Ribeiro | Amarelados: Diego Alves, Renê, Diego, H. Dourado (Flamengo); Maicon, Luan, Marinho, Douglas (Grêmio).
INCIDENCIAS: Partida válida pelo jogo da volta das oitavas de final da Copa do Brasil 2018, disputada no Maracanã (RJ).

O Flamengo chegou à 13ª semifinal de Copa do Brasil na história. Na noite desta quarta-feira (15), o clube carioca bateu o Grêmio por 1 a 0, com gol de Éverton Ribeiro, e avançou na competição. Com a vitória no Maracanã, o Rubro-Negro enfrenta o Corinthians, na próxima fase.

O jogo se protagonizou pela coincidência de lances ocorridos no jogo de ida, quando as equipes empataram em 1 a 1, por conta do estilo de jogo comum, baseado na posse de bola como prioridade e o alto poderio ofensivo de ambos times.

Empurrado por mais de 50 mil torcedores, o Flamengo pressionou nos minutos iniciais, marcando o gol logo aos 4 minutos, com Éverton Ribeiro. O jogo permaneceu com alta iniciativa do Rubro-Negro até os 20 minutos de jogo, enquanto o Tricolor parecia não ter entrado com a intensidade necessária para a importância do jogo.

Nesse meio tempo, o VAR foi posto em pauta, aos 11 minutos, quando Paquetá pediu pênalti, mas não foi interpretado da mesma forma. A tecnologia ainda seria utilizada mais duas vezes na partida.

Na metade etapa inicial, o time de Renato Gaúcho passou a estabelecer sua estratégia de jogo dentro de campo, tomando conta do jogo. Entre a posse de bola superior e alguns chutes sem perigo contra Diego Alves, teve sua principal oportunidade aos 36 minutos, inacreditavelmente desperdiçada por Éverton, embaixo das traves.

O primeiro tempo ainda se encerrou com volta do Flamengo ao ataque, novamente pedindo pênalti, desta vez em mão de Geromel, novamente sem concordância pelo árbitro. No entanto, a impressão era de que o gol de empate no Grêmio estava maduro, aumentando as expectativas para a volta no segundo tempo.

E foi diferente. O Grêmio instalou forte pressão nos 15 minutos iniciais, tendo nos melhores lances duas chegadas perigosíssimas com Ramiro. A primeira se deu logo no primeiro minuto, em tentativa sem sucesso de bicicleta. A segunda, após bela jogada coletiva, onde o versátil jogador apareceu à frente de Diego Alves em infiltração e cruzou, mas a zaga rubro-negra interveio.

Observando o perigo enfrentado, Barbieri optou pela entrada de Marlos Moreno no lugar do pouco consistente Vitinho. A mudança fez o Flamengo mudar panorama momentâneo e instalar pressão no ataque.

Aos 31 minutos, a primeira chegada de mais destaque do Rubro-Negro, justamente com o colombiano, que chegou à frente de Grohe e chutou. A bola saiu prensada e foi passando lentamente na beira da linha do gol, Paquetá tentou de carrinho, mas a zaga tricolor afastou.

E ao contrário da etapa inicial, o Flamengo dominou a segunda metade do segundo tempo e garantiu a vitória por 1 a 0, dando a classificação às semifinais da Copa do Brasil. A vantagem na decisão também igualou o histórico dos 12 confrontos em mata-mata entre as equipes.