Decidindo no quinto set, Sesc RJ supera Pinheiros e se aproxima da semifinal na Superliga
Foto: Ricardo Bufolin/ECP

Decidindo no quinto set, Sesc RJ supera Pinheiros e se aproxima da semifinal na Superliga

Adrenalina em alto nível do princípio ao fim marcou o confronto; vitória na próxima partida, em casa, classifica a equipe do Rio

edsonjunior
Edson Junior
PinheirosBruninha, Milka, Lana, Mari Cassemiro, Roberta, Bruna Honório. Técnico: Paulo de Tarso.
Sesc-RJRoberta, Juciely, Gabi, Drussyla, Mayhara, Peña. Técnico: Bernardinho.
Placar0-1, 19-25. 1-1, 25-21. 1-2, 18-25. 2-2, 25-22. 2-3, 18-20.
ÁRBITROAnderson Luiz Caçador (MG) e Rafael de Souza Lino (SP).
INCIDENCIASPrimeira partida das quartas de final da Superliga feminina de vôlei 2018.

Quando tá valendo, tá valendo. Em grande partida, realizada na noite desta sexta-feira (9), o Sesc RJ saiu na frente pelas quartas de final da Superliga feminina de vôlei 2018. Fora de casa, no Ginásio Henrique Vilaboim, as cariocas bateram o Pinheiros por 3 a 2, com parciais de 19-25, 25-21, 18-25, 25-22 e 18-20.

O segundo confronto será na próxima sexta-feira (17), a partir das 21h30, na Jeunesse Arena, a Arena Olímpica, no Rio de Janeiro. Se vencer, o Sesc passa para a semifinal, encarando o vencedor do duelo entre Camponesa/Minas e Fluminense.

O jogo (e que jogo): parelho, disputado, bem jogado; alto nível e triunfo carioca

Muito equilíbrio no começo da partida, com Pinheiros e Sesc protagonizando uma disputa pari passu. Um time não deixava o outro respirar. Até que, a partir do nono ponto, o time carioca conseguiu administrar uma mini-vantagem de dois pontos. Muito, graças a velocidade do ataque, especialmente pelas mãos de Peña, na paralela, e Juciely, caprichando na exploração do bloqueio.

Bruna Honório era o ponto de luz no Pinheiros, bloqueando e atacando. Porém, uma andorinha só não faz verão. Quando a margem de diferença passou para cinco pontos a favor do time comandado por Bernardinho, ficou difícil segurar. Em uma defesa de Mari Cassemiro, a bola caiu na quadra paulista e fechou o primeiro set em 25 a 19.

Começando bem melhor, o time paulista largou na frente do segundo set, abrindo 8 a 2 de modo arrasador. Neste momento, o Sesc parece ter colocado o dedo na tomada, conquistando três pontos em sequência e colando no placar. A reação tomou maior impulso quando chegou a 9-8.

Subindo toda hora mais alto, o bloqueio do Sesc-RJ se dava bem em cima dos ataques previsíveis do Pinheiros. Drussyla, na paralela, colocou 13-12, virando o jogo. O domínio no marcador durou pouco tempo. Quando fez 19-15, o time paulista ganhou corpo. Explorando o bloqueio, Lana colocou números finais no segundo set, marcando 25 a 21 para as donas da casa.

Mão pesada dos dois lados no terceiro set. Gabi pelo lado carioca e Roberta pelo meio paulista, que partiu na frente. Bruna Honório, destaque do Pinheiros, em um ace, abriu 7-4. Mas, era jogo de dois grandes times e Vivian, na pipe, igualou em 9-9. A paridade no nível persistia, em uma partida digna de fase final de Superliga.

Quando o Sesc abriu 17-13, partindo para a inversão 5-1, o treinador Paulo de Tarso tentou corrigir os problemas de rede do Pinheiros, que sofria com a falta de opção para fugir do paredão carioca. Mas, o pique do time visitante era outro, com a confiança se elevando gradativamente. Um silêncio se instalou nas arquibancadas e o clima xoxo ajudou as cariocas. Bruna Honório, atacando para fora, fechou o set para as adversárias em 25 a 18.

Tendo que correr atrás do prejuízo, o Pinheiros foi para cima no princípio do quarto set. Uma pressão que não abalou tanto o Sesc, que fez o seu jogo, como nos demais períodos do certame. Com ambos os times revezando na pontuação, não havia como fazer qualquer prognóstico sobre o resultado do confronto. A desgarrada veio com Mari Cassemiro explorando o bloqueio e fazendo 11-8, obrigando Bernardinho a pedir tempo.

A pausa não ajudou. Cedendo mais pontos que o normal, o "saca na Drussyla", grito recorrente dos torcedores adversários nos jogos do Sesc RJ, apareceu e desconcentrou a ponteira. As bolas da equipe paulista caíam bem, o que a mantinha na frente até a pausa em 21-20. A galera, que murchou no terceiro set, acordou. Um ace lindo de Roberta fechou em 25 a 22, levando para o tie break.

Um rally fantástico deu o primeiro ponto do quinto set para o Pinheiros e essa foi a tônica do tie break. Raça de sobra e alto nível. Como nos outros quatro, similaridade no marcador e braço pesado dos dois lados. E se o time paulista teve problemas com a rede no terceiro set, Roberta resolveu. Na china, era perigo o tempo todo. Perigo que Peña levava com seus ataques a favor do Sesc. Só pedrada.

Quando deu 9-9, o técnico do Pinheiros pediu tempo e pegou pesado na bronca para cima da Milka. De sangue quente, a meio de rede apareceu e contribuiu defensiva e ofensivamente. E o set não acabou com 15 pontos, fazendo jus a equidade do jogo. Quem se mantinha na frente era o Sesc e foi a equipe carioca que fechou, com Juciely. 20 a 18 e Rio de Janeiro com a vantagem.

VAVEL Logo

Vôlei Notícias

há um dia
há 3 dias
há 3 dias
há 3 dias
há 4 dias
há 5 dias
há 7 dias
há 7 dias
há 8 dias
há 9 dias
há 9 dias