Em clássico movimentado até o fim, Goiás e Atlético-GO empatam pela Série B

Placar de 2 a 2 não afasta o Esmeraldino da zona de rebaixamento; Dragão chega aos 29 pontos, abrindo cinco do primeiro time fora do G-4

Em clássico movimentado até o fim, Goiás e Atlético-GO empatam pela Série B
Foto: Rosiron Rodrigues/GoiásEC
Goiás
2 2
Atlético-GO
Goiás: Ivan; Johnatan (Patrick, min. 56), Wesley Matos, Alex Alves, Juninho; Willian, Wendel (Cassiano, intervalo), Léo Lima, Léo Sena (Higor Leite, min. 69); Carlos Eduardo, Rossi. Técnico: Léo Condé.
Atlético-GO: Márcio; Matheus Ribeiro (Ednei, min. 83), Marllon, Lino, Michel; Pedro Bambu, William Schuster (Luís Soares, min. 67), Magno Cruz, Marquinho; Gilsinho (Jorginho, intervalo), Alison. Técnico: Marcelo Cabo.
Placar: 0-1, min. 14, Alison. 1-1, min. 54 , Rossi. 2-1, min. 60, Léo Lima. 2-2, min. 80, Alison.
ÁRBITRO: Raphael Claus (SP). Auxiliares: Rogério Pablos Zanardo e Ricardo Pavanelli (SP). Amarelos: Gilsinho (min. 19), Johnatan (min. 21), Léo Lima (min. 61), Juninho (min. 70), Ivan (min. 71), Rossi (min. 82), Willian (min. 88).
INCIDENCIAS: Partida válida pela 15ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016, realizada no Estádio Serra Dourada, em Goiânia-GO. Público: 9000 presentes. Renda: R$ 99.255,00.

Movimentado até o fim, como manda o figurino de um clássico. Deste modo, Goiás e Atlético-GO empataram por 2 a 2 na tarde deste sábado (9) no Serra Dourada, pela 15ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016. Alison, aos 14 minutos da primeira etapa, abriu o placar para o Dragão. Rossi, aos nove minutos do segundo tempo empatou o confronto. De pênalti, Léo Lima virou no minuto 15 para o Esmeraldino e Alison novamente, aos 35, deu o empate ao Atlético.

O empate não mudou a posição do Goiás. O Verdão fica em 16º lugar, com 15 pontos. Apenas um acima da zona de rebaixamento. O Atlético-GO ocupa provisoriamente a liderança do campeonato, com 29 pontos. As equipes atuam em casa na próxima rodada. Terça-feira (12), o Dragão recebe o Londrina, às 19h15, no Serra Dourada e o Goiás encara o Náutico no sábado (16), às 16h30.

Goiás aparece mais no campo de ataque, porém quem marca é o Atlético-GO

Primeiro minuto de jogo, mal deu tempo de respirar e o Goiás já deu sinais de que partiria para cima. Chute cruzado de Wendel, que o goleiro Márcio deu rebote e Carlos Eduardo, com o gol escancarado, mandou para fora. Acuado em seu campo de defesa, o Atlético não conseguia trocar três passes sequer. Juninho cruzou em direção a área, a zaga afastou e Léo Lima, aos cinco minutos, pegou de primeira e a bola saiu com perigo à direita do gol.

O abafa esmeraldino seguia. Rossi em jogada individual, ganhou a grande área, chutou cruzado e Carlos Eduardo novamente, entrando de carrinho, perdeu com o gol vazio. O ditado "Quem não faz, leva" se fez valer no minuto seguinte. Wendel perdeu a bola, que sobrou para Alison. O atacante mandou um pombo sem asa da intermediária e acertou o ângulo de Ivan. Indefensável! 14 minutos, Dragão 1 a 0. Assustado pelo gol sofrido, o Verdão se assustou e a precipitação na conclusão das jogadas dificultou a manutenção do domínio.

O Dragão começou a aparecer mais no jogo, ganhando confiança. Marquinho apareceu duas vezes criando chances. Aos 27, alçou cobrança de falta em direção ao gol, que Wendel teve dificuldade para cortar e aos 31, finta no marcador dentro da área, conseguindo espaço para o cruzamento, afastado pela zaga esmeraldina.

Ainda instável devido ao gol sofrido, com lances inconclusivos, apenas próximo ao fim da primera etapa o Goiás voltou a incomdar. Em cobrança de falta, Léo Lima acertou a barreira e, no rebote, Carlos Eduardo completou seu hat-trick de chances perdidas. Pegando de primeira, o goleiro do Atlético fez uma defesaça, mantendo a vitória parcial da equipe rubro-negra.

Esmeraldino transforma seu domínio em gols, mas Alison, em tarde inspirada, empata o duelo

Entrando com o freio de mão puxado, as duas equipes não começaram bem a segunda etapa. O Atlético com o ritmo dosado e mantendo a vantagem e o Goiás sem o afinco do primeiro tempo. Curiosamente, com o ímpeto diminuído, o Goiás conseguiu chegar ao empate que tanto buscou na primeira metade do jogo. Carlos Eduardo, protagonista devido ao erros, recebeu passe de Cassiano e, desta vez acertou um passe primoroso, achando Rossi isolado na pequena área. Nem goleiro havia e ele só empurrou para a rede. Nove minutos, 1 a 1.

O gol acordou a equipe comandada por Léo Condé, que conseguiu a virada cinco minutos depois. Rossi aparecendo novamente, foi derrubado por Marllon dentro da área. Pênalti assinalado por Raphael Claus, que Léo Lima cobrou bem, deslocando Márcio. 14 minutos, 2 a 1 Goiás. Na comemoração, o meia chorou. Assustado pela virada sofrida, o Dragão se perdeu. Não conseguia atacar com eficiência e via o Goiás neutralizar o controle da partida.

A partir dos 30 minutos, o Atlético passou a tocar mais a bola e a colocar os nervos no lugar. Necessitando de duas tentativas para marcar em uma delas, o rubro-negro empatou o clássico. Na primeira, aos 32, Michel cobrou escanteio que Lino afastou da grande área. Na segunda, aos 34, o placar foi igualado. Jorginho tocou para que o lateral-esquerdo cruzasse. A bola quicou, ganhou velocidade e Alison, acreditando no lance, se atirou em direção a ela e o desvio enganou o goleiro Ivan. 2 a 2.

Já nos acréscimos, o Atlético quase virou o placar. Cruzamento plasticamente bonito de Marquinho, de trivela. Por um triz, Alison passou da bola e não conseguiu seu terceiro gol na partida e o placar terminou empatado no Serra Dourada.