Ceará perde em casa, e Argel põe arbitragem em dúvida: "Dois pesos, duas medidas"
Foto: Felipe Santos / Ceará SC

Uma vitória no Castelão livraria o Ceará, matematicamente, do rebaixamento. No entanto, o resultado não foi o esperado: o Alvinegro de Porangabussu foi derrotado por 1 a 0 do Corinthians e agora torce contra o Cruzeiro, que joga na próxima quinta-feira (5), contra o Grêmio. Em caso de triunfo da equipe mineira, os cearenses entram na zona de rebaixamento.

Após a partida, o treinador da equipe cearense concedeu entrevista coletiva na Arena Castelão. Segundo Argel, a equipe até começou organizada, mas acabou levando gol por falha coletiva, mesmo tendo treinado a situação com seus comandados.

"Fomos organizados, fizemos duas linhas de quatro, mas acabamos novamente tomando um gol por falha coletiva nossa, em um gol de bola parada. E não foi por falta de treino da nossa parte. O Corinthians veio jogar fechadinho, com três volantes atrás, e novamente na bola parada acabou fazendo seu gol", disse o treinador.

O Vozão foi obrigado a jogar com um a menos desde os 25 minutos do segundo tempo, por conta da expulsão do atacante Lima. No entanto, na opinião de Argel, a ausência de um atleta não foi o empecilho maior para um resultado positivo da sua equipe, e sim a falta de atenção de todo o time.

"Quando você tem um jogador expulso, numa decisão, como vem sendo todos os nossos jogos, aí fica difícil. O Corinthians usou as armas que teve, mas muito mais por culpa da nossa equipe - principalmente depois da expulsão", pontuou.

O técnico do Vovô teceu duras críticas a arbitragem do jogo. Na partida, o Ceará reclamou de um possível pênalti de Fagner em cima do atacante Felippe Cardoso. No entanto, ao consultar o vídeo, o árbitro assinala toque de mão do jogador do Vozão no lance anterior ao do pênalti.

"A arbitragem tem que ter um pouco de atenção. Ou então tem alguma coisa contra os times nordestinos. A bola bate no ombro do meu jogador e ele marca bola no braço. Outra coisa: a arbitragem tem dois pesos e duas medidas. No lance do possível pênalti, ele foi no VAR. No lance da expulsão, que é um lance recorrente, ele não olha. Ele simplesmente expulsa", criticou.

Além disso, Argel criticou o critério de escolha dos árbitros nas partidas decisivas do Brasileirão.

"Um jogo como esse, eu não consigo entender porque não tem um árbitro Fifa. Só tem dois times brigando por rebaixamento. Por que? Por que é contra um clube nordestino? Por que clube grande ‘nem Deus derruba’? Será que um dia o Brasil vai mudar ou sempre o mais pobre vai continuar pagando? Agora, não estamos justificando, que fique bem claro. Mas, que dá para desconfiar, dá. É questão de coerência", finalizou.

O Ceará encerra a sua participação no Campeonato Brasileiro fora de casa. A equipe vai ao Nilton Santos e encara o Botafogo, no próximo domingo (8), às 16h. Antes disso, a equipe torce contra o Cruzeiro, que joga na próxima quinta-feira (5), contra o Grêmio, para saber como chegará na última rodada do campeonato. Para o jogo decisivo, Argel não terá João Lucas, Lima e Fabinho à disposição.

VAVEL Logo