Mundial Feminino de Clubes de Voleibol terá Rio de Janeiro como representante

Campeonato internacional acontece em Manila. Equipe brasileira não é a favorita mais está em busca da conquista inédita

Mundial Feminino de Clubes de Voleibol terá Rio de Janeiro como representante
Elenco 2016/17 de vôlei feminino no Rio de Janeiro (Foto: Marcio Rodrigues/MPIX)

No dia 18 de outubro começa o Mundial Feminino de Clubes de Voleibol, o representante brasileiro é o time do Rio de Janeiro, comandado pelo técnico Bernardinho. A competição será disputada em Manila, nas Filipinas, o time do Rexona-SESC busca no dia 23 a conquista inédita.

No início deste mês, o time carioca tornou-se bicampeão da Supercopa após vencer o Praia Clube. Agora, de viagem para a Ásia, vão para terceira competição da temporada 2016/17. A disputa estadual de voleibol sagrou o time do Fluminense como campeão e o time do Rio ficou na segunda colocação.

Nesta competição internacional, o time carioca encontrará duas atletas brasileiras, a central Thaísa defende o Eczacibasi Vitra da Turquia e a ponteira Mari Paraíba está jogando pelo time suíço Volero Zürich. Outro reencontro será com a medalhista de ouro e MVP da Rio 2016, a chinesa Ting Zhu que atua pelo VakifBank da Turquia.

Preparação do Rexona-SESC

O reforço para o time carioca nesta temporada foi a holandesa Anne Bujis. A ponteira ajudará o técnico Bernardinho dentro e fora da quadra nesta competição, pois a jogadora defendeu o time turco Vakifbank na última temporada e auxiliará com informações do voleibol europeu.

O Eczacibasi mudou um pouco em relação ao ano passado. Agora elas contam com a Thaísa e com a Kolesheva, que são jogadoras muito ofensivas, além da Larson, que proporciona um ótimo volume de jogo e contribui muito no ataque. É um time de jogadoras espetaculares e será muito difícil enfrentá-las. Já o Pomi Casalmaggiore é um time mais baixo, que joga com mais técnica. É um tipo de jogo que se assemelha mais com o estilo brasileiro. Precisaremos estar muito concentradas e forçar bastante o saque para vencê-las”, fez sua primeira análise.

Se passar da primeira fase, o time do Rio de Janeiro pode encontrar o ex-clube de Anne em uma provável semifinal ou final e por isso, a holandesa já adiantou, “Conheço muito bem o VakifBank, que é um time com muitas estrangeiras. A capitã é uma ótima passadora, possui excelentes jogadoras de meio, que são muito altas. Então, caso enfrentemos elas, será muito importante ter um saque eficiente para minimizar estas jogadas de meio e possibilitar que nosso bloqueio funcione bem

Jovem e experiente, a ponteira Gabi já disputou dois Mundiais de Clubes e disse que primeiramente é preciso ter tranquilidade, pois é preciso dar um passo de cada vez, primeiro a classificação à semifinal.

“Estamos em início de temporada e evoluindo a cada dia como um grupo.  O Mundial é um campeonato à parte, são grandes clubes e nós não somos favoritos. Será uma viagem muito longa, precisaremos nos adaptar rapidamente ao fuso horário, mas entraremos em quadra para brigar. Queremos crescer durante a competição e buscar uma vaga na semifinal. Este será nosso primeiro objetivo”.

O Mundial de Clubes

O Rio de Janeiro está no grupo A e jogará a primeira fase contra os times Eczacibasi Vitra (Turquia), Pomi Casalmaggiore (Itália) e PSL-F2 (Filipinas). O grupo B é formado pelos clubes do Volero Zürich (Suiça), VakifBank Istanbul (Turquia), Hisamitsu Springs Kobe (Japão) e Bangkok Glass (Tailândia). Após a fase de grupos, as duas melhores equipes avançam para as semifinais.


Tabela de jogos do Rio de Janeiro no Mundial no horário de Brasília:

Terça-feira (18)
9h30 - Rio de Janeiro x PSL-F2 Logistics Manila

Quarta-feira (19)
9h30 - Rio de Janeiro x Pomi Casalmaggiore

Quinta-feira (20)
3h30 - Rio de Janeiro x Eczacibasi VitrA. 

Sábado (22) – Semifinal

Domingo (23) – Final