Reis da América! Sada Cruzeiro vence UPCN e é hexacampeão Sul-americano 
Foto: Reprodução/ Twitter Sada Cruzeiro

Reis da América! Sada Cruzeiro vence UPCN e é hexacampeão Sul-americano 

Em partida consistente, time estrelado venceu os argentinos por 3 a 1 e garantiram mais uma taça pra galeria

thais-alcantara
Thaís Alcântara

O Cruzeiro provou mais uma vez o porquê é um dos maiores times de vôlei da história. Na noite deste sábado (02), a Raposa venceu o UPCN por 3 a 0 (25/19, 25/18, 21/25 e 25/16), na Arena MTC, e conquistou o sexto título Sul-americano Masculino de Vôlei. Com a taça, o time estrelado se tornou o maior campeão do continente. 

Após altos e baixos durante a campanha no torneio, a equipe estrelada controlou os adversários na final e comemorou mais um troféu. 

O Cruzeiro segue escrevendo páginas heróicas e imortais nas quadras. Na galeria de taças, a Raposa já acumula seis títulos da Superliga, nove campeonatos mineiros, quatro Copas Brasil, três mundiais de clubes e seis Sul-americano. 

Como foi o jogo

O Cruzeiro começou impiedoso no saque: 6 a 3, no ace de Le Roux. Em mais um ponto nesse fundamento, Isaac aumentou a vantagem azul: 13 a 7. Superior aos adversários, os mineiros controlaram a parcial e fechou no erro do oposto polonês Bartman, do UPCN: 25 a 19

O segundo set começou com os nervos aflorados e um festival de cartões vermelhos: Evandro, do Cruzeiro, Ramos e Lazo, do UPCN, foram penalizadas por reclamação. No placar, a Raposa dominava: 9 a 6. O time celeste seguiu dominando a partida e ampliou a vantagem no saque de Le Roux: 16 a 11.  No erro argentino, a equipe estrelada fez 25 a 18 e viu o hexacampeonato mais próximo. 

Os mineiros começaram a terceira etapa decididos a não darem chance para o azar e, no ataque de Evandro, largou na frente: 8 a 6. Sem ter outra alternativa, o UPCN forçou o saque e a tática deu certo: 14 a 14. No ataque de Lazo, os argentinos abriram na reta final: 22 a 20. Guilherme Hage acertou a bola de xeque e manteve sua equipe viva: 25 a 21

O Cruzeiro voltou a sacar bem no começo da quarta parcial e desestabilizou a linha de passe adversária: 6 a 3.  Evandro chamou pra si a responsabilidade de levar a Raposa para o lugar mais alto do pódio e, com três pontos seguidos do oposto, o placar era 13 a 8. No ataque de Isaac, o time celeste fechou em 25 a 16 e partiu pra festa, algo que essa camisa já de acostumou a fazer.

VAVEL Logo