Tufão Hagibis altera rotina da Fórmula 1
Foto: Divulgação/F1

A Fórmula 1 vira e mexe têm sua rotina de treino e corrida alterada por fenômenos naturais. E nesse ano, o tufão Hagibis é a bola da vez, com ventos que chegam a 162km/h, segundo a agência meteorológica do Japão, tal fato ocasionou no cancelamento do terceiro treino livre e o adiamento do treino classificatório domingo, sábado às 22h no horário de Brasília.

A última vez que a categoria teve esse problema foi em 2015, no GP dos EUA, em Austin, devido ao furacão Patrícia que adiou o treino classificatório para o domingo, horas antes da corrida. Naquela corrida, o Lewis Hamilton se tornou campeão pela terceira vez, o segundo pela equipe Mercedes, onde pilota atualmente. 

ALTERAÇÃO NA ROTINA 

Além do adiamento do treino classificatório, que altera a rotina dos pilotos, como por exemplo, a sessão que definirá o grid será às 10h da manhã no domingo, lá em Suzuka, e a corrida às 14h da tarde, forçarão os pilotos a alterar o horário para o café da manhã e almoço; as equipes terão até 1h antes da classificação para acertos no carro.

A organização também precisou se adequar, reforçando o centro de TV como janelas e portas, e estrutura das equipes no pitwall sendo desmontados para evitar maiores prejuízos das fortes chuvas e ventania que chegarão na região do circuito neste sábado.

Caso, não haja a possibilidade da realização do qualifyng, o grid seguirá a ordem de classificação do segundo treino livre, que teve Valtteri Bottas como o mais rápido, seguido de Lewis Hamilton e Max Verstappen. A corrida pode marcar o hexacampeonato da Mercedes. A equipe alemã domina a categoria desde 2014. 

SUZUKA E TUFÕES 

Se a Fórmula 1 já teve problemas devido a fenômenos naturais, o GP do Japão é um dos seus maiores colaboradores. Em 2014, o tufão Phanfone apareceu no dia da realização da corrida, acarretando fortes chuvas que ocasionaram o acidente de Jules Bianchi, o piloto francês acabou falecendo meses mais tarde. A corrida acabou sendo cancelada e Lewis Hamilton foi o vencedor.

Em 2004, foi o Tufão Ma-On que atrapalhou o fim de semana da principal competição de automobilismo, já na sexta tivemos pista molhada e situação bem adversa para os pilotos, com o tempo piorando no sábado, o classificatório foi pro domingo, horas antes da corrida que teve como vencedor, Michael Schumacher. Em 2010, outro alemão venceu o GP Do Japão em situação similar, desta vez sem tufão envolvido; devido a forte chuva que caiu no sábado, o qualifyng passou pro domingo, com pole seguida de vitória para Sebastian Vettel, na época, piloto da Red Bull.  

VAVEL Logo