Hora da final, Rio de Janeiro e Osasco fizeram uma boa temporada e chegam para decisão
Arte VAVEL Brasil

Após ótimas campanhas durante toda a temporada da Superliga Feminina de Vôlei 2016/2017, Rio de Janeiro e Osasco se enfrentam pela final da competição, neste sábado (23), às 10h, na Arena da Barra, no Parque Olímpico do Rio de Janeiro. 

Disputadas em série melhor de cinco, as semifinais foram palcos de excelentes partidas. Para chegar à final, o Osasco precisou passar pelo Praia Clube por 3x0. Já o Rio de Janeiro venceu o Minas por 3x2.

Pensando em você, a VAVEL Brasil fez um resumão de como foram as partidas das semifinais, mostrando o caminho vitorioso das equipes.

+ Fase classificatória, veja como foi

+ Confrontos de quartas de final, confira

1) Osasco x Uberlândia

1º jogo: Osasco 3 x 1 Uberlândia

A primeira partida da série melhor de cinco foi na casa do Osasco, no Ginásio José Liberatti. Com a arquibancada lotada, o time da casa viu o Praia Clube vencer o primeiro set. Com o apoio da torcida, as paulistas conseguiram a reação e venceram três sets seguidos com largas vantagens, terminando a partida em 3 sets a 1, com parciais de 25x27, 25x17, 25x12 e 25x13. Os destaques da partida foram Tandara e Bia, do Osasco. 

2º jogo: Uberlândia 0 x 3 Osasco

Nesse jogo foi a vez da torcida do Praia Clube lotar o ginásio. Lotada, a Arena Praia viu Tandara brilhar novamente. O primeiro set foi marcado por muitos erros, dos dois lados da quadra. Já no segundo, o time paulista impôs o ritmo de jogo e permaneceu na frente do placar em todo o set. Apesar de um equilíbrio no terceiro set, Tandara brilhou de novo e, com a ajuda de Dani Lins, fez o Osasco vencer a partida por 3 sets a 0, com parciais de 19x25, 22x25 e 22x25. 

3º jogo: Osasco 3 x 1 Uberlândia

Para o Osasco, bastava vencer essa partida que a vaga na final era garantida. E foi isso que as paulistas fizeram. De volta ao ginásio José Liberatti, o Osasco viu o Praia Clube abrir uma vantagem no primeiro set, o que não foi suficiente. O segundo set foi marcado por muitos erros das donas de casa, mas Fabiana fez total diferença e fechou o set com vitória para o Praia. Os terceiro e quarto sets começaram e terminaram bons para as paulistas. Com o apoio da torcida, o Osasco fechou a partida em 3 sets a 1, com parciais de 25x18, 23x25, 26x24 e 25x11.

2) Rio de Janeiro x Minas

1º jogo: Minas 0 x 3 Rio de Janeiro

A primeira partida contou com a Arena Minas Tênis Clube cheia. Diante da melhor campanha da competição, o Minas viu o Rio de Janeiro soberano. Com o time muito nervoso, as mineiras viram as cariocas vencerem o primeiro set. No segundo, com bastante erro dos dois lados, o Minas chegou a ensaiar uma reação, que não foi suficiente. Durante grande parte do terceiro set o time da casa ficou na frente do placar, porém, muito bem alinhado, o time de Bernardinho fechou a partida em 3 sets a 0, com parciais de 20x25, 19x25 e 20x25.

2º jogo: Rio de Janeiro 1 x 3 Minas

O segundo jogo foi no Tijuca Tênis Clube. Dessa vez, quem contava com o ginásio lotado era o Rio de Janeiro. Entretanto, o Minas precisava da vitória e entrou em quadra com muita garra. As caricas começaram na frente do placar no primeiro set, mas viram as mineiras reagirem e fecharem com vitória.

A segunda etapa foi marcada por um grande equilíbrio entre as equipes, explorando o bloqueio adversário, o Minas venceu. O Rio de Janeiro esboçou uma reação no terceiro set, diminuindo a vantagem das visitantes, mas não foi o suficiente. O Minas explorou novamente o bloqueio adversário no quarto set e fechou a partida em 3 sets a 1, com parciais de 22x25, 21x25, 25x21 e 19x25.

3º jogo: Rio de Janeiro 2 x 3 Minas

O terceiro jogo da série melhor de cinco foi um dos melhores jogos da competição. Com a parcial empatada, quem vencesse esse jogo conseguiria uma boa vantagem para o quarto jogo e, por isso, os dois técnicos colocaram o melhor das equipes em quadra. O Minas, bastante confiante, forçava o saque e marcava vários pontos de ace, conseguindo fechar o primeiro set com vitória. Para a segunda etapa, Bernardinho colocou Drussyla, de 20 anos, em quadra. A substituição surgiu efeito e o Rio levou o segundo set.

O terceiro set também começou bom para o Rio, apesar da reação do Minas, as cariocas conseguiram fechar o terceiro set com vitória. Embalado pelo calor do jogo, o quarto set foi marcado pela calma e experiência de Jaqueline, que direcionava bem as bolas e ajudou o Minas a empatar a partida. O tie break começou com vantagem mineira. Monique tentava puxar uma reação do Rio, mas não foi suficiente. Hooker voou em quadra e ajudou o Minas a vencer a partida por 3 sets a 2, com parciais de 21x25, 25x13, 25x21, 23x25 e 08x15.

4º jogo: Minas 1 x 3 Rio de Janeiro

Voltando à Arena Minas Tênis Clube, o Minas precisava da vitória para garantir a vaga na final. Já o Rio de Janeiro precisava vencer a partida para levar a semifinal ao quinto e último jogo, no Rio. O time visitante começou com autoridade no primeiro set. Aproveitando os erros do Minas, o Rio fechou a primeira etapa com uma vantagem de 13 pontos. No segundo set, Drussyla foi o diferencial da partida, mantendo a soberania do Rio no jogo e fechou o set com boa vantagem.

Com rápidas bolas de Naiane, o Minas reagiu na segunda etapa e equilibrou o jogo. Com Hooker decisiva, o time da casa conseguiu vencer o set. O quarto set começou equilibrado e com muitos gritos da torcida. Porém, o Rio conseguiu segurar o Minas e fechou o jogo em 3 sets a 1, com parciais de 12x25, 18x25, 29x27 e 23x25.

5º jogo: Rio de Janeiro 3 x 1 Minas

Empatados nos confrontos após conquistarem duas vitórias fora de casa, demonstrando o equilíbrio da série, quem errasse mais nessa partida estaria fora da final. Logo no início, o Rio demonstrou que estava concentrado em conquistar a vaga para a final. As cariocas perceberam o nervosismos das adversárias e aproveitaram as falhas. Com vantagem de 10 pontos, o Rio venceu o primeiro set de forma tranquila. A segunda parcial foi bastante equilibrada, mas as donas da casa conseguiram administrar o set e ficar mais perto da final. 

O terceiro set começou de forma distinta. Com uma grande atuação de Jaqueline, as mineiras passaram a sacar melhor e complicaram o jogo para as adversárias. Errando mais, o Rio perdeu a concentração e viu as mineiras vencerem o set. No quarto e último set, as cariocas voltaram mais concentradas após puxão de orelha do Bernardinho e passaram a controlar a partida. Sob o comando de Juciely, o Rio sobressaiu e fechou o último jogo da série em 3 sets a 1, com parciais de 25x15, 26x24, 21x25 e 25x20, garantindo a classificação para a final.

VAVEL Logo