Após derrota do Botafogo, Marcinho projeta foco nas próximas partidas: "Temos que virar a chave"

Lateral alvinegro analisou revés para Atlético-MG e citou campanha de 2016 como motivação para que a equipe faça um ótimo returno

Após derrota do Botafogo, Marcinho projeta foco nas próximas partidas: "Temos que virar a chave"
(Foto: Vitor Silva / SSPress / Botafogo)

A derrota sofrida neste último domingo por 3 a 0 para o Atlético-MG ainda está remoendo na cabeça dos botafoguenses e, com certeza, na dos jogadores. Porém, mesmo surpreso com a expressividade do resultado, o lateral direito Marcinho mostrou-se disposto a deixar o passado para trás e a focar nos próximos desafios que o Botafogo terá pela frente. 

Em entrevista coletiva realizada na tarde desta segunda-feira (20), no Nilton Santos, o jovem de 22 anos comentou sobre a partida e avaliou a queda de rendimento brusca no segundo tempo determinante para a goleada. Em contrapartida, enfatizou a necessidade de esquecer o que passou e mirou o próximo confronto, contra o Palmeiras. 

"Pelo primeiro tempo e pelo começo do segundo, não estava com a cara que teria o placar que foi. Acho que estávamos bem organizados ate´tomar um gol, acho que numa fatalidade".

"Mas futebol é assim. Acho que temos de olhar para frente. Esse jogo com o Palmeiras vai ser muito importante e pode ser um divisor de águas pra gente". 

Estacionado no meio da tabela e sem vencer há 4 jogos, o Botafogo vive um momento inconstante no nacional. Para o lateral, o mais importante é ver com bons olhos o desempenho até aqui e tirar proveito disso. Marcinho relembrou o ano de 2016, quando o alvinegro carioca fez uma grande campanha de recuperação no segundo turno. 

"Poderia ser melhor, como poderia ser pior. Estamos no meio da tabela. Não tem nada de muito ruim nem nada de muito bom. Temos que tentar tirar alguma coisa de positivo dos jogos. A gente tem que sempre olhar para o melhor. Temos que ser otimistas. O ano de 2016 é um exemplo. Fizemos grandes jogos no returno e fomos para a Libertadores". 

Vaiado algumas vezes pela torcida, o jovem viu seu companheiro de posição, Luís Ricardo, ser alvo de protestos no jogo de ontem. Questionado sobre o acontecimento, disse ser algo normal do futebol e enalteceu o atleta alvinegro.  

"Infelizmente acontece, eu vinha sendo alvo de críticas. Não foi a primeira vez dele, não vai ser a última, mas futebol é assim. Para mim, o Luís Ricardo é um grande professor. É um cara que sabe muito. Acontece, as críticas vão vir, e você tem que estar preparado. Luís Ricardo sabe do trabalho dele e vai saber passar por cima disso". 

Elogiado por Tite na última convocação da Seleção Brasileira, Marcinho expressou toda a felicidade por ter seu nome ventilado e garantiu seguir trabalhando firme para que no futuro venha a aproveitar uma possível oportunidade.  

"Todos vocês podem imaginar a surpresa e a felicidade que tive ao mesmo tempo. Fiquei sem reação na hora, mas é uma surpresa muito boa saber que você está sendo olhado pela melhor seleção do mundo". 

"É tentar manter o trabalho e melhorar, porque sempre podemos melhorar. Espero que nas próximas que virão eu possa estar melhor e mais experiente. E que eu possa aproveitar essas oportunidades que possam vir aparecer".

Ao ouvir nomes como o de Nilton Santos, Josimar e Marinho Chagas serem citados, manifestou o respeito e a admiração que tem pelos ex-craques que vestiram a amarelinha. 

"Historicamente até jogadores de outros clubes conhecem esses caras, que foram enormes. Espero chegar no mínimo a 1/3 da história desses caras na Seleção. Ficaria muito honrado de ser comparado a eles". 

Por fim, o lateral analisou o duelo fora de casa contra o Palmeiras, válido pela 20ª rodada do Brasileirão. Vale lembrar que o glorioso ainda não venceu jogando fora do Rio de Janeiro neste campeonato. 

"Jogo muito difícil, mas temos que virar a chave, não adianta pensar em resultados que passaram. Temos que tentar um bom resultado. Não dando para correr, temos que andar. Não dando para andar, temos que engatinhar. Temos que pontuar".