Aline Pellegrino se despede da FPF e analisa desafios do futebol feminino
Foto: Rodrigo Corsi / Paulistão

A Federação Paulista de Futebol (FPF) organizou, nesta terça-feira (08), uma entrevista coletiva com o vice-presidente Mauro Silva, a ex-diretora do Departamento de Futebol Feminino, Aline Pellegrino e a nova responsável pela área, Ana Lorena Marche.

A videoconferência foi marcada para oficializar a saída da Aline, que esteve à frente da gestão da modalidade feminina nos últimos quatro anos, e agora exercerá a função de Coordenadora de Competições Femininas na CBF.

Logo no início, Mauro Silva destacou a importância do trabalho liderado pela ex-capitã na FPF.

“A Aline chegou na Federação há quatro anos com o desafio de transformar a modalidade no Estado de São Paulo e acredito que ela fez muito mais do que isso. O Paulistão Feminino já existia, mas foi aprimorado, foi modernizado. Transmissões ao vivo, eventos de premiação e equipes mais fortes. Graças à Aline, nós criamos o primeiro campeonato feminino de base do Brasil, o Paulista sub-17 e logo veio o Festival sub-14 e a grande peneira com centenas de meninas realizada no ano passado. Todo esse trabalho incansável ajudou o futebol feminino de São Paulo a alcançar um patamar muito mais alto”.

Durante toda a entrevista, os participantes destacaram a importância de continuar o trabalho para desenvolver e fomentar o futebol feminino.  Aline Pellegrino destacou a necessidade, em seu novo cargo na CBF, de entender e analisar a realidade das federações de todos os Estados brasileiros para conseguir organizar um planejamento adequado de crescimento.

“Eu tenho feito uma analogia com os campeonatos, em que temos as divisões. Talvez, precisemos dividir as federações, cada uma no seu momento, quais delas se aproximam. A ideia seria mapear bem as 27 federações e entender como a CBF pode se aproximar delas, conhecer os processos e pensar junto em estratégias. Se cada uma avançar naquilo que tem de melhor, com certeza o todo avança”.

“Vou continuar muito próxima da Federação Paulista, assim como vou me aproximar das demais. O sucesso aqui (FPF) foi muito por ter trabalhado em conjunto, então a ideia agora é conseguir conectar as 27 Federações, os clubes e as atletas. Tenho certeza que já somos fortes em vários lugares e o que a gente precisa é se conectar”, afirma Aline.

Há oitos meses, Ana Lorena Marche iniciou o trabalho de coordenadora do futebol feminino na FPF e agora, será a responsável pelo departamento e por dar continuidade ao crescimento da modalidade e formação das atletas.

VAVEL Logo