Brasil convence, goleia Honduras com facilidade e avança para decisão em busca do ouro inédito

Com gol mais rápido da história olímpica e excelente atuação do quarteto ofensivo, Seleção Brasileira faz ótima partida, fecha goleada no segundo tempo, passa sem dificuldades e espera o vencedor de Alemanha e Nigéria para saber o adversário da final

Brasil convence, goleia Honduras com facilidade e avança para decisão em busca do ouro inédito
(Foto: Buda Mendes/Getty Images)
Brasil
6 0
Honduras
Brasil: Weverton; Zeca, Rodrigo Caio (Luan Garcia, min. 57), Marquinhos e Douglas Santos; Walace, Renato Augusto (Rafinha Alcântara, min. 76) e Luan; Neymar, Gabriel Jesus (Felipe Anderson, min. 67) e Gabriel Barbosa. Técnico: Rogério Micale.
Honduras: Luis López; Jhonatan Paz, Johnny Palacios e Allans Vargas (Óscar Salas, min. 45); Marcelo Pereira, Rodolfo Espinal, Bryan Acosta (Banegas, min. 71) e Brayan García; Alberth Elis, Romell Quioto e Anthony Lozano (Benavides, min. 45). Técnico: Jorge Luis Pinto.
Placar: 1-0, Neymar, min. 1. 2-0, Gabriel Jesus, min. 25. 3-0, Gabriel Jesus, min. 34. 4-0, Marquinhos, min. 60. 5-0, Luan, min. 78. 6-0, Neymar, min. 91.
ÁRBITRO: Ovidiu Hategan (ROM), auxiliado por Octavian Sovre (ROM) e Sebastian Gheorghe (ROM) | Cartões amarelos: Bryan Acosta (min. 20), Allans Vargas (min. 22), Rodrigo Caio (min. 36), Johnny Palacios (min. 61), Marcelo Espinal (min. 73)
INCIDENCIAS: Semifinal dos Jogos Olímpicos Rio 2016, disputada na tarde desta quarta-feira (17), no Maracanã/RJ.

O Brasil foi avassalador e deixou os medos de encarar um adversário difícil para trás. No começo da tarde desta quarta-feira (17), a Seleção Brasileira foi impiedosa e não deu chances a Honduras e goleou por 6 a 0. O jogo contou com o forte calor e o apoio maciço da torcida no Maracanã. Três anos após jogar no palco carioca, mais uma vitória convincente. Neymar (duas vezes), com o gol mais rápido da história do futebol olímpico, Gabriel Jesus (duas vezes), Marquinhos e Luan marcaram os gols brasileiros.

Classificado para mais uma decisão olímpica, o Brasil espera o vencedor de Nigéria x Alemanha para saber qual será o adversário em busca da inédita e cobiçada medalha de ouro. O jogo será realizado às 17h30 do próximo sábado (20), no Maracanã.

Gol-relâmpago de Neymar muda panorama da partida

O Brasil dominou o jogo a partir do primeiro lance. Na saída de bola, Palacios errou o domínio, sofreu com a marcação e Neymar ficou com a bola. Sozinho na área, o camisa 10 dividiu com o goleiro e colocou a pelota no fundo do gol para abrir o placar no Maracanã. O tento assinalado aos 15 segundos de jogo foi o mais rápido da história do futebol olímpico.

Neymar sentiu a dividida, ficou alguns minutos caído, mas voltou a campo e foi peça importante na criação de jogadas. Aos nove minutos, o craque deu belo lançamento entre os zagueiros para Luan. O jogador do Grêmio se deslocou bem e apareceu sozinho na área, mas o goleiro López fez a defesa. Aos 15, Luan apareceu pela esquerda e acionou Gabriel Jesus, mas a zaga hondurenha travou.

Inseguro e sem criatividade, Honduras tentava parar o Brasil nas faltas. Mas não conseguiu e sofreu com isso. Aos 25 minutos, Gabriel Barbosa recebeu lançamento no meio de campo e tocou para Luan. O camisa 7 deu ótimo passe para Gabriel Jesus completar na saída do goleiro López e ampliar a vantagem tupiniquim. Os brasileiros seguiam no ataque. Aos 32 minutos, Neymar lançou, a defesa afastou mal e Gabriel Barbosa finalizou para fora.

Aos 34, o Brasil aumentou a vantagem e começou a dar indícios de golear a seleção adversária. Neymar recebeu no meio de campo e deu belo lançamento para Gabriel Jesus. O destaque palmeirense saiu sozinho na área e tocou na saída do arqueiro de Honduras mais uma vez. Foi o segundo de Jesus no jogo. Os hondurenhos atacaram sem maiores sustos e ameaçaram os anfitriões.

Brasil mantém pressão e sela goleada

Aos dois minutos, foi a vez de Luan ficar frente a frente com o goleiro López, mas o hondurenho levou a melhor. O Brasil pressionava, controlava a partida e logo aumentou ainda mais a contagem e transformou a boa vitória em goleada. Aos cinco minutos, Neymar executou cobrança de escanteio e a bola ficou nos pés de Marquinhos. O zagueiro dominou mal a princípio, mas conseguiu finalizar forte e marcar seu primeiro gol na competição.

Com a goleada feita, os anfitriões começaram a controlar o jogo, tirar o pé, evitar desgaste descenessário, uma vez que a vaga na final estava garantida. Ainda assim, a Seleção Brasileira teve boas chances de assinalar mais tentos. Aos 17 minutos, Neymar cobrou falta e o goleiro López se esticou todo para fazer importante defesa no canto direito.

Com o passar do tempo, os anfitriões passaram a impor o domínio de jogo nos lances de bola parada. Aos 29 minutos, Neymar cobrou falta com muito perigo e a pelota deslizou no lado de fora da rede, o que fez com que muitos torcedores no Maracanã comemorassem um gol que não houve.

Além da bola parada, os contra-ataques serviam como trunfo para a goleada ficar ainda maior. Em boa jogada trabalhada desde o meio-campo, Felipe Anderson tocou para Luan completar na pequena área, com o gol vazio, e deixar sua marca na expressiva vitória verde e amarela.

A seleção de Honduras pressionou em duas oportunidades consecutivas e o goleiro Weverton salvou o Brasil de sofrer o primeiro gol na competição. Aos 35 minutos, Banegas arriscou da intermediária e o arqueiro espalmou. No minuto seguinte, na cobrança de escanteio, García entrou na área livre e rolou para o meio. Elis chutou colocado e Weverton defendeu no contrapé.

Com o fim de jogo mais próximo, o toque de bola foi ainda mais presente. As equipes controlavam suas ações principalmente no meio de campo e esperaram o apito final do árbitro para pensar no jogo do fim de semana. Ainda assim, aos 44 minutos, Palacios derrubou Luan na área e a arbitragem assinalou penalidade máxima. Na cobrança, Neymar bateu e marcou seu segundo gol na Olimpíada, o terceiro no torneio. Honduras luta pelo inédito bronze, enquanto o Brasil continua em busca da primeira medalha de ouro em sua história olímpica.