Pedro Queirolo e Marcel Visconde vencem o Porsche 300, primeiro enduro da história Porsche GT3 Cup, no Brasil
Pedro Queirolo e Marcel Visconde faturam o Porsche 300, primeiro enduro da história dos 10 anos da Porsche GT3 Cup, no Brasil. (Foto: Divulgação Porsche GT3 Cup Brasil)

Tempo gelado e clima de muita descontração foi assim que aconteceu no autódromo de Interlagos o Porsche 300, primeiro endurance da história da Porsche GT3 Cup Challenge, na comemoração dos 10 anos da categoria no Brasil.

Grid cheio, ao todo 24 carros e equipes de 2 ou 3 pilotos, divididos entre as categorias Cup e Challenge. A formação de grid contou com nomes como Allan Khodair, Ricardo Maurício e o ex piloto de F1 Ricardo Rosset, além dos pilotos que correm a temporada 2015 da Porsche Cup e convidados.

A estruturada montada pela equipe da Porsche GT3 Challenge Cup não deixou nada a desejar, assessoria, informações, link de internet, tudo funcionou perfeitamente.

A narração da prova, que foi transmitida pelo portal Terra e terá reprise pela Band foi de Luc Monteiro, auxiliado por nada mais nada menos que Paulão Gomes, ícone do automobilismo brasileiro e internacional, que correu as 24 horas de Le Mans a bordo de um Porsche, em 1978.

Briefing e Regulamento

Caption

Sala de Briefing, 15h30. Pilotos, responsáveis pelas equipes, imprensa, comissão desportiva da CBA, diretor de prova e Staff da Porsche Cup lotaram a sala de briefing para receber as instruções sobre o regulamento da corrida.

O regulamento claro explicava as principais regras do Endurance:

Cada piloto precisava obrigatoriamente fazer um stint – janela de prova - de no mínimo 35 minutos (que poderia ser cumprido em uma única vez ou nas trocas de pilotos – neste caso a soma de todas janelas deste piloto precisava totalizar 35 minutos).

As entradas de boxes possuíam tempo mínimo, sendo estas com duas possibilidades: em caso de troca de piloto e pneus a parada deveria obrigatoriamente ter o mínimo 2 minutos. Caso além das trocas houvesse o rebastecimento do carro, o pit stop deveria ter tempo mínimo de 6 minutos.

Em cada troca de piloto, o piloto que estava deixando o carro deveria procurar o fiscal da Porsche responsável pela sua categoria – e que estava circulando pelo pit lane – e assinar a sumula. O tempo máximo para assinatura da sumula após a saída do piloto do carro, era de 10 minutos, ultrapassando este limite, o carro receberia penalização.

Velocidade de entrada de box: mínima de 40km/h e máxima de 60km/h. Era proibida em qualquer circunstância a ultrapassagem dentro do pit lane – área de boxes, a quebra de qualquer destas regas teria penalização cabível em regulamento, aplicada.

PENALIZAÇÕES: As penalizações seriam aplicadas apenas após o fim da corrida, sendo estas regulamentadas em segundos a serem descontados do tempo final de prova, após os 300km.

WARM UP, Freio e reconhecimento de pista:

As 16h45 tivemos box aberto e pista liberada e os pilotos de cada equipe tiveram cerca de 15 minutos para fazer o reconhecimento de pista e ajuste de freios – cada carro recebeu um novo jogo de freio para esta corrida – os mecânicos do time da Porsche Cup tiveram a tarefa de fazer as últimas modificações solicitadas pelos pilotos para que cada possante pudesse estar adaptado para todos que o guiariam.

A Corrida

Largada lançada, antes da primeira curva do S do Senna os Porsche #2 e #5 se enroscaram. O carro #5 de JP Mauro e Sylvio Bastos bateu e ficou parado na barreira de proteção com a suspensão quebrada, fim de corrida antes mesmo de começar.

Abertura da 2° volta, o carro #34 bate na parte interna do muro da reta dos boxes e leva mais dois carros com ele, o Porsche #84 de Fábio Alves foi o segundo abandono prematura da prova, já o Porsche #8, segundo envolvido no acidente, retornou a pista na sétima colocação.

Bandeira Amarela e Safety Car na pista, após 6 voltas a relargada foi dada embaixo de uma leve garoa que não chegou a molhar a pista.

Volta 10: é anunciada a penalização com Drive Thru para o carro #2 de Marcio Basso e Nono Figueiredo, por atitude anti-desportiva, referente ao acidente após a largada que tirou o porsche #5 da corrida antes da primeira curva.

Franco Giaffone a bordo do #88 ultrapassa o porsche #52 de Posses e Lunardi e sobe para a segunda posição geral da corrida.

Volta 12: o piloto Daniel Schnider, terceiro colocado na corrida com o Porsche #77 o segundo colocado, até que na entrada do bico de pato ultrapassa o limite da zebra, perde o controle do carro que para apenas na barreira de proteção do outro lado do traçado. Safety Car na pista.

Volta 16: aproveitando o Safety Car na pista, a maior parte das equipes chamam seus carros para boxes para fazer troca de pilotos e pneus. Allan Khodair permanece na pista e na liderança da prova com o Porsche #16.

Volta 17: Allan Khodair entra nos boxes e o Porsche #16 é assumido por Marcelo Hahn, a liderança da prova passa a ser de Luiz Fernando Elias a bordo do Porsche #37.

Volta 18: Azevedo e Giaffone se beneficiam das paradas de box e colocam o porsche #88 na liderança da prova.

A relargada coincidiu justamente com o que foi a conclusão da primeira parada das equipes que entraram nos boxes, com isto as 5 primeiras posições ficaram com: Franco Giaffone, Bruno Baptista, Beto Posses, Allan Hellmeister e Betinho Gresse.

Volta 21: o retardatário #37 Eric Freitas abre para os dois primeiros colocados que estão em disputa acirrada, curva a curva. Bruno Battista segundo colocado aperta Franco Giaffone tentando tomar a primeira colocação da corrida.

Pedro Queirolo #15 e Carlos Ambrosio #8 disputam a sexta posição, a diferença entre eles é menos de meio segundo.

Joca Silveira #20 perde o controle do carro e roda sozinho na descida do lago ficando atravessado no meio da Zebra.

Com 23 voltas completas e 47 minutos de corrida Giaffone #88 continua recebendo pressão de Bruno Baptista #99. Numa manobra audaciosa o novato Baptista consegue a ultrapassagem e por fora, na segunda perna da curva do lago, assume a liderança da prova.

Na categoria Challenge , Hellmeister está na primeira posição, seguido pelo carro #19 de Tom Filho e Rodrigo Mello e o Porsche #99 de Pomelli e Mesquita.

Alexandre Barros tenta ultrapassar Rodrigo Pomelli e roda na subida do Lago.

Volta 28: o piloto Alcides Amaral #55 ultrapassa Benedetto #82 e sobe para a 10° posição geral na corrida assumindo a 3° posição na Categoria Challenge.

30 voltas e mais de 1 hora de corrida. As posições até agora são: Bruno Baptista #27, Franco Giaffone #88, Beto Posses #52. Pela categoria Challenge: Tonny #53, seguido de Mello #19 e Arruda #55

Bruno Baptista permanece na liderança com 5 segundos de diferença para Franco Giaffone, e Marcel Visconde na sequência, na terceira posição

Volta 36: Ambrosio entra com mais de 35 minutos de stint nos boxes é anunciada que o carro terá punição para cumprir.

Após pouco mais da metade da prova, Bruno Baptista entra para fazer pit stop e o carro é liberado dos boxes com tempo 5:59.30 inferiores ao mínimo obrigatório de 6 minutos. Os pilotos receberão punição de 1 minuto 40 segundos, após fim de corrida.

Após a nova rodada de pit stops, a classificação da corrida era: Ricardo Baptista, Clemente Lunardi, Edu Azevedo, Marcel Visconde e Rodolfo Ometto

Franco Giaffone volta para a liderança da prova, estamos na volta 37 com 1h20 de prova.

Edu Azevedo faz a melhor volta da corrida com 1:38.291, na volta 38

Beto leite roda na volta 40 na ponta do Bico de Pato e fica e vê o mundo ao contrário na beira da pista enquanto os outros competidores passam lambendo o porsche #44.

Chega o tempo para as ultimas trocas de pilotos, pneus e reabastecimento, estamos a 17 voltas do final e cerca de 35 minutos, a liderança da prova ainda é de Franco Giaffone, seguido por Beto Posses, Pedro Queirolo e Carlos Ambrósio.

Volta 60 e um fato inusitado, um cachorro atravessa o meio da reta oposta, por sorte nenhum acidente ocorreu, a cena foi forte. Alcides Amaral #55 roda no bico de pato. O carro havia acabado de receber a punição de 360 segundos por fazer um pit stop com reabastecimento, um minuto menos ao mínimo obrigatório, de 6 minutos.

Tirando tudo do carro no stint final, Nonô Figuereido que estava a 1 volta do líder da prova, consegue ultrapassar o líder e rdesconta a volta de desvantagem.

Volta 65: anoiteceu em Interlagos, os pilotos administram suas posições, estamos a 5 voltas do fim dos 300 km da Porsche GT3 Cup Challenge Brasil.

Bandeira quadriculada, das 70 voltas que totalizaram 2h22min do primeiro endurance da Porsche Cup no Brasil. Franco Giaffone #88 foi o primeiro a cruzar a linha de chegada seguido de Beto Posses #52, Pedro Queirolo #15 e Allan Khodair #16, o carro de Carlos Ambrósio-Rodolfo Ometto #8 chegou na quinta posição.

Assim que todos os pilotos cruzaram a linha de chegada, foram aplicadas as punições – muitas – que ocorreram durante a prova, com isto a classificação final e oficial do Porsche 300 Endurance ficou assim:

Categoria Cup:

  1. Visconde-Queirolo
  2. Hahn-Khodair
  3. Azevedo-Giaffone
  4. Basso-Figueiredo
  5. Posses-Lunardi

Categoria Challenge:

  1. Tonny-Hellmeister
  2. Mello-Tom Filho
  3. Zattar-Maluhy
  4. Neto-Darakdjian
  5. Arruda-Amaral

A prova terá reprise pela Band neste domingo.

VAVEL Logo